Menu
Busca quarta, 28 de julho de 2021
(67) 99647-9098
Governo - covid atitudes
Política

Vereadores cobram repasse de recursos arrecadados com Flexpark para Assistência Social

26 junho 2011 - 04h41Assessoria

Audiência Pública realizada nesta quarta-feira (22), na Câmara de Vereadores de Campo Grande, abordou as supostas irregularidades dos serviços prestados pela empresa Flexpark que realiza a cobrança de estacionamento no Centro da cidade.

Segundo os vereadores, os recursos são repassados para a Agetran e agora, eles querem que seja cumprida a lei e cobram o repasse para a Secretaria de Assistência Social.

De acordo com a presidente da Comissão Permanente de Controle da Eficácia Legislativa da Câmara de Vereadores, vereadora Thais Helena, a Lei 2228, de 16 de outubro de 1984, que rege a cobrança dos serviços de estacionamento público preconiza que os recursos arrecadados sejam repassados a projetos sociais, à assistência social do município. Mas segundo a parlamentar, o dinheiro tem sido encaminhado para a Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito).

"Queremos mostrar que a Comissão está preocupada com o cumprimento das Leis no município. Se o Executivo não entrou com nenhuma ADIN em nenhum artigo da lei significa que tem de cumprida achar um denominador comum. A arrecadação tem de ser destinada à Secretaria de Assistência do Município", defendeu Paulo Pedra.

O gerente da empresa Flexpark, Elton Mendonça assegurou que não há cobrança além dos horários comerciais, segundo Mendonça, o que tem acontecido é que "alguns usuários por não observar o fechamento dos paquímetros ocupam vagas muitas vezes faltando meio hora para encerrar o serviço. Colocam créditos de uma hora, por exemplo, quando faltam apenas 15 minutos para fechar os paquímetros, impossibilitando resgatar o tempo colocado", disse o gerente da Flexpark.

Para o diretor da Agetran, Rudel Trindade Junior, os serviços de estacionamento público oferecido na Capital é um dos melhores do país. "O sistema de paquímetro em Campo Grande é bom, é sistema diferenciado, justo em que a pessoa paga só o tempo que fica, nós estamos caminhando para o aperfeiçoamento", disse Rudel.

A Comissão Permanente de Controle da Eficácia Legislativa da Câmara Municipal de Campo Grande é composta pelos vereadores Thais Helena (presidente), Paulo Pedra (vice-presidente), Grazielle Machado (membro).

À reunião pública compareceram o secretário municipal de Governo e Relações Institucionais, Rodrigo de Paula Aquino, o procurador do município Valdeci B. da Silva, e os vereadores Marcos Alex (PT), Paulo Pedra (PDT), Carlão(PSB), Thais Helena (PT), Vanderlei Cabeludo (PMDB), Flavio César (PT do B), e Paulo Siufi (PMDB).

Vai di Vinho

Deixe seu Comentário

Leia Também

Educação
"Parar de contar mortos, e contar alunos voltando" dispara Riedel 
Política
Ciro Nogueira aceita convite de Bolsonaro e será o novo ministro da Casa Civil
Política
“Atrapalha, mas tem que aturar”, diz Bolsonaro sobre Mourão
Política
Reunião de senador com Bolsonaro é adiada por problema em avião
Política
Bolsonaro diz que menos pessoas morreriam se ele estivesse coordenando a pandemia
Política
Reinaldo e Marquinhos repassam recursos para habitação da Capital nesta segunda
Política
Eleições 2022: Bolsonaro diz que filiação ao PP é uma possibilidade
Política
Bolsonaro defende tratamento precoce e critica 'Protocolo Mandetta'
Política
Escola na área rural de Caracol passará por reforma pelo 'Governo Presente'
Política
Com receita de R$ 18,47 bilhões, governador sanciona LDO para 2022

Mais Lidas

Polícia
Homem enforca familiar após piada com derrota do São Paulo para o Flamengo
Polícia
Nem após cometer suicídio jovem escapa de assalto no Jardim Noroeste
Cidade
Foi selecionado? Prefeitura convoca aprovados em dois processos
Geral
Homem fuma maconha, escala montanha e cai de altura de 12 metros; veja vídeo