Menu
Busca segunda, 06 de julho de 2020
(67) 99647-9098
Política

Brasil é eleito para o Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas

13 novembro 2012 - 11h05Reprodução

Por 184 votos, o Brasil foi eleito pela terceira vez para o Conselho de Direitos Humanos (CDH) da Organização das Nações Unidas (ONU). A eleição foi realizada nessa segunda-feira (12) durante a Assembleia Geral da ONU. O Conselho tem a responsabilidade de alertar sobre violações aos direitos humanos em todo o mundo e fazer recomendações. O mandato será de três anos (2013-2015).

O Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas, sediado em Genebra, é formado por 47 membros, escolhidos com base na distribuição geográfica. O Brasil já havia tido assento no colegiado nos períodos de 2006 a 2008 e de 2008 a 2011. Também foram escolhidas, pela América Latina, a Argentina e Venezuela. Os três países substituem Cuba, México e Uruguai.

Com distribuição geográfica equitativa, o conselho tem 13 assentos para os países africanos, 13 para a Ásia, oito para a América Latina e o Caribe, sete para a Europa Ocidental e seis assentos para o Leste europeu. Foi criado pela Assembleia Geral da ONU em 2006 e realiza, dentre outras iniciativas, a Revisão Periódica Universal, mecanismo que permite a avaliação da situação dos direitos humanos em todos os Estados-Membros das Nações Unidas.

Estados Unidos, Costa do Marfim, Estônia, Etiópia, Gabão, Alemanha, Irlanda, Japão, Cazaquistão, Quênia, Paquistão, Coreia do Sul, Emirados Árabes Unidos, Montenegro e Serra Leoa também irão integrar o CDH até 2013. O Brasil tinha deixado o colegiado em junho de 2011.

Segundo a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH), no novo mandato, o Brasil trabalhará pelo contínuo fortalecimento do conselho e enfatizará, sem prejuízo de outras iniciativas, a não politização e não seletividade; o combate a todas as formas de discriminação; e o direito à saúde, bem como a ampliação da cooperação entre os países no combate a violações transnacionais e no intercâmbio de experiências bem-sucedidas.

Para o governo brasileiro, a eleição ao conselho representa o reconhecimento da comunidade internacional pelo trabalho empreendido pelo Brasil para a promoção e a defesa dos direitos humanos em âmbito interno e externo, bem como a presença de uma sociedade civil atuante e propositiva. “Neste ano, o Brasil acatou 159 das 170 recomendações feitas durante o segundo ciclo do Mecanismo de Revisão Periódica Universal”, ressaltou a ministra da SDH, Maria do Rosário, em nota.

Via Brasil.gov

Totem_Alcool Gel

Deixe seu Comentário

Leia Também

Política
Ranking faz primeira pesquisa em Dourados sem Marçal
Política
Com 70% dos leitos ocupados, Marquinhos diz que Saúde da capital pode entrar em colapso
Política
Trump ataca revolução cultural "de esquerda"
Política
Rodrigo Maia defende sindicatos e diz que acabar com eles foi medida adotada por Hitler
Política
Nelsinho diz que Brasil deve fazer sua narrativa sobre a Amazônia
Política
Ministério da Segurança ainda pode ser recriado pelo Governo
Política
Coronel David declara pesar pelo homicídio de Carla Santana
Política
Assembleia fará testes para Covid-19 em deputados e servidores
Política
"Projeto das Fake News gera interesse em 30 países", diz Nelsinho
Política
Câmara da capital aprova orçamento público para 2021

Mais Lidas

Saúde
Santa Casa está preparada para combater o coronavírus, diz presidente da entidade
Brasil
Bolsonaro está com sintomas de coronavírus
Cidade
Aeroporto terá novo acesso
Brasil
Pandemia gerou economia de R$ 199,6 mi aos cofres públicos