Menu
Busca terça, 15 de junho de 2021
(67) 99647-9098
FIEMS - julho21
Justiça

Testemunha diz que foi "coagida" a mentir sobre 'Coffee Break'

Em novo depoimento, Fabiano de Oliveira alegou que foi orientado a mentir por advogado

08 junho 2021 - 17h54Sarah Chaves

Depoimento do agente afastado da Guarda Civil Metropolitana, Fabiano de Oliveira Neves, durante interrogatório da investigação Coffee Break, revela que nunca presenciou reuniões que orquestrassem uma retirada do então prefeito Alcides Bernal do cargo, mesmo com um possível descontentamento “público e notório”, por parte de parlamentares com a gestão. Fabiano era motorista do ex-prefeito Gilmar Olarte.

 “Nos primeiros meses da gestão do Bernal, houve rompimento com Olarte, depois que Bernal assumiu ele rompeu com todo mundo, teve uma gestão sozinho, até então os compromissos que tinham na época de transição para a prefeitura, com partidos e outras coisas, quando ele assumiu efetivamente ele mudou”, alega Fabiano. 

Ainda segundo ele, os vereadores demonstravam descontentamento com o Bernal, perante Gilmar Olarte. “Igual conversa de bar, e os vereadores pediam pro Gilmar conversar com Bernal, mas nada além do normal”.

O ex-motorista alega que mentiu também na época, em depoimento ao Gaeco, ao afirmar que Gilmar Olarte teria saído da casa do empresário João Amorim com um envelope contendo o que poderia ser dinheiro em espécie. “Não é verdade o que disse no Gaeco, fui orientado pelo advogado Antônio Trindade a falar sobre envelope com volume que podia ser dinheiro”, afirmou.  Fabiano ainda acrescenta que foram duas semanas, onde Antônio Trindade o orientou e contou sobre todo o plano. “Para que eu chegasse lá e repetisse tudo. Me coagiram com a exclusão do meu concurso”, conta.

Fabiano também relembra a gravação que mostrou na investigação onde um advogado “falava em nome de Alcides Bernal”. “Apresentei a conversa gravada em que eles estavam me chantageando para que eu viesse a público e denunciasse uma compra de votos, uma articulação para cassação, me coagindo a falar o que falei, foi designado pelo advogado que acompanhava o Bernal”, lembrou.

Fabiano concluiu seu testemunho e respondeu sobre uma possível troca de favores que puderam levar a nomeação de secretários na gestão Olarte, dizendo não saber sobre possíveis indicações. O ex-motorista foi interrogado no final de maio durante a fase final de depoimentos de testemunhas de acusação e defesa, em audiência conduzida pelo juiz David de Oliveira Gomes Filho, da 2ª Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Justiça
Com recurso negado, Comércio terá mais uma tentativa para barrar decreto
Justiça
Justiça discute na quarta, recurso da Energisa que barra perícias
Justiça
TJMS distribuiu mais de 6 mil processos em maio
Justiça
Comércio formaliza mandado de segurança para barrar decreto do Prosseguir
Justiça
STF começa a julgar pedidos para suspender Copa América no Brasil
Justiça
No MS, quem maltratar animais pode pagar até R$ 8,1 mil
Justiça
STF decide que magistrados podem comandar Lojas Maçônicas
Justiça
Intubado, Jamil Name tem prisão relaxada
Justiça
Justiça adia julgamento e medidores da Energisa seguem sem perícia
Justiça
Nos dias 3 e 4 de junho, não haverá expediente no Judiciário de MS

Mais Lidas

Cidade
Marquinhos autoriza comércio a operar
Geral
AO VIVO: Motorista é preso após tombar caminhão ao lado do Damha
Brasil
Criança morre após ser picada por escorpião
Geral
Governo manda prefeitos "assumirem seus atos"