Menu
Busca sexta, 10 de julho de 2020
(67) 99647-9098
TJMS julho20
Justiça

Taco com arame farpado vai para perícia

Análise do bastão permitirá saber se já foi usado para tortura

10 outubro 2019 - 07h35Joilson Francelino

Um taco de beisebol, coberto de arame farpado, que  foi encontrado no quarto de Jamil Name Filho, um dos presos na Operação Omertá, que desmontou uma poderosa milícia em Campo Grande, já foi remetido para a perícia.

Segundo um membro da força-tarefa que comanda a investigação reportou ao JD1 Notícias, o procedimento é a melhor forma de  detectar, traços de sangue e até de pele humana, o que  indicaria, se o bastão foi utilizado para prática de tortura ou não.

Omertá

A Omertà cumpriu 23 mandados de prisão, sendo 13 preventivas e dez temporárias. Equipes passaram a manhã no jardim São Bento, no residencial onde foram presos Jamil Name e Jamil Name Filho.

No pedido de prisão, a operação aponta que eles são líderes de organização criminosa. Ao todo, 19 pessoas foram presas por envolvimento em milícia responsável por diversas execuções na capital.

PMCG Refis

Deixe seu Comentário

Leia Também

Justiça
Estácio pagará R$ 194 mil por contratos abusivos e cobranças indevidas
Justiça
Estado seguirá TAC que disciplina licitações de informática
Justiça
TJ faz alerta sobre pandemia em MS
Justiça
TJMS diz que é inconstitucional nome e atribuição de polícia a Guarda da capital
Justiça
Hospital proíbe acompanhantes durante parto, mas Defensoria recorre e reestabelece o direito
Justiça
Aposentadoria computa tempo de trabalho infantil
Justiça
MP "vai pra cima" da Energisa contra liminar que suspendeu perícia
Justiça
TJ libera 324 milhões durante pandemia e ajuda economia de MS
Justiça
Justiça concede foro especial a Flávio Bolsonaro no caso das “rachadinhas”
Justiça
Justiça proibe tios de visitar sobrinho durante a pandemia

Mais Lidas

Entrevista
"Minha atuação é em defesa do consumidor", diz vereador Papy
Política
Movimento protesta contra Bolsonaro na Afonso Pena
Saúde
AO VIVO – Atualização de casos de coronavírus no MS
Brasil
Estudante picado por naja pode sair da UTI amanhã