Menu
Busca quinta, 23 de março de 2023
(67) 99647-9098
TJMS - Mar23
Política

Novo cronograma prevê votação de relatório do impeachment em agosto

22 junho 2016 - 17h54Agência Brasil

A Comissão Processante do Impeachment aprovou nesta quarta-feira (22) um novo cronograma de trabalhos em razão dos atrasos no cronograma original, causados pela oitiva de testemunhas. Pela nova previsão, o relatório do senador Antonio Anastasia deverá ser votado no plenário do Senado – fase chamada de votação da pronúncia – no dia 9 de agosto. Depois disso, o presidente da Casa, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), terá até dez dias para marcar o julgamento final da presidenta Dilma Rousseff, no plenário do Senado.

O cronograma de Antonio Anastasia prevê que, no próximo dia 5 de julho, será realizada a audiência com os peritos e os assistentes de acusação e defesa, que fizeram a perícia nos documentos que embasam a denúncia e o processo de impeachment. No dia seguinte, a presidenta afastada deverá comparecer à comissão para ser ouvida pelos senadores e se defender.

A partir daí, começará a contar o prazo para as alegações finais da acusação. Um acordo entre os advogados de acusação, Janaína Paschoal, e de defesa, José Eduardo Cardozo, estabeleceu que a advogada entregará suas alegações finais em cinco dias – embora ela tenha prazo de até 15 dias. Com isso, no dia 13 de julho começará a contar o prazo de 15 dias para as alegações finais da defesas.

O senador Antonio Anastasia terá prazo de até quatro dias para fazer seu relatório final, que deve ser lido ao plenário da comissão no dia 2 de agosto – uma semana mais tarde que a previsão original. No mesmo dia será concedida vista coletiva, com discussão do parecer, marcada para o dia 3 e votação para o dia 4 de agosto.

No dia seguinte, o relatório de Anastasia já poderá ser lido no plenário do Senado. Como o dia 5 de agosto cai na sexta-feira, a previsão é de que a votação da pronúncia ocorra no dia 9. A votação será conduzida pelo presidente do processo, ministro presidente do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski.

Não há ainda data marcada para a votação do julgamento final de Dilma, mas o presidente do Senado já disse, anteriormente, que pretende usar todo o prazo de dez dias para marcar a votação.

Oitivas

A Comissão do Impeachment cumpriu hoje mais uma rodada de oitivas das 40 testemunhas arroladas pela defesa de Dilma. Foram ouvidos o analista de Planejamento e Orçamento e Coordenador Geral de Tecnologia e Informação da SOF, Robson Azevedo Rung; o secretário de Organização Institucional do Ministério da Defesa, Luiz Antonio de Souza Cordeiro; e o representante da Justiça do Trabalho, Luciano Carlos de Almeida. Com isso, falta ainda ouvir 12 testemunhas.

Estação Criança

Deixe seu Comentário

Leia Também

Política
Adriane Lopes destaca avanços tecnológicos da Capital em evento internacional
Política
Gleice Barbosa, suplente de Amarildo tem até 30 dias para tomar posse
Política
Gerson diz que duplicação da BR 163 é "clamor popular"
Política
Vereadores votam projeto contra intolerância religiosa nesta quinta-feira
Política
Liderança da Comissão de Trabalho, Cidadania e Direitos Humanos é definida
Política
Projeto de Lei deixado por Amarildo Cruz será votado na Assembleia
Política
CPI do 8 de janeiro não consegue assinaturas mínimas no Senado
Política
Projeto proíbe cirurgia de mudança de sexo antes dos 21 anos
Política
Paulo Corrêa quer aprimorar parceria por energia fotovoltaica
Política
Flávio Dino vai ao RN acompanhar ações contra atentados criminosos

Mais Lidas

Internacional
Mulher é pega de surpresa ao se deparar com cobra peçonhenta em cima da cama
Cidade
JD1TV: Imagens mostram momento em que motociclista bate em meio-fio e morre
Polícia
Motociclista sem CNH bate em árvore e morre na Manoel da Costa Lima
Geral
Padre se engana e batiza bebê com ácido em vez de água-benta