Menu
Busca quarta, 02 de dezembro de 2020
(67) 99647-9098
TJMS Novembro20 Juizado de transito
Política

Em entrevista, José Serra diz que economia não cresceu 9%

20 junho 2010 - 10h32Divulgação

O candidato do PSDB à Presidência José Serra disse na noite deste sábado (19) que o crescimento da economia brasileira não foi de 9%, como afirmou a equipe econômica do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Serra concedeu uma entrevista ao programa Roda Viva, da TV Cultura, que será veiculado na noite da próxima segunda-feira (21).

O presidenciável afirmou que o crescimento foi menor que o valor divulgado pela equipe economica do governo, mas não falou em números. Durante a entrevista, que começou com duas horas de atraso, o presidenciável respondeu a perguntas dos eleitores, que foram enviadas por e-mail. Serra não quis responder se assinaria o aumento de 7,7% dos aposentados, como fez o presidente Lula, pois afirmou que essa é uma decisão de quem está no governo.

O tucano ainda falou sobre temas como segurança e educação. Na área de segurança, afirmou que uma das suas metas será criar o ministério da Segurança, e que fará um trabalho conjunto entre as policiais federal, militar e civil. Ele ainda afirmou que as escolas técnicas precisam de maiores investimentos. O tucano também respondeu a assuntos polêmicos, como a união homesexual e o aborto. Afirmou não ser contra a união entre pessoas do mesmo sexo e que não deverá mexer na atual lei do aborto, se for eleito. Questionado sobre a presença de homosexuais nas forças armadas, Serra respondeu: "Qual o o problema"? Em uma pergunta sobre se já havia fumado maconha, o candidato respondeu negativamente e disse que desde jovem tinha aversão a fumaça.

O candidato ainda afirmou que se não tivesse certeza que poderia vencer a eleição não seria candidato. Questionado sobre a atual política externa brasileira, Serra criticou a aproximação feita pelo presidente Lula entre Brasil e Irã, classificando como "não confiável" o presidente do Irã Mahmoud Ahmadinejad. Ele também afirmou que pretende ter uma relação de respeito com a Venezuela, desde que o país não faça intervenções no Brasil. Serra ainda defende que a Lei de Responsabilidade Fiscal seja aplicada também ao governo federal, e não apenas aos estados e municípios. (G1.com.br)

Teia - Agronomia

Deixe seu Comentário

Leia Também

Política
Justiça homologa acordo e Contar e PSL selam paz
Política
Riedel, um gestor a caminho da política
Política
Presidente da CPI da Energisa lamenta bandeira vermelha: “Cliente nunca é favorecido”
Política
Sul-mato-grossense é primeira mulher eleita prefeita em cidade no interior de SP
Política
PT não tem prefeitos eleitos em capitais pela 1ª vez desde a redemocratização
Política
Ponta Grossa é a única cidade do Brasil a ter duas mulheres disputando o 2º turno
Política
Marquinhos anuncia 45 obras e prevê gastos de R$ 1,3 bilhão
Política
TRE-MS conquista pela primeira vez selo diamante do Conselho Nacional de Justiça
Política
Cinco cidades do Estado adquirem “Castramóvel”
Política
Bolsonaro estima que país possa encerrar 2020 com mais empregos do que em 2019

Mais Lidas

Polícia
Homem é morto ao buscar o filho no Monte Castelo
Internacional
Inglaterra inicia vacinação contra Covid-19 na próxima semana
Polícia
Soldado e motorista trafegavam em faixa exclusiva para ônibus
Geral
Vídeo: Jaime Verruk fala sobre relicitação da ferrovia Malha Oeste