Menu
Busca quarta, 27 de janeiro de 2021
(67) 99647-9098
TJMS Janeiro/21 juizado de transito
Política

TSE mantém Pedro Chaves na suplência de Delcídio por 4x3

02 outubro 2010 - 07h38
Por quatro votos favoráveis sob três contrários, o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) manteve a candidatura do professor Pedro Chaves dos Santos Filho (PSC) como 1º suplente do senador Delcídio do Amaral (PT), em julgamento realizado ontem a noite. Como já tinha acontecido no TRE/MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul), que aprovou o registro da candidatura por seis votos a zero, a maioria dos ministros do TSE decidiu que não havia necessidade de Pedro Chaves se desincompatibilizar de suas funções na Junta Interventora da Santa Casa de Campo Grande, fato que estava sendo questionado pelo MPE (Ministério Público Eleitoral) ao propor a impugnação da candidatura. Delcídio comemorou a decisão e informou que o primeiro suplente é um homem de bem, sério e uma verdadeira referência na área de educação em Mato Grosso do Sul. Para o senador, Pedro Chaves e a professora Zonir Tetila, que é a segunda suplente, vão trabalhar ao seu lado na elaboração e execução de projetos nas áreas de educação, saúde, qualificação profissional e assistência social. O senador estava em Brasília desde segunda-feira acompanhando a tramitação do processo no TSE. Ele retorna a Campo Grande amanhã e segue para Corumbá onde vota no domingo, às 9h, na Igreja da Assembleia de Deus, no Centro da cidade. Pedro Chaves acompanhou o julgamento do TSE em Brasília (DF) e estava esperançoso quanto à decisão favorável à manutenção de sua candidatura. “Quando aceitei o convite para a suplência tinha a convicção de que não haveria qualquer problema. A gestão dos recursos repassados pelo Ministério da Saúde à Santa Casa é feita através de contrato com cláusulas uniformes, no qual não se pode interferir”, explica. O primeiro suplente de Delcídio ainda reforça que o MPE tinha um entendimento diferente, questionando sua candidatura junto ao TRE e ao TSE, quando a ministra Carmem Lúcia, em decisão monocrática, indeferiu o pedido. Mas a maioria do plenário confirmou jurisprudência do próprio Tribunal Superior Eleitoral ao se manifestar anteriormente em casos semelhantes e cassou a decisão da ministra. Votaram a favor da manutenção da suplência de Pedro Chaves os ministros Marco Aurélio Mello, Marcelo Ribeiro, Arnaldo Versiani e Ricardo Lewandowski. Os votos contrários foram dos ministros Aldir Passarinho, Hamilton Carvalhido e Carmem Lúcia. Fonte: CG News
senar janeiro21

Deixe seu Comentário

Leia Também

Política
Após liberação de vacinas, Bolsonaro vai à festa do Dia da Índia
Política
“Faz falta”, diz Mourão sobre diálogo com Bolsonaro
Política
Após assumir o governo, Paulo Corrêa vai percorrer três municípios
Política
Bolsonaro diz que governo é favorável à importação privada de vacinas
Política
Para tentar reeleição em 2022, Bolsonaro sinaliza filiação a novo partido
Política
“Não é aposentadoria”, diz Bolsonaro ao negar volta de auxílio emergencial
Política
Paulo Corrêa assume governo daqui a pouco
Política
Por mais vacinas, Bolsonaro participa de festa do Dia da República da Índia
Política
Bolsonaro quer renovação de auxílio emergencial
Política
Reinaldo Azambuja estará de férias nos próximos 10 dias

Mais Lidas

Polícia
Jacaré é capturado dando 'rolê' em cidade de MS
Internacional
Estados Unidos inicia vacinação contra a Covid-19 em Nova York
Polícia
Morador de rua tenta matar desafeto a pauladas no interior do Estado
Polícia
Briga por capacete acaba em tentativa de homicídio