Menu
Busca terça, 14 de julho de 2020
(67) 99647-9098
Governo dengue 03 - tarde demais
Política

Senado vota nesta manhã pedido de cassação do mandato de Demóstenes

11 julho 2012 - 10h05Reprodução

A sessão em que será votado o pedido de cassação do mandato do senador Demóstenes Torres (sem partido-GO) está marcada para as 10h de hoje (11), no plenário do Senado. Em decisão tomada ontem (10) pelos líderes dos partidos na Casa, todos os senadores poderão falar.

As galerias do plenário do Senado estarão abertas para a população e haverá distribuição de senhas, que serão partilhadas entre os partidos políticos com representação na Casa.

O primeiro orador será o relator do processo no Conselho de Ética do Senado, Humberto Costa (PT-PE), que fará a leitura do parecer aprovado pelo colegiado. Depois dele, vai falar Pedro Taques (PDT-MA), que relatou a matéria na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ). Os dois pareceres foram aprovados por unanimidade no conselho e na CCJ. Tanto Costa quanto Taques terão 20 minutos para leitura do relatório, tempo que poderá ser prorrogado por mais dez minutos.

Em seguida, começa a discussão do processo e a palavra será dada aos líderes de bancada, de partido político ou a qualquer senador que deseje se manifestar pelo tempo máximo de dez minutos. Após essa fase de discussão, falará por 20 minutos, prorrogáveis por mais dez, o senador Randolfe Rodrigues (AP), líder do PSOL, partido que apresentou a denúncia contra Demóstenes por quebra de decoro parlamentar ao Conselho de Ética.

Então, Demóstenes terá oportunidade de se defender, com direito ao mesmo tempo reservado a Randolfe Rodrigues. O senador poderá ser representado pelo seu advogado, mas, se ambos decidirem usar a palavra, o tempo será duplicado, 20 minutos para cada, também prorrogáveis por mais dez minutos.

Só depois da fala dos dois, é que terá início o processo de votação secreta.

O processo que pede a cassação do mandato de Demóstenes teve início após a divulgação de denúncias sobre as estreitas relações do senador com o empresário Carlos Augusto de Almeida Ramos, o Carlinhos Cachoeira, preso desde fevereiro sob a acusação de liderar uma rede criminosa de jogos ilegais e corrupção. Demóstenes, flagrado em várias gravações feitas pela pela Polícia Federal em conversas com Cachoeira, é acusado de ter colocado seu mandato a serviço do empresário.

Até hoje, o único senador cassado pelo Senado foi Luiz Estevão, do Distrito Federal, em 2000. Ele foi acusado de envolvimento no desvio de verbas públicas na construção do prédio do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) de São Paulo.

Em 2007, o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) chegou a ser julgado, mas foi absolvido.

Via Agência Brasil

Deixe seu Comentário

Leia Também

Política
PL exige formas alternativas de educação à alunos do ensino médio
Política
Hidroxicloroquina é tema de debate na Câmara
Política
Michelle Bolsonaro testa negativo para Covid-19
Política
Simone e Nelsinho avaliam como positiva escolha do novo ministro da Educação
Política
Movimento protesta contra Bolsonaro na Afonso Pena
Política
Alunos podem ter aferição de temperatura obrigatória na volta às aulas
Política
“Estou bem melhor”, diz Paulo Corrêa
Política
Na assembleia, Coronel David lamenta morte de PM
Política
Assembleia aprova estado de calamidade em Bodoquena, Bela Vista e Terenos
Política
Câmara aprova adicional de 40% a trabalhadores do combate ao coronavírus

Mais Lidas

Educação
Inscrições para o Prouni começam hoje
Oportunidade
Funtrab tem 225 vagas de emprego para atuar na capital; veja quais são
Brasil
“Bêbada de Curitiba” morre após luta contra o câncer
Brasil
Famoso por velar a mãe sozinho, José morre queimado