Menu
Busca sábado, 23 de março de 2019
(67) 99647-9098
TJMS março-19
Política

Na última semana antes das férias, Puccinelli entrega 316 casas na Capital

03 janeiro 2011 - 10h44
O governador André Puccinelli (PMDB) iniciou o primeiro dia útil do segundo mandato com agenda interna. Nesta última semana antes das férias, o governador tem compromisso público previsto somente a partir de quarta-feira, quando inaugura a última etapa do residencial Ramez Tebet, em Campo Grande. A partir das 9h, serão entregues 316 casas. Ao todo, são 803 imóveis destinados a famílias de baixa renda. A primeira etapa foi concluída em agosto de 2009, com a inauguração de 487 casas. De acordo com informações da Sehac (Secretaria Estadual de Habitação e Cidades), os recursos para construir o residencial somam R$ 11 milhões, repassados pela União e governo Estadual. A prefeitura de Campo Grande doou o terreno. A entrega do residencial será na rua Lourdes Maria Flores, região do Universitário. O governador vai ficar de férias entre os dias 9 e 22 de janeiro. Neste período, a vice Simone Tebet (PMDB) assumirá o governo do Estado. Fonte: CG News

Deixe seu Comentário

Leia Também

Política
Vereadores aprovam dois projetos na sessão de quinta-feira
Brasil
Bolsonaro se reúne com seis presidentes sul-americanos
Política
Cobrança de Moro na madrugada causa reação de Maia
Cidade
“Vou entregar a cidade melhor do que peguei”, diz Marquinhos Trad
Política
Bolsonaro participa no Chile de Cúpula Presidencial Sul-Americana
Política
Jamilson Name manifesta interesse em disputar a prefeitura da capital
Política
Moradia: CCJ aprova projeto de Simone que beneficia população de baixa renda
Política
Recursos de R$ 169 milhões serão investidos em obras na capital
Política
João Rocha e Paulo Corrêa visitam Casa da Mulher Brasileira
Política
Fábio Trad é reconduzido à coordenação do PSD na CCJC

Mais Lidas

Oportunidade
JBS tem 30 vagas em Campo Grande
Polícia
Adolescentes desaparecidas são encontradas em SP
Geral
Trabalhadores protestam contra reforma da Previdência
Opinião
Contemporaneidade ou pré-julgamento?