Menu
Busca terça, 28 de setembro de 2021
(67) 99647-9098
Gov - Estado que Cresce (set21)
Política

Em votação secreta câmara mantém mandato de Natan Donadon

29 agosto 2013 - 10h41Via Época
O plenário da Câmara rejeitou a cassação do mandato do deputado Natan Donadon (ex-PMDB-RO). Para que o parlamentar, preso desde 28 de junho no presídio da Papuda, em Brasília, perdesse o cargo, era necessária a aprovação da maioria dos 513 deputados. Na votação secreta, 233 foram a favor da perda de mandato, 131 contra e 41 se abstiveram. Nesta quarta-feira (28), dia em que normalmente as votações ocorrem com maior quórum, 108 deputados faltaram.

Quem não faltou à sessão foi Donadon. Condenado a 13 anos no Supremo Tribunal Federal (STF) por peculato e formação de quadrilha, o parlamentar se defendeu no plenário. Disse que todos os pagamentos feitos por ele na diretoria financeira da Assembleia Legislativa de Rondônia foram atestados pelo controle interno da instituição e feitos de acordo com os parâmetros legais. Donadon afirmou ainda que assumiu a diretoria financeira com contratos já feitos. A Justiça o considerou culpado pelo desvio de R$ 8,4 milhões quando ocupava o cargo no Legislativo de Rondônia.

“Eu fui convidado a assumir o departamento financeiro com procedimentos feitos e empresas contratadas, as licitações já haviam sido feitas, já havia pagamentos feitos a essa empresa de publicidade e eu dei sequência aos pagamentos não só dessa empresa e de outras”, disse. “Nunca fiz nada de ilícito, nunca desviei um centavo da Assembleia”, afirmou. Após o resultado da votação, Donadon disse que a "justiça foi feita".

Na Câmara, Donadon também reivindicou melhorias na alimentação da prisão. Disse que a “xepa”, modo como os presidiários se referem às refeições, não é de boa qualidade. “A gente tem dificuldade na alimentação. Eu tenho síndrome do estômago irritável”, afirmou.   

O parecer do processo de cassação de Donadon na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) colocado em votação nesta quarta-feira era do deputado Sérgio Zveiter (PSD-RJ). Ele se manifestou antes dos parlamentares votarem secretamente. Usando cerca de 10 dos 25 minutos a que tinha direito, o parlamentar do Rio de Janeiro leu na tribuna trechos de seu parecer aprovado pela CCJ, que recomendou a perda do mandato. "A leitura do acórdão [decisão colegiada] do STF revela que a conduta pela qual o deputado Donadon foi condenado é gravíssima. Os fatos são verdadeiramente estarrecedores e não coadunam com o decoro parlamentar", disse.

Salário suspenso
Após a decisão do plenário, o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), decidiu afastar Donadon devido à impossibilidade de ele exercer suas atribuições de deputado federal. “Cabe nessa hora, no dever de presidente dessa Casa, com a experiência de parlamentar de 12 mandatos, assumir a responsabilidade de fazer esse comunicado à Casa e ao país”, afirmou Alves. “Entretanto, devido ao fato de o parlamentar cumprir pena de privação de liberdade, considero-o afastado do exercício de seu mandato devido à impossibilidade de exercer suas atribuições e convoco o suplente para exercer o mandato em caráter de substituição durante o tempo em que permanecer a privação de liberdade de Natan Donadon”, disse o presidente.

O suplente de Natan Donadon, Amir Lando (PMDB-RO), ocupará a vaga de Donadon enquanto ele estiver preso.

Henrique Alves afirmou que não colocará em votação mais nenhum processo por perda de mandato enquanto o voto continuar secreto.  

A Secretaria-Geral da Mesa informou que, mesmo permanecendo deputado, Donadon continuará sem receber salário e a Câmara vai prosseguir com a ação para reaver o apartamento funcional ocupado indevidamente pela família do parlamentar. O deputado já recorreu ao Supremo Tribunal Federal (STF) pedindo que a Câmara pague o seu salário.
Unica - inverno

Deixe seu Comentário

Leia Também

Política
"Nada não está tão ruim que não possa piorar", diz Bolsonaro
Política
Deputados derrubam vetos a lei que suspende despejos durante a pandemia
Política
Amigos encontram cadáver boiando em rio
Saúde
“Embate político é imbecil, temos que vacinar”, detona Paulo Corrêa
Política
Simone, Nelsinho e Fábio Trad fazem parte da "elite parlamentar", segundo estudo
Polícia
Corpo encontrado boiando no córrego Bálsamo é identificado na capital
Política
Relatório da reforma administrativa é aprovado por Comissão da Câmera
Política
Diretor da Precisa nega participação nas negociações da Covaxin
Política
PEC da Reforma Administrativa deve ser votada pela Comissão especial
Política
Dono da Havan deverá explicar fraude em certidão de óbito da própria mãe à CPI

Mais Lidas

Cidade
Incêndio atinge margens do rio Paraguai em Corumbá
Clima
Tempestade faz temperatura despencar 15 graus e destelha apartamento em Campo Grande
Polícia
Mulher é agredida e esfaqueia pênis de marido
Polícia
Homem é assassinado a tiros por dívida de R$ 100,00