Menu
Busca sábado, 25 de maio de 2019
(67) 99647-9098
Política

Puccinelli fecha acordo

08 maio 2011 - 06h00Arquivo

O governador André Puccinelli (PMDB) encaminhou negociações com diversos setores do funcionalismo, que lograram êxito na noite de quinta feira.

A proposta que amanhece na Assembléia Legislativa amanhã foi negociada de forma separada pelo governador, mas com números semelhantes.

Além de um aumento de 6% por cento, praticamente linear, André fechou vários acordos com diversos segmentos que compõem a malha de servidores públicos, beneficiando várias dessas categorias com abonos.

Os números variam de vinte e cinco até oitenta reais, e podem parecer insignificantes, mas para quem ganha dois mil reais por exemplo, cinquenta reais representam dois e meio por cento, e se o servidor ganhar mil reais, terá uma acréscimo através abono de cinquenta reais de exatos cinco por cento.

André disse ao Jornal de Domingo, que a orientação da Secretaria do Tesouro Nacional, para que não houvesse aumento, foi um fato verídico, mas que além do "compromisso que tenho com o servidor" pesou também um outro fator, a constatação nitída que autoridades do tesouro, só vem aqui propor medidas, "que garantam o pagamento dos juros devidos a união", sem qualquer sensibilidade para com as coisas de nosso estado.

Ainda segundo André, o reajuste deve ser apreciado com urgência pela Assembléia, a tempo ainda de ser incorporado a próxima folha de pagamento.

Com corte de gastos, esse ano o reajuste será diferente do aumento salarial que os servidores receberam em 2010 que variou entre 5% e 11,77%. O impacto foi de R$ 8 milhões na folha. O governador também concedeu reajuste de 6% aos professores, funcionários do Ministério Público Estadual e do Tribunal de Contas.

O governador estava contente com a decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) sobre a questão da hora atividade para os professores. Durante julgamento no dia 27 de abril, os ministros do Supremo encerraram o julgamento sobre ADI (Ação Direta de Inconstitucionalidade) 4.167 de MS.

“Graças a Deus o STF não aprovou o vínculo da hora aula sobre atividade”, disse Puccinelli.

Pela lei, a remuneração mínima do docente, para esta carga horária, ficou em R$ 1.187,00.

Para os policiais militares, o governo propunha um aumento de 5%, mas ofereceu até 9,24% para os PMs, no caso dos soldados com 0 a 5 anos de serviço, e se comprometeu a regularizar todas as atas de promoções dos praças até o final de junho.

Campo Grande

O prefeito de Campo Grande, Nelson Trad Filho(PMDB), sancionou Lei nº 4942 que reajusta em 6,09% o salário dos servidores dos órgãos da administração direta, autarquias e fundações do poder Executivo, além dos proventos de aposentadorias e pensões pagas pelo Tesouro Municipal.

Na Capital também ficou assegurada aos professores municipais, a complementação salarial, até abril de 2012, quando o valor da respectiva remuneração não sofrer revisão, no mínimo igual a 6,5%, a partir de 1º de maio de 2011.

Nelsinho Trad, garantiu durante assembléia de professores da Rede Muncipal de Ensino, na sede da ACP (Associação Campo-Grandense de Professores), um reajuste mínimo de 10% para a categoria, que só será atingido em outubro.

"Nenhum professor terá menos do que 10% de aumento em outubro", garantiu ele no dia 30 de abril. A proposta inicial do prefeito era a incorporação da gratificação de regência de sala, que dá 6,5% para professor em início de carreira. A partir do primeiro dia do mês de maio, além do reajuste linear, os professores terão incorporados mais 3,5% no salário básico a partir de outubro.

O que Nelsinho Trad ofereceu aos professores, é um "plus" para quem ficou com 6,5%, com a incorporação da regência, chegar a 10% em outubro.

Na Lei, as vantagens financeiras de plantão de médicos, dentistas e enfermeiros também foram reajustados. Todos os reajustes terão efeitos a contar de 1º de maio, segundo a publicação realizada no dia 04, no Diário Oficial de Campo Grande.

Assembleia

Já a Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul promulgou, no dia 26 de abril, lei que reajusta em 5% os salários dos servidores da Casa, valendo a partir de primeiro de abril.

O projeto, de autoria da Mesa Diretora, teve trâmite bastante rápido. Foi protocolado no CCJR (Comissão de Constituição, Justiça e Redação), no dia 19 de abril, terça-feira da semana passada, e na quarta-feira, 20 de abril, já estava aprovado.

O aumento vale tanto para os funcionários ativos quanto para os aposentados e pensionistas da Assembleia.

Alessandra Messias

Deixe seu Comentário

Leia Também

Política
Reinaldo diz que MS não quebrou porque aprovou reforma
Política
Fábio Trad participa de debate para tribunal contra crimes transnacionais
Política
Sindjor repudia declaração de Soraya
Política
Justiça bloqueia R$ 3,57 bilhões do MDB e PSB
Política
Neno Razuk é eleito presidente estadual do PTB
Política
Bolsonaro vai ao Nordeste e encontra governadores
Política
Bolsonaro se diz contra posicionamentos radicais em manifestações
Política
Três deputados de MS votam a favor do Coaf, na Economia
Política
PSD de Jardim elege presidente do diretório municipal
Política
Após críticas, Bolsonaro altera decreto de posse de armas

Mais Lidas

Cidade
Restaurante Bamboo Sushi é autuado por cobrança excessiva
Geral
Marginal usa OLX para aplicar golpe com WhatsApp de anunciante
Fim de Semana
Gasolina será vendida a R$ 2,50 em dois postos da capital neste sábado
Cidade
Feirão do Imposto terá gasolina a R$ 2,50