Menu
Busca sexta, 22 de janeiro de 2021
(67) 99647-9098
Governo Futebol
Política

André diz que PMDB só fica de fora de disputa se não tiver chance de vitória

02 julho 2011 - 14h08CG News

O governador André Puccinelli afirmou que o PMDB só ficará de fora da disputa pela prefeitura de Campo Grande se não tiver chances mínimas de vencer. Neste sábado, em que comemora aniversário de 63 anos, o governador participou da abertura de reunião no diretório estadual da sigla.

Segundo ele, todos os postulantes à indicação do partido para concorrer a eleição do ano que vem vão passar por uma bateria de pesquisas. "Tem que ver como fica se colocar Zeca do PT , o Vander [Loubet], o [Pedro] Kemp, o Paulo Duarte, o Alcides Bernal. Tem que testar com um candidato de cada partido", afirma.

O governador prossegue lembrando que todos os pré-candidatos do PMDB terão o desempenho avaliado frente aos outros que cobiçam a vaga, como os deputados federais Edson Giroto (PR), Luiz Henrique Mandetta (DEM), Reinaldo Azambuja (PSDB) e o vereador Athayde Nery (PPS).

O PMDB comanda a prefeitura da Capital desde 1993, mas os partidos aliados cobram que a sigla abra mão da disputa e retribua o apoio recebido nas últimas duas décadas.

"Vou falar pela duodécima vez. Preferencialmente o candidato vai ser do PMDB, não obrigatoriamente", afirmou à imprensa. Na reunião com representantes do partido, incluindo os pré-candidatos Edil Albuquerque e Carlos Marun, Puccinelli trocou o preferencial por prioritário.

"Prioritariamente o candidato é do no nosso partido", assegura. Mas em seguida, emendou que não será possível reunir condições políticas e estruturais para disputar as 78 prefeituras.

Para o próximo pleito, ele prevê que, caso aprovada, a reforma eleitoral vai enxugar o arco de alianças, que na última eleição foi de 15 partidos. "Se vingar essa legislação, não queria mais que quatro ou cinco partidos".

Os representantes do PMDB nos municípios receberam do governador a garantia de apoio para as eleições que vão eleger prefeitos e vereadores em 2012. "Não tem grana para todo mundo, mas vai ter o mínimo de apoio necessário, papéis para distribuir. Candidato tem que andar e mostrar a cara".

Bons nomes

Já o presidente regional do PMDB, Esacheu Nascimento, defende que o partido siga no comando da prefeitura. "Acho muito difícil", afirma sobre a possibilidade de não lançar candidato à prefeitura. "O partido é expressivo e temos bons nomes para disputar", afirma.

O PMDB tem 12 mil filiados na Capital. Além de Edil e Marun, o deputado estadual Marquinhos Trad e o vereador Paulo Siufi, todos do PMDB, também cobiçam o cargo que será deixado pelo prefeito Nelsinho Trad no fim de 2012.

Com informações do Campo Grande News.

senar janeiro21

Deixe seu Comentário

Leia Também

Política
"Se chegar hoje, vacinas serão entregues amanhã", diz Bolsonaro
Política
Dilma sobre convite de Doria para se Vacinar: "É inaceitável furar a fila"
Política
Senado: Simone Tebet diz que não é momento para falar em impeachment
Política
Com Covid-19, Murilo assume governo na segunda e vai despachar de casa
Política
Em eleição restrita a prefeitos, Assomasul elege nova diretoria nesta sexta
Política
Homem de preto executa jovem com tiros nas costas, cabeça e nuca no Tijuca
Política
Covid-19: PGR diz que cabe ao Legislativo apurar responsabilidades
Política
Bolsonaro destaca papel da Aeronáutica na comemoração de seus 80 anos
Política
Impeachment de Bolsonaro tem 110 deputados a favor, aponta levantamento
Política
Tebet revela sua estratégia para conquistar mais votos no Senado

Mais Lidas

Polícia
Jacaré é capturado dando 'rolê' em cidade de MS
Internacional
Estados Unidos inicia vacinação contra a Covid-19 em Nova York
Polícia
Morador de rua tenta matar desafeto a pauladas no interior do Estado
Polícia
Briga por capacete acaba em tentativa de homicídio