Menu
Busca terça, 15 de junho de 2021
(67) 99647-9098
FIEMS - julho21
Política

Infectologista que ficou apenas 10 dias na Saúde depõe à CPI da Pandemia

Depoimento de Luana Araújo foi antecipado para hoje em estratégia de senadores da CPI para que ela fosse ouvida antes do ministro Queiroga

02 junho 2021 - 07h54Gabrielly Gonzalez, com CNN

A médica infectologista Luana Araújo presta depoimento à CPI da Pandemia nesta quarta-feira (2), a partir das 9h30. Crítica ao uso de remédios sem eficácia comprovada contra à Covid-19, a infectologista foi indicada pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, a exercer o cargo de secretária extraordinária de Enfrentamento à Covid-19; entretanto, a nomeação foi cancelada após a médica ter atuado por apenas dez dias.

O requerimento para convocação de Luana Araújo foi feito pelos senadores Alessandro Vieira (Cidadania-SE) e Humberto Costa (PT-PE) logo após o anúncio do cancelamento da nomeação.

A CPI quer saber da médica as razões pela desistência de sua nomeação no Ministério da Saúde. O depoimento de Luana Araújo foi antecipado como estratégia para coletar novas informações e poder ter novos elementos para confrontar o atual ministro da Saúde,  Marcelo Queiroga, que prestará depoimento à CPI na próxima terça-feira (8). 

A princípio, estava prevista para esta quarta-feira uma audiência pública para ouvir médicos e pesquisadores favoráveis e contrários ao uso de medicamentos como a cloroquina no chamado tratamento precoce contra a Covid-19.

Os médicos Clovis Arns da Cunha e Zeliete Zambom haviam sido convocados para falar contra o tratamento. Já para defender o tratamento precoce, a comissão ouviria os médicos Francisco Eduardo Cardoso Alves e Paulo Márcio Porto de Melo.

Na reunião da CPI desta terça-feira (1º), o senador Marcos Rogério (DEM-RO) apresentou questão de ordem contra a mudança de pauta, alegando ser "intempestiva" e "desrespeitosa" com os depoentes já previstos. O presidente da CPI, Omar Aziz (PSD-AM), pediu desculpas pelo transtorno, mas alegou que a CPI "é muito dinâmica" e manteve a oitiva de Luana Araújo.

Os senadores Luís Carlos Heinze (PP-RS) e Eduardo Girão (Podemos-CE) pediram que os depoimentos cancelados sejam remarcados. 

Nomeação ao Ministério da Saúde

Luana Araújo foi anunciada no dia 12 de maio pelo ministro Marcelo Queiroga durante o lançamento da campanha de conscientização sobre medidas preventivas e vacinação contra Covid-19. A Secretaria Extraordinária de Enfrentamento à Covid-19 foi criada no dia anterior para centralizar as ações de combate à pandemia. 

Dez dias após a nomeação, a pasta confirmou que a médica infectologista não exerceria mais o cargo. De acordo com nota publicada pelo ministério, a pasta busca outro nome com "perfil profissional semelhante: técnico e baseado em evidências científicas". 

"A pasta agradece à profissional pelos serviços prestados e deseja sucesso na sua trajetória", disse o comunicado. 

A médica, por sua vez, agradeceu a Queiroga pela oportunidade e disse ter deixado o cargo "pela porta da frente". Ela não compartilhou o motivo da saída. 

"Neste curto período de atuação, ainda que sem nomeação oficial, pude desenvolver trabalhos em várias frentes, incluindo o plano de testagem agora apresentado pelo Ministro da Saúde. Saio desta experiência como entrei: pela porta da frente, com a consciência e o coração tranquilos, ciente de que neste curto período entreguei o melhor da minha capacidade de acordo com os princípios que tenho como profissional especialista na área: ética, cientificidade, agilidade, eficiência, empatia e assistência", escreveu Araújo em uma publicação no LinkedIn. 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Política
Em disputa acirrada, Sidrolândia elege Vanda Camilo
Política
Sidrolândia escolhe prefeito neste domingo
Brasil
Bolsonaro pede parecer para desobrigar uso de máscara por vacinados
Política
Mourão diz que Bolsonaro autorizou nova operação militar na Amazônia
Política
Grampo em Arroyo facilitou "explosão" no Tribunal de Contas
Política
CPI da Covid aprova quebra dos sigilos de Pazuello e Ernesto Araújo
Política
Simone é escolhida como coordenadora da Bancada de MS
Política
Para Riedel, gás natural vai ampliar competitividade
Política
Verruck reforça meta de tornar MS 'Estado Carbono Neutro' até 2030
Política
Azambuja autoriza pavimentação de duas rodovias estaduais

Mais Lidas

Cidade
Marquinhos autoriza comércio a operar
Geral
AO VIVO: Motorista é preso após tombar caminhão ao lado do Damha
Brasil
Criança morre após ser picada por escorpião
Geral
Governo manda prefeitos "assumirem seus atos"