Menu
Busca domingo, 22 de maio de 2022
(67) 99647-9098
Tjms Maio22
Política

CPI das Fake News deve voltar em fevereiro com foco nas eleições 2022

Paralisada em 2020 pela pandemia, comissão investiga disseminação de conteúdo falso, ataques nas redes e disparo de mensagens em massa

18 janeiro 2022 - 12h36Gabrielly Gonzalez, com G1

A Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) das Fake News deve retomar suas atividades em fevereiro deste ano com foco nas eleições de 2022, segundo o presidente do colegiado, senador Angelo Coronel (PSD-BA).

A comissão é formada 16 deputados e 16 senadores e foi instalada em 2019. No mesmo ano, o Supremo Tribunal Federal (STF) instaurou o inquérito das fake news, que apura notícias fraudulentas, ofensas e ameaças a ministros da Corte. Em 2021, o ministro do Supremo Alexandre de Moraes determinou a inclusão do presidente Jair Bolsonaro como investigado no inquérito.

Instalada em setembro de 2019, a comissão teria, inicialmente, 180 dias para concluir os trabalhos. O prazo foi prorrogado, por igual medida, pelo Congresso em abril de 2020, quando a CPMI já estava paralisada e se aproximava do esgotamento da primeira contagem.

 A CPMI das Fake News teve suas atividades paralisadas desde o primeiro trimestre de 2020, em razão das restrições impostas pela pandemia da Covid.

Ainda, segundo Coronel, uma das ideias é a criar parcerias com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), com o Ministério Público Federal (MPF) e com a Polícia Federal para o compartilhamento de informações durante a campanha eleitoral — prevista para iniciar em 15 de agosto.

Segundo integrantes, as parcerias irão contribuir para a sugestão de propostas legislativas, que serão apresentadas no relatório final da CPI.

Em outra frente, na avaliação do senador, a CPI, que tem poderes de autoridades judiciais, pode ser capaz de investigar denúncias com mais agilidade.

“A CPMI pode ser uma ponte entre essas instituições e a sociedade. Será uma rede de compartilhamento. É possível e já fizemos isso antes. O ano eleitoral pede que a gente assegure eleições limpas, tranquilas e sem ataques difamatórios contra adversários. Nosso papel, dentro da comissão, vai ser garantir mais um espaço de fiscalização e controle”, disse Angelo Coronel.

Nas eleições municipais de 2020, O TSE e a comissão firmaram um acordo para o compartilhamento de dados.

Retorno presencial

O retorno das atividades da comissão está previsto para fevereiro de 2022. No entanto, a retomada dos trabalhos depende da autorização do presidente do Congresso, Rodrigo Pacheco (PSD-MG).

De acordo com a Presidência do Senado, o avanço da variante ômicron do coronavírus no Brasil tem despertado preocupação na Casa.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a ômicron é mais transmissível e um dos fatores para o aumento de casos e internações em decorrência da covid-19 no mundo.

Com o cenário de incerteza, a Presidência avalia revisar os critérios de funcionamento e acesso ao Senado, o que influenciaria no funcionamento das comissões.

 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Polícia
Mãe vai a polícia após sua filha ter rosto tatuado a força pelo ex
Política
Por onde anda seu candidato?
Política
Justiça Eleitoral reformula cinco aplicativos para as eleições
Política
Pablo Marçal é lançado à presidência e fala sobre "eleição diferente"
Política
Riedel recebe título de Cidadão Douradense na Expoagro
Política
Luiz Renato é o novo secretário de Fazenda de MS
Política
No Senado, destaque de Nelsinho Trad garante gratuidade de bagagens
Política
Riedel ouve demandas de comerciantes em Naviraí
Política
Fachin diz que as eleições podem contar com mais de 100 observadores estrangeiros
Política
Nelsinho quer homenagem a Juvêncio

Mais Lidas

Polícia
Assassinato de jovem no Aero Rancho pode ter sido motivado por vingança
Polícia
JD1TV: Jovem de 21 anos é morto a tiros no Aero Rancho
Geral
O drama de Delinha
Polícia
Motociclista que morreu após acidente na Joaquim Murtinho não tinha CNH