Menu
Busca quarta, 15 de julho de 2020
(67) 99647-9098
TJMS julho20
Polícia

Polícia repudia e associação irá processar advogado de “pedreiro assassino”

O advogado alega que seu cliente foi torturado por policiais civis

28 maio 2020 - 09h10Gabriel Neves

A Polícia Civil de Mato Grosso do Sul, publicou uma nota de repudio contra as declarações do advogado Jean Cabreira, responsável pela defesa de Cleber de Souza Carvalho, 43 anos, responsável por matar e enterrar 7 pessoas em Campo Grande, chamado de “Pedreiro Assassino”.

Em declarações à imprensa, o advogado alegou que seu cliente estava sofrendo agressões físicas e psicológicas de policiais da Delegacia Especializada de Repressão a Homicídios (DEH).

Cleber chegou a ser transferido para o Instituto penal de Campo Grande (IPCG) na última terça-feira (26), após uma denúncia feita pelo advogado Jean Cabreira junto ao Grupo de Atuação Especial de Controle Externo da Atividade Policial (Gacep).

Em nota, a Polícia Civil de MS disse repudiar as falar feitas pelo advogado, “a instituição repudia, veementemente, a fala do advogado Jean Cabreira em que imputa à instituição o cometimento de crime ao alegar que o preso estaria sofrendo agressões psicológicas durante sua custódia em cela de Delegacia de Polícia desta capital”.

A instituição reforçou que suas ações são feitas com base na lei, “a instituição reforça que suas ações são calcadas na lei e submetem-se ao controle interno de sua Corregedoria e externo, feito pelo Ministério Público Estadual”.

A Associação dos Delegados de Polícia do Estado de MS (ADEPOL-MS), também se manifestou e alegou que irá entrar com medida judicial contra o advogado, “a Adepol-MS vai entrar com medida judicial nas áreas cível e criminal, além de uma representação junto à Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-MS), contra o advogado Jean Carlos Cabreira”.

Na nota, a associação comentou as declarações feitas pelo delegado, “em declaração à imprensa, o advogado alegou que seu cliente foi vítima de agressões físicas e psicológicas por parte dos policiais civis e do delegado que conduz o caso”, e completou, “a Adepol-MS lamenta a postura do advogado e garante que os trabalhos da Polícia Civil foram realizados em conformidade com a lei”.

O Sindicato dos Policiais Civil de Mato Grosso do Sul, também se posicionou diante das declarações de Cabreira, alegando que, “repudia as declarações do senhor Jean Carlos Cabreira, advogado do serial killer Cleber de Souza Carvalho, acusado de matar sete pessoas e ocultar os corpos em Campo Grande, em crimes bárbaros que chocaram a sociedade”.

Em nota, o sindicato também diz que irá tomar medidas judiciais contra o advogado, “o Sindicato tomará as devidas providências legais contra o advogado, que alega que seu cliente sofreu abuso de autoridade e tortura por parte dos policiais, na justiça e junto à Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/MS)”.

Vacinne

Deixe seu Comentário

Leia Também

Polícia
“Encontraram o monstro”, diz primo de Carla sobre assassino
Polícia
Ex-patroa é denunciada por abandono de incapaz que resultou em morte
Polícia
Comerciante foi morta porque reconheceu voz de ex-funcionário, diz investigação
Polícia
Operação prende autores de duplo homicídio ocorrido há 11 anos
Polícia
Suspeito de matar dona de restaurante é preso e já foi garçom da vítima
Polícia
Mãe descobre estupro após criança dizer “o tio que colocou a pingola aqui”
Polícia
É golpe! Mulher acredita ter ganhado jantar no Outback, mas perde whatsapp
Polícia
Tentando transportar agrotóxicos em pneu de caminhão, motorista é preso pelo DOF
Polícia
Sargento é encontrada morta e ex-marido é principal suspeito
Polícia
Homem finge pedido de ajuda para chamar bombeiros de “merdas”

Mais Lidas

Polícia
“Encontraram o monstro”, diz primo de Carla sobre assassino
Polícia
Ex-patroa é denunciada por abandono de incapaz que resultou em morte
Saúde
MP solicita inspeção em frigoríficos no interior
Polícia
Comerciante foi morta porque reconheceu voz de ex-funcionário, diz investigação