Menu
Busca quarta, 15 de julho de 2020
(67) 99647-9098
TJMS julho20
Política

Celina Jallad será a primeira mulher conselheira no TCE

23 novembro 2010 - 16h46
O projeto de decreto legislativo indicando a deputada estadual Celina Jallad (PMDB) para assumir vaga de conselheira do TCE/MS (Tribunal de Contas do Estado) foi aprovado nesta terça-feira e ela será a primeira mulher a ocupar o cargo em Mato Grosso do Sul. A aprovação foi por unanimidade. Ela preencherá a vaga deixada pelo conselheiro Osmar Dutra, que obteve aposentadoria por completar 70 anos. Projeto da Mesa Diretora apresentado nesta quinta-feira e assinado por todos os deputados estaduais indica a deputada Celina Jallad (PMDB) para preencher a vaga de conselheira do TCE (Tribunal de Contas do Estado). Certa da indicação ao TCE, um compromisso assumido pelo governador André Puccinelli, Celina sequer concorreu à reeleição na Assembleia Legislativa. Ela tem 16 anos de atuação como deputada estadual, já foi presidente da CCJR (Comissão de Constituição, Justiça e Redação) e vice-presidente da Mesa Diretora. Fonte: CG News
Vacinne

Deixe seu Comentário

Leia Também

Política
“Caso de polícia”, diz Fábio sobre fake news de lockdown na capital
Política
Capital: Câmara testa plataforma de sessão remota nesta quarta
Política
Câmara aprova projeto de proteção às mulheres em bares e casas noturnas
Política
Paulo Corrêa se recupera do coronavírus e retoma atividades na Assembleia
Política
PL exige formas alternativas de educação à alunos do ensino médio
Política
Hidroxicloroquina é tema de debate na Câmara
Política
Michelle Bolsonaro testa negativo para Covid-19
Política
Simone e Nelsinho avaliam como positiva escolha do novo ministro da Educação
Política
Movimento protesta contra Bolsonaro na Afonso Pena
Política
Alunos podem ter aferição de temperatura obrigatória na volta às aulas

Mais Lidas

Polícia
“Encontraram o monstro”, diz primo de Carla sobre assassino
Polícia
Ex-patroa é denunciada por abandono de incapaz que resultou em morte
Saúde
MP solicita inspeção em frigoríficos no interior
Polícia
Comerciante foi morta porque reconheceu voz de ex-funcionário, diz investigação