Menu
Busca segunda, 13 de julho de 2020
(67) 99647-9098
Governo dengue 03 - tarde demais
Política

Segundo TCU, delegacia da PF de Ponta Porã é a mais deficiente da fronteira

23 fevereiro 2012 - 12h05Reprodução

Uma auditoria do Tribunal de Contas da União (TCU) avaliou os principais problemas nas delegacias da Polícia Federal localizadas nas fronteiras. A Delegacia de Ponta Porã, a 346 km de Campo Grande, é apontada como a mais precária entre as 26 unidades que ficam nas fronteiras do país. No prédio, a cerca elétrica e as fechaduras estão danificadas, os extintores vencidos, e a cela virou depósito de materiais, pois não havia espaço adequado para guardar produtos apreendidos.

O relatório do tribunal aponta ainda deficiências em tecnologia para investigar crimes, falta de equipamentos básicos e alta rotatividade do efetivo, que permanece em média apenas dois anos nas unidades. O Ministério da Justiça informou que o plano estratégico de fronteira vai possibilitar o investimento de R$ 37 milhões, em todo país, para o combate ao tráfico de entorpecentes. Mato Grosso do Sul está entre os estados que apresentam projeto para receber recursos.

Também está sendo avaliada a instalação de novas unidades da PF nas fronteiras. Já de acordo com a Polícia Federal, em 2012 haverá concurso para preencher 1,2 mil vagas em todo país. O TCU fez uma série de recomendações para que governo federal aumente o efetivo e melhore a infraestrutura para combater crimes. Para o relator da auditoria, a fragilidade na vigilância nas fronteiras traz consequências negativas ao país. "Com essa perspectiva de um aumento cada vez maior de entrada, no território brasileiro, de drogas e contrabando, isso vai trazer problemas sociais nos grandes centros urbanos", diz o ministro do tribunal, Aroldo Cedraz

Segundo a Federação Nacional dos Policiais Federais, as quatro delegacias de fronteira em Mato Grosso do Sul têm, em média, 45 policiais, entre delegados, peritos, agentes e escrivães. Eles trabalham na fiscalização, investigação e também no serviço de atendimento ao público. O número ideal, segundo o diretor da entidade, Naziazeno Florentino dos Santos, seria pelo menos 180 servidores. Via: G1/MS

PMCG Refis

Deixe seu Comentário

Leia Também

Política
PL exige formas alternativas de educação à alunos do ensino médio
Política
Hidroxicloroquina é tema de debate na Câmara
Política
Michelle Bolsonaro testa negativo para Covid-19
Política
Simone e Nelsinho avaliam como positiva escolha do novo ministro da Educação
Política
Movimento protesta contra Bolsonaro na Afonso Pena
Política
Alunos podem ter aferição de temperatura obrigatória na volta às aulas
Política
“Estou bem melhor”, diz Paulo Corrêa
Política
Na assembleia, Coronel David lamenta morte de PM
Política
Assembleia aprova estado de calamidade em Bodoquena, Bela Vista e Terenos
Política
Câmara aprova adicional de 40% a trabalhadores do combate ao coronavírus

Mais Lidas

Geral
Funsat encaminha mulheres vítimas de violência ao mercado de trabalho
Polícia
MP é contrário a liberdade de jovem que matou namorada em acidente
Brasil
Vídeo: ventania causa destruição em São Luiz
Polícia
Vídeo - PMA captura tamanduá-mirim entre chassi de carreta