Menu
Busca sábado, 15 de maio de 2021
(67) 99647-9098
TJMS - maio21
Política

Patriota leva a Israel e à Palestina mensagem em defesa da paz e do diálogo

09 outubro 2012 - 11h16Reprodução / Agência Brasil

Para defender a busca por acordos de paz negociados e o fim dos conflitos armados, o ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, viaja esta semana para o Oriente Médio. A viagem  tem dois destinos – Israel, no dia 14 (domingo), e a Palestina, na segunda-feira (15). As conversas de Patriota ainda estão sendo agendadas. A disposição do chanceler é demonstrar a preocupação que o Brasil tem com a região.

O Brasil é favorável ao Estado da Palestina autônomo e independente. Para a presidenta Dilma Rousseff, o reconhecimento da Palestina é a única solução de paz entre israelenses e palestinos. Segundo ela, o Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) deve dar prioridade ao assunto e buscar uma solução imediata para a questão.

“Apenas uma Palestina livre e soberana poderá atender aos legítimos anseios, inclusive de Israel, por paz com seus vizinhos, segurança nas fronteiras e estabilidade política regional”, disse Dilma, no último dia 2, no Peru.

O chanceler brasileiro desembarca em Israel no momento em que os judeus religiosos da França enfrentam uma onda de ataques. O presidente francês, François Hollande, determinou redobrar a segurança nas sinagogas para impedir eventuais contratempos.

Na semana passada, durante a 3ª Cúpula de Chefes de Estado e de Governo América do Sul–Países Árabes (Aspa), em Lima, no Peru, a presidenta Dilma Rousseff repudiou “todas as formas de intolerância religiosa”, assim como o que chamou de islamofobia, que é o horror aos seguidores do islamismo.

Ela defendeu a busca pelo “caminho do diálogo” nas situações de conflito e mencionou o esforço na Aspa. Na ocasião, a presidenta ressaltou o apoio do Brasil ao enviado especial das Nações Unidas e da Liga Árabe à Síria, Lakhdar Brahimi.

Em várias ocasiões, Dilma e Patriota referiram-se às preocupações em torno dos confrontos armados não só na Síria, como também na Líbia e no Iraque. O governo brasileiro é contra intervenções militares externas em caso de conflitos nos países muçulmanos. “A solução para os problemas enfrentados pelos países árabes, do nosso ponto de vista, só poderá ser encontrada por eles próprios”, destacou a presidenta.

Nas reuniões que terá em Tel Aviv, em Israel, e Ramalah, na Cisjordânia, Patriota também deverá mencionar a defesa do governo brasileiro na promoção do desarmamento nuclear e da não proliferação de armas nucleares. O Brasil defende a criação de uma zona livre de armas de destruição em massa no Oriente Médio.

Via Agência Brasil

Genetica 1

Deixe seu Comentário

Leia Também

Política
"Não é favor, é missão nossa", diz Bolsonaro em entrega de títulos a assentados de MS
Política
Senado aprova redução de tarifa de energia com reembolso de tributos
Política
Rodolfo Nogueira com Bolsonaro amanhã em Terenos
Política
Após Datafolha, Bolsonaro chama Lula de 'ladrão de nove dedos'
Política
Câmara aprova titulo de "visitante ilustre" a Bolsonaro
Política
Riedel atuará com empresários em plano de recuperação econômica
Política
Câmara aprova projeto que institui Kit Merenda da Agricultura Familiar
Política
MDB se diz solidário a André
Política
Paulo Corrêa elogia trabalho e reafirma apoio à Polícia Civil em formatura
Política
Bolsonaro vem ao assentamento Santa Mônica na sexta-feira, às 10 horas

Mais Lidas

Polícia
Jacaré é capturado dando 'rolê' em cidade de MS
Internacional
Estados Unidos inicia vacinação contra a Covid-19 em Nova York
Polícia
Morador de rua tenta matar desafeto a pauladas no interior do Estado
Polícia
Briga por capacete acaba em tentativa de homicídio