Menu
Busca segunda, 20 de março de 2023
(67) 99647-9098
TJMS - Mar23
Política

Delegados querem coordenadora da Lava Jato no comando da Polícia Federal

31 maio 2016 - 14h52Agência Brasil

A delegada Erika Mialik Marena, responsável por coordenar as investigações da Operação Lava Jato na Polícia Federal (PF) de Curitiba, foi a mais votada pelos delegados da PF para assumir a direção da entidade.

Ela é um dos nomes que compõe a lista tríplice que será encaminhada ao presidente da República interino, Michel Temer, pela Associação Nacional de Delegados da Polícia Federal (ADPF), que organizou a votação.

Atualmente, a nomeação para o cargo é uma atribuição do ministro da Justiça, mas a ADPF argumenta que a escolha por meio da lista tríplice, mesma prática adotada na seleção do procurador-geral da República, é o modo mais seguro de garantir gestão técnica e autonomia à Polícia Federal.

Por meio da PEC 412/2009, que terá parecer votado pela Comissão de Constituição e Justiça da Câmara (CCJ) na tarde desta terça-feira (31), os delegados querem que a lista tríplice se torne lei. A ADPF defende também um mandato de três anos para o diretor-geral, renovável apenas uma vez por igual período, de modo a impedir que o ocupante do cargo seja destituído intempestivamente.

O atual diretor-geral da PF, Leandro Daiello, está no cargo desde o início de 2011, ainda no primeiro mandato da presidenta afastada Dilma Rousseff, e deixará o posto após o fim das Olimpíadas do Rio 2016, segundo a associação, motivo pelo qual a categoria resolveu se antecipar e apresentar uma lista tríplice.

“O atual diretor-geral já informou por diversas fontes que fica só até o fim das Olimpíadas. Para que haja tempo do novo governo preparar uma transição, nós fizemos esse processo agora”, disse o delegado Carlos Eduardo Sobral, presidente da ADPF.

“Como o presidente disse que vai respeitar a cultura e a prática que vale para o MPF [Minsitério Público Federal], temos também a convicção de que ele respeitará a escolha dos delegados”, disse Sobral, apesar de o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, já ter manifestado, publicamente, ser desfavorável à escolha do comando da PF a partir de uma lista.

Para se candidatar a integrar a lista, o delegado precisa ocupar a última classe da carreira. Os nove delegados que se candidataram participaram de debates e sabatinas ao longo das últimas duas semanas. Votaram no pleito mais 1.338  delegados da PF, que possui 1,7 mil delegados em atividade.

“Agradeço a todos que querem mudanças para nossa Polícia Federal”, disse Erika em uma mensagem enviada após a divulgação do resultado da votação. Ela é especialista no combate a crimes financeiros. Os outros nomes da lista são Rodrigo de Melo Teixeira e Marcelo Eduardo Freitas, ambos de Minas Gerais. Os delegados não associados à ADPF também puderam votar.

Estação Criança

Deixe seu Comentário

Leia Também

Política
CPI do 8 de janeiro não consegue assinaturas mínimas no Senado
Política
Projeto proíbe cirurgia de mudança de sexo antes dos 21 anos
Política
Paulo Corrêa quer aprimorar parceria por energia fotovoltaica
Política
Flávio Dino vai ao RN acompanhar ações contra atentados criminosos
Política
Com ministra, Riedel reafirma compromisso com "paz no campo"
Política
Após cirurgias no coração, Zeca do PT recebe alta e volta para casa
Política
Ministro do Meio Ambiente norueguês visita o Brasil para discutir o Fundo Amazônia
Política
Nas redes sociais, presidente Lula lamenta morte de Amarildo Cruz
Política
Mundo político entra em luto pela morte de Amarildo Cruz
Política
Gleice Jane, de Dourados, assume lugar de Amarildo na Assembleia

Mais Lidas

Interior
Com pelo menos seis golpes de faca, homem mata esposa e foge levando a filha
Polícia
Mulher fica em estado grave após ser esfaqueada pelo namorado
Polícia
Jovem é baleado por dupla em carro no Nhanha
Cidade
Capital tem quatro trechos interditados neste domingo