Menu
Busca segunda, 23 de novembro de 2020
(67) 99647-9098
TJMS Novembro20 Juizado de transito
Política

Dilma critica protecionismo em conversa com Obama na Colômbia

14 abril 2012 - 18h08AFP

A presidente Dilma Rousseff afirmou neste sábado (14), ao lado dos presidentes da Colômbia, Juan Manuel Santos, e dos Estados Unidos, Barack Obama, que a expansão monetária dos países desenvolvidos, em especialmente os da zona do euro, é uma forma de protecionismo e um obstáculo ao comércio de bens e serviços dos países emergentes.

Ela participou de uma conversa pública com os dois presidentes no encerramento do fórum empresarial prévio à abertura da 6ª Cúpula das Américas, em Cartagena das Índias, na Colômbia.

Segundo a presidente, a expansão monetária dos países mais desenvolvidos torna as economias dos países emergentes uma "presa fácil de processos de desindustrialização".

"A política monetária expansionista, sozinha, ela contém um fator de protecionismo que se caracateriza pelo fato de que essas moedas, quando elas não têm para onde ir, elas vão para aqueles mercados que são vistos como mais estáveis", disse a presidente.

Ela afirmou que, diante desse cenário, os países emergentes precisam se defender. "É claro que nós temos de tomar medidas para nos defender - veja bem, eu usei a palavra defender e não proteger. Defender é diferente de proteger. A defesa significa que nós vamos ter de perceber que nós não podemos deixar que nossos setores manufatureiros sejam canibalizados", declarou.

Ela já havia manifestado a preocupação semelhante ao próprio Obama durante visita aos Estados Unidos no último dia 9. Antes, no dia 1º, havia afirmado que os países em desenvolvimento eram alvos de um "tsunami monetário".

Na visita aos EUA, a presidente afirmou que as políticas expansionistas de países ricos levam à desvalorização das moedas nesses países, comprometendo o desenvolvimento dos países emergentes. Depois, repudiou o protecionismo em conversa com empresários norte-americanos.

No encontro com os colegas da Colômbia e EUA neste sábado, Dilma destacou "a importância" da economia norte-americana e defendeu a necessidade de integração entre as economias dos países das Américas. "Temos um potencial de integração muito grande. A articulação serve para enfrentar a crise", declarou.

Obama afirmou que o hemisfério está "muito bem posicionado na economia mundial" e apontou um crescimento de 46% do comércio entre os Estados Unidos e os países da América Latina e do Caribe. "Nunca estivemos tão entusiasmados em trabalhar com nossos irmãos da América Latina", afirmou.

O anfitrião Juan Manuel Santos, presidente da Colômbia, observou que estava "sentado entre dois titãs" e disse que compartilhava das preocupações de Dilma com as políticas monetárias expansionistas.

Via G1

Deixe seu Comentário

Leia Também

Política
TRE-MS anula votos dados a Harfouche e aumenta vantagem de Marquinhos
Política
Ex-vereador morre depois de ser picado por uma cobra em MS
Política
Prefeito de Barra do Bugres (MT) perde eleição e demite 365 funcionários
Política
Nas eleições de 2020, número de indígenas eleitos é recorde no Brasil
Política
Aos 18 anos, Nivaldinho é o vereador eleito mais jovem de MS
Política
AO VIVO: Acompanhe a posse de Mara Caseiro na Assembleia
Política
Mara Caseiro retorna à Assembleia no lugar de Onevan
Política
Conheça um pouco da trajetória dos 29 vereadores eleitos na Capital
Política
Em clima de despedida, vereadores não reeleitos parabenizam colegas que ficam
Política
Moraes determina prisão domiciliar de blogueiro bolsonarista

Mais Lidas

Polícia
Vídeo: depósito em chamas em Campo Grande
Polícia
Frigorífico é multado em R$ 10 mil devido a vazamento de amônia
Cidade
Familiares e amigos lamentam morte de Everton Quebra
Polícia
As versões da agressão: mulher e polícia divergem