Menu
Busca segunda, 10 de maio de 2021
(67) 99647-9098
Gov_MS-Cresce_Maio21
Saúde

Alimentar pombos está proibido em Campo Grande

A lei foi sancionada pelo prefeito e divulgada no Diário Oficial de Campo Grande

21 janeiro 2019 - 11h16Da redação

Está proibido alimentar pombos em Campo Grande. A lei elaborada pelo vereador veterinário Francisco, foi sancionada pela prefeitura e publicada no Diário Oficial de Campo Grande (Diogrande) desta segunda-feira (21). 

De acordo com o texto da lei complementar n°345/19, fica proibido que qualquer indivíduo promova a alimentação de pombos urbanos, em especial nos espaços ou prédios públicos, e imóveis em geral, assim como manter abrigo para alojamento dessas aves. Ainda segundo a lei, os espaços ou prédios públicos, e os imóveis em geral, infestados por pombos deverão dispor de meios eficazes para a desocupação.

Para o parlamentar é essencial que os animais fique longe das escolas e unidades de saúde. “O pombo é considerado um animal sinantrópicos, relacionado entre outros como a barata, moscas, escorpiões e animais peçonhentos”.

O parlamentar lembra um estudo realizado na capital apontou que em três municipais havia a infestação do fungo criptococose, que ataca, especialmente, pessoas com sistema imunológico comprometido. Esse estudo é fruto do projeto de mestrado “Investigação de Cryptococcus no ambiente escolar em Campo Grande/MS”, no programa de Doenças Infecciosas e Parasitárias da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul).

Segundo o vereador, o hábito de fornecer alimentos para pombos acarreta o desequilíbrio populacional, com proliferação excessiva dessas aves, gerando riscos à saúde das pessoas e, desencadeando problemas para o meio ambiente. “Mais de 70 doenças são transmitidas pelo pombo como salmonelose, a criptococose (que pode evoluir para uma meningite) e até toxoplasmose. Um casal de pombos (o animal é monogâmico) pode se reproduzir de três a cinco vezes por ano, com dois ovos cada vez. Além disso, com seis meses o pombo já é ativo sexualmente. Ou seja, um único casal de pombos pode gerar de 12 a 18 descendentes por ano”, explica o parlamentar.

Com a sanção da Lei, quem for pego alimentando os pombos ou mantendo abrigo ou e alojamento para essa ave sofrerá as penalidades estabelecidas para as infrações de natureza sanitária prevista neste código.

 

Girafa

Deixe seu Comentário

Leia Também

Saúde
Com mais 38 óbitos em 24h, MS passa a marca de 6 mil mortes por covid-19
Saúde
Parque Ayrton Senna não terá vacinação contra covid-19 neste domingo
Saúde
Segunda etapa da vacinação contra gripe começa na terça
Brasil
Nova variante do coronavírus é identificada no Brasil
Saúde
Segunda dose da Coronavac de 21 de abril, será amanhã
Saúde
Das 29 vítimas de covid deste sábado, nove eram obesas
Saúde
Neste sábado: escala médica conta com 15 pediatras de manhã e de tarde e 22 à noite
Saúde
Covid: Confira quem pode se vacinar neste sábado
Saúde
Quase 20% das mortes por Covid em MS são de pacientes sem comorbidades
Saúde
Covid: Brasil apoia negociações de quebra de patentes de vacinas

Mais Lidas

Polícia
Jacaré é capturado dando 'rolê' em cidade de MS
Internacional
Estados Unidos inicia vacinação contra a Covid-19 em Nova York
Polícia
Morador de rua tenta matar desafeto a pauladas no interior do Estado
Polícia
Briga por capacete acaba em tentativa de homicídio