Menu
Busca sábado, 18 de janeiro de 2020
(67) 99647-9098
Perkal Topo - janeiro-20
Política

TSE mantém Pedro Chaves na suplência de Delcídio por 4x3

02 outubro 2010 - 07h38
Por quatro votos favoráveis sob três contrários, o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) manteve a candidatura do professor Pedro Chaves dos Santos Filho (PSC) como 1º suplente do senador Delcídio do Amaral (PT), em julgamento realizado ontem a noite. Como já tinha acontecido no TRE/MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul), que aprovou o registro da candidatura por seis votos a zero, a maioria dos ministros do TSE decidiu que não havia necessidade de Pedro Chaves se desincompatibilizar de suas funções na Junta Interventora da Santa Casa de Campo Grande, fato que estava sendo questionado pelo MPE (Ministério Público Eleitoral) ao propor a impugnação da candidatura. Delcídio comemorou a decisão e informou que o primeiro suplente é um homem de bem, sério e uma verdadeira referência na área de educação em Mato Grosso do Sul. Para o senador, Pedro Chaves e a professora Zonir Tetila, que é a segunda suplente, vão trabalhar ao seu lado na elaboração e execução de projetos nas áreas de educação, saúde, qualificação profissional e assistência social. O senador estava em Brasília desde segunda-feira acompanhando a tramitação do processo no TSE. Ele retorna a Campo Grande amanhã e segue para Corumbá onde vota no domingo, às 9h, na Igreja da Assembleia de Deus, no Centro da cidade. Pedro Chaves acompanhou o julgamento do TSE em Brasília (DF) e estava esperançoso quanto à decisão favorável à manutenção de sua candidatura. “Quando aceitei o convite para a suplência tinha a convicção de que não haveria qualquer problema. A gestão dos recursos repassados pelo Ministério da Saúde à Santa Casa é feita através de contrato com cláusulas uniformes, no qual não se pode interferir”, explica. O primeiro suplente de Delcídio ainda reforça que o MPE tinha um entendimento diferente, questionando sua candidatura junto ao TRE e ao TSE, quando a ministra Carmem Lúcia, em decisão monocrática, indeferiu o pedido. Mas a maioria do plenário confirmou jurisprudência do próprio Tribunal Superior Eleitoral ao se manifestar anteriormente em casos semelhantes e cassou a decisão da ministra. Votaram a favor da manutenção da suplência de Pedro Chaves os ministros Marco Aurélio Mello, Marcelo Ribeiro, Arnaldo Versiani e Ricardo Lewandowski. Os votos contrários foram dos ministros Aldir Passarinho, Hamilton Carvalhido e Carmem Lúcia. Fonte: CG News

Deixe seu Comentário

Leia Também

Política
Bolsonaro anuncia aumento de 12% no salário do professor do ensino básico
Política
Após declarações nazistas, Bolsonaro exonera Roberto Alvim
Política
Nelsinho avalia como "um passo a frente", entrada do Brasil na OCDE
Política
Sérgio de Paula desmente expulsão de Rose do PSDB
Política
"Aliança" fará encontro em fevereiro, na capital
Política
''Janela'' para vereadores começa em março
Política
Deputado do PSL defende assédio e polemiza: “Não sejamos hipócritas”
Política
Veja a previsão de líderes de partidos na Câmara dos Deputados em 2020
Política
Mandetta é primeiro em ranking de simpatia no congresso
Política
Zeca “tira os olhos” da capital e poderá disputar a prefeitura de Sidrolândia

Mais Lidas

Saúde
Narguilé mata mais que acidente de trânsito no Brasil, diz pneumologista
Justiça
Prazo de juiz de garantias pode mudar investigação de Flávio e Lulinha
Clima
Previsão é de chuva na capital com aviso do Inmet de perigo potencial
Cidade
Odilon Júnior participa de ato para regularização fundiária na “Favela do Linhão”