Menu
Busca sábado, 18 de janeiro de 2020
(67) 99647-9098
Perkal Topo - janeiro-20
Política

Em entrevista, José Serra diz que economia não cresceu 9%

20 junho 2010 - 10h32Divulgação

O candidato do PSDB à Presidência José Serra disse na noite deste sábado (19) que o crescimento da economia brasileira não foi de 9%, como afirmou a equipe econômica do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Serra concedeu uma entrevista ao programa Roda Viva, da TV Cultura, que será veiculado na noite da próxima segunda-feira (21).

O presidenciável afirmou que o crescimento foi menor que o valor divulgado pela equipe economica do governo, mas não falou em números. Durante a entrevista, que começou com duas horas de atraso, o presidenciável respondeu a perguntas dos eleitores, que foram enviadas por e-mail. Serra não quis responder se assinaria o aumento de 7,7% dos aposentados, como fez o presidente Lula, pois afirmou que essa é uma decisão de quem está no governo.

O tucano ainda falou sobre temas como segurança e educação. Na área de segurança, afirmou que uma das suas metas será criar o ministério da Segurança, e que fará um trabalho conjunto entre as policiais federal, militar e civil. Ele ainda afirmou que as escolas técnicas precisam de maiores investimentos. O tucano também respondeu a assuntos polêmicos, como a união homesexual e o aborto. Afirmou não ser contra a união entre pessoas do mesmo sexo e que não deverá mexer na atual lei do aborto, se for eleito. Questionado sobre a presença de homosexuais nas forças armadas, Serra respondeu: "Qual o o problema"? Em uma pergunta sobre se já havia fumado maconha, o candidato respondeu negativamente e disse que desde jovem tinha aversão a fumaça.

O candidato ainda afirmou que se não tivesse certeza que poderia vencer a eleição não seria candidato. Questionado sobre a atual política externa brasileira, Serra criticou a aproximação feita pelo presidente Lula entre Brasil e Irã, classificando como "não confiável" o presidente do Irã Mahmoud Ahmadinejad. Ele também afirmou que pretende ter uma relação de respeito com a Venezuela, desde que o país não faça intervenções no Brasil. Serra ainda defende que a Lei de Responsabilidade Fiscal seja aplicada também ao governo federal, e não apenas aos estados e municípios. (G1.com.br)

Deixe seu Comentário

Leia Também

Política
Bolsonaro anuncia aumento de 12% no salário do professor do ensino básico
Política
Após declarações nazistas, Bolsonaro exonera Roberto Alvim
Política
Nelsinho avalia como "um passo a frente", entrada do Brasil na OCDE
Política
Sérgio de Paula desmente expulsão de Rose do PSDB
Política
"Aliança" fará encontro em fevereiro, na capital
Política
''Janela'' para vereadores começa em março
Política
Deputado do PSL defende assédio e polemiza: “Não sejamos hipócritas”
Política
Veja a previsão de líderes de partidos na Câmara dos Deputados em 2020
Política
Mandetta é primeiro em ranking de simpatia no congresso
Política
Zeca “tira os olhos” da capital e poderá disputar a prefeitura de Sidrolândia

Mais Lidas

Saúde
Narguilé mata mais que acidente de trânsito no Brasil, diz pneumologista
Justiça
Prazo de juiz de garantias pode mudar investigação de Flávio e Lulinha
Clima
Previsão é de chuva na capital com aviso do Inmet de perigo potencial
Cidade
Odilon Júnior participa de ato para regularização fundiária na “Favela do Linhão”