Menu
Busca quinta, 23 de março de 2023
(67) 99647-9098
Águas - Março23
Opinião

Acesso facilitado

11 abril 2013 - 00h00Luiz Gonzaga Bertelli

A educação à distância já é uma realidade, não só no Brasil. As duas principais instituições superiores dos Estados Unidos – Universidade de Harvard e Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) – criaram, no ano passado o edX, uma plataforma de cursos abertos que já conta com 800 mil alunos inscritos – sendo 23 mil brasileiros – em 23 cursos: 7 do MIT, 6 de Harvard, 6 da Universidade da Califórnia e 4 da Universidade do Texas.

A ideia dos cursos à distância é promover o acesso de alunos de qualquer lugar a um ensino de qualidade. Mesmo aqueles que moram nas regiões mais remotas, se tiverem acesso à internet, podem acompanhar as aulas com o mesmo conteúdo daqueles que estão nas grandes metrópoles. Essa democratização do ensino está beneficiando milhares de pessoas pelo mundo, em especial aquelas que vivem em regiões com menos oferta de educação de qualidade.

Porém, há quem critique a falta de calor humano e o distanciamento entre professor e aluno. Os especialistas em educação a distância consideram que atuais gerações de alunos cresceram nas redes sociais, enviando mensagens e batendo papos virtuais e, por isso, sentem-se confortáveis para receber os conhecimentos via web.  Numa pesquisa realizada pelas instituições norte-americanas citadas, 36% dos alunos disseram que a experiência online foi melhor que a presencial e 63% a acharam tão boa quanto.

Claro que o ensino à distância não deve substituir integralmente o presencial. Os campi das grandes universidades brasileiras ainda têm papel importante na formação educacional e profissional dos jovens. A educação à distância é mais um recurso que favorece aqueles que têm dificuldade de locomoção, de tempo ou moram longe dos grandes centros. No entanto, para alcançar resultados satisfatórios, é necessário muita disciplina e organização. Quem não desenvolver um método eficaz para o aprendizado, não obterá bons resultados.

Desde 2005, o CIEE registra ótimo aproveitamento dos cursos online que oferece para capacitação de jovens com vistas a um melhor rendimento nos programas de estágio e aprendizagem e na própria inserção no mercado de trabalho. Cursos como Excel, matemática financeira, atualização gramatical, como se comportar em entrevistas, administração do tempo e mais 30 temas estão disponíveis gratuitamente para os alunos cadastrados no portal da entidade (www.ciee.org.br).

Luiz Gonzaga Bertelli - presidente Executivo do Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE), da Academia Paulista de História (APH) e diretor da Fiesp.

Estação Criança

Deixe seu Comentário

Leia Também

Opinião
OPINIÃO: Igualdade de gênero ou utopia?
Opinião
OPINIÃO: Direito de propriedade, próximo desafio de Lula
Opinião
OPINIÃO: As possíveis consequências do PL que visa a alteração da lei de violência doméstica
Opinião
OPINIÃO - Chuvas: Tragédia repetida e previsível
Opinião
OPINIÃO: Prints de conversa no Whatsapp tem validade em processos criminais?
Opinião
OPINIÃO: Sobre a construção do Palácio da Justiça do TJMS
Opinião
OPINIÃO: Os egos enlouquecidos
Opinião
OPINIÃO: Expectativa e Realidade
Opinião
OPINIÃO: Ah!! A Política!!!
Opinião
OPINIÃO: O afastamento de Ibaneis Rocha

Mais Lidas

Internacional
Mulher é pega de surpresa ao se deparar com cobra peçonhenta em cima da cama
Cidade
JD1TV: Imagens mostram momento em que motociclista bate em meio-fio e morre
Polícia
Motociclista sem CNH bate em árvore e morre na Manoel da Costa Lima
Geral
Padre se engana e batiza bebê com ácido em vez de água-benta