Menu
Busca domingo, 29 de novembro de 2020
(67) 99647-9098
TJMS Novembro20 Juizado de transito
Polícia

“Não afeta em nada”, diz Valério sobre decisão do TJ

Tribunal decidiu essa semana que guarda não pode se denominar polícia municipal

04 julho 2020 - 11h05Gabriel Neves

Após a decisão do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJMS), de julgar inconstitucional a alteração do nome Guarda Civil Metropolitana de Campo Grande (GCM) para Polícia Municipal, o secretário municipal de Segurança e Defesa Social, Valério Azambuja, disse que essa decisão não altera os trabalhos prestados pela instituição de segurança.

Em entrevista ao JD1, nesta sexta-feira (3), Valério explicou que a decisão em si não altera os trabalhos que a Guarda Civil Metropolitana vêm exercendo na capital de Mato Grosso do Sul, e que a mudança no nome não é vista como prioridade ou assunto importante no momento.

“Essa decisão do TJ não afeta em nada no que a Guarda já vem fazendo em termos de segurança pública, o fato de você ter Polícia Municipal ou não na viatura, isso é o de menos, é o que menos importa. O que é importante é o trabalho que a Guarda vem realizando no dia a dia”, disse o secretário de Segurança.

Durante a entrevista, Valério explicou que a inconstitucionalidade não ocorre pela mudança do nome em si, mas quem propôs. O serviço de iniciativa foi feito pela Câmara Municipal de Campo Grande, e pedidos do gênero só podem ser feito pela Prefeitura da capital.

“A Câmara Municipal não pode propor lei de iniciativa privativa do Poder Executivo. Essa modificação de nomenclatura tem que ser iniciativa do Gabinete do Prefeito, a Câmara Municipal pode discutir, alterar, modificar, mas não pode propor”, explicou Valério Azambuja.

Entenda

O imbróglio jurídico teve início no ano passado quando as entidades representativas dos policiais e bombeiros militares de Mato Grosso do Sul entraram com uma a ação Direta de Inconstitucionalidade, com pedido de medida cautelar contra a Câmara de Vereadores do Município de Campo Grande, que reconheceu o nome e a atribuição a corporação municipal.

O impasse se trata Lei Orgânica Municipal (LOM) nº 37/18, de 18 de outubro de 2018. Todos os magistrados acompanharam o relatório do caso, elaborado na última segunda-feira (29), do desembargador do TJMS, Marcos José de Brito Rodrigues.

Teia - Agronomia

Deixe seu Comentário

Leia Também

Polícia
Mulher é sequestrada ao descer de ônibus na capital
Polícia
Foram presos 39 homens durante operação na fronteira
Polícia
Guarda flagra adolescentes furtando materiais escolares em creche do Caiobá
Polícia
Senhor de 83 anos desaparece na Capital após sair para comprar pão
Polícia
Mulher encontra viatura da PM na rua e denuncia ameaça do ex-namorado armado
Polícia
Mulher morre após intoxicação por ingestão de remédios
Polícia
Criança morre após receber descarga elétrica em decoração de Natal
Polícia
Adolescente é encontrado morto com suspeita de suicídio em MS
Polícia
Vídeo - Guarda Civil encerra festinha no Dom Antonio após toque de recolher
Polícia
Traficante é preso em flagrante no Jardim Colibri

Mais Lidas

Polícia
Mulher é sequestrada ao descer de ônibus na capital
Brasil
Paciente com quase 300 kg que aguardou cinco dias por vaga na UTI morre em Natal
Polícia
Foram presos 39 homens durante operação na fronteira
Geral
Reinaldo inaugura indústria com 300 empregos e entrega escola em Caarapó