Menu
Busca domingo, 16 de fevereiro de 2020
(67) 99647-9098
tj ms topo
Polícia

Antes de suicídio, PM desabafa em carta de despedida

Em seu relato, Franciso Barroso falou sobre sua luta contra depressão e estresse no trabalho

20 agosto 2019 - 18h35Mauro Silva, com informações do BHAZ

Em um texto que viralizou pelas redes sociais, o policial de Belo Horizonte (MG) Francisco Barroso, de 28 anos, relatou, eu uma carta de despedida, a luta contra a depressão e o alcoolismo antes de cometer suicídio no último domingo (18). 

Em seu relato de despedida ele disse que está cansado. "Infelizmente, através desta, despeço-me de tudo e todos. Estou cansado de mim mesmo, de fazer bobagens, de beber demais. Há alguns tempos travei uma batalha contra a depressão e o uso abusivo de álcool, mas, infelizmente, perdi”, relatou.

Em outro trecho, Barroso pede perdão e destaca que ser policial é estressante. “Peço perdão aos que ficam e, principalmente, a Deus. Que receba minha alma de braços abertos e faça parar a vergonha constante que sinto de mim mesmo. Sempre fui uma boa pessoa e jamais prejudicaria alguém, mas tão somente eu mesmo”, afirmou

“Foram nove anos na Polícia Militar e eu vos digo, caros amigos: cuidem-se! A polícia é super estressante e, como no meu caso, pode ser fatal”, declarou.

Conforme dados da Associação dos Praças Policiais e Bombeiros Militares de Minas Gerais (Aspra), somente este ano, foram 31 mortes de profissionais da área de segurança por autoextermínio no estado.

O corpo do Francisco Barroso foi sepultado na tarde desta segunda-feira (19)

Carta completa:

"Infelizmente, através desta, despeço-me de tudo e todos. Estou cansado de mim mesmo, de fazer bobagens, de beber demais. Há alguns tempos travei uma batalha contra a depressão e o uso abusivo de álcool, mas, infelizmente, perdi.

Peço perdão aos que ficam e, principalmente, a Deus. Que receba minha alma de braços abertos e faça parar a vergonha constante que sinto de mim mesmo.

Sempre fui uma boa pessoa e jamais prejudicaria alguém, mas tão somente eu mesmo.

Foram 9 anos na Polícia Militar e eu vos digo, caros amigos: cuidem-se! A polícia é super estressante e, como no meu caso, pode ser fatal.

Agradeço imensamente ao carinho e atenção de minha mãe, Elizabeth, e meu irmão, Raul. São pessoas maravilhosas que me amam muito. E eu também sempre amarei vocês.

Um grande abraço a todos os meus amigos, sejam do Ordem e Progresso, do Cefet, Tiradentes, da PMMG, do curso de Direito ou História.

NINGUÉM TEM CULPA DE NADA! Essa é uma decisão minha.

Cuidem-se e não me julguem. Orem por mim. E quero que se lembrem sempre de mim pelos sorrisos, pelas brincadeiras.

Para meus familiares: doem meus órgãos. Ajudem quem realmente precisa".

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Polícia
Homem com ciúmes corta pescoço da namorada com machete
Polícia
Família procura por adolescente desaparecida há cinco dias
Polícia
Entregador é baleado e vai pilotando até o UPA
Polícia
Jovem desaparecido é encontrado enforcado em mata
Polícia
Carro do deputado Loester Trutis é alvejado por tiros
Polícia
Policiais se unem em operação contra "baderna" na Euclides Conveniência
Polícia
Vendedor é preso após atrair crianças com frutas para cometer abuso
Polícia
Jovem surta e diz ouvir tiros horas antes de morrer intoxicado por cocaína
Polícia
Cantor foragido é preso em show do próprio aniversário
Polícia
Motorista é autuada por dirigir enquanto comia coxinha

Mais Lidas

Geral
Sem acertos, Mega-sena acumula para R$ 170 mi
Polícia
Homem com ciúmes corta pescoço da namorada com machete
Educação
Último dia para fazer a carteirinha de estudante digital
Polícia
Família procura por adolescente desaparecida há cinco dias