Menu
Busca quinta, 21 de fevereiro de 2019
(67) 99647-9098
Saúde

Campanha estimula jovens a se consultarem com urologistas

Campanha foca em orientações especializadas para jovens de 15 a 19 anos

16 setembro 2018 - 08h38Da redação

A Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) promove neste mês a Campanha “Vem Pro Uro”, com foco em orientações para adolescentes. O objetivo é orientar os pais a levar os jovens de 15 a 19 anos de idade a médicos especialistas.

Diferentemente das meninas, que na maioria, desde a adolescência vão ao ginecologista e criam o hábito de ir ao médico, os meninos, da mesma faixa etária, não têm o mesmo hábito de buscar orientação médica.

O coordenador da campanha, Daniel Suslik Zylbersztejn, membro do Departamento de Sexualidade e Reprodução da SBU, destaca que a necessidade é orientar os rapazes, pois problemas que acometem os adolescentes podem causar transtornos no futuro, como infertilidade, por exemplo.

“É preciso que os adolescentes vejam o urologista como o médico que vai segui-los durante muitos anos à frente e não só como o médico do homem dos 45 anos a 50 anos de idade", disse, ressaltando que os homens procuram o profissional na fase adulta para o exame de toque retal que evita o câncer de próstata. “[O homem] Fica sem ninguém; vai a um urologista por algum problema geniturinário específico, mas não tem o seu médico de referência”, destacou Zylbersztejn.

Para o médico, a ida ao urologista desde a adolescência pode ajudar a tirar dúvidas sobre sexualidade, e evitar doenças, como a varicocele, que é uma dilatação dos vasos do testículo que pode levar a uma redução da produção de espermatozoides e, no futuro, até causar infertilidade. Caso o problema seja identificado já adolescência, pode ser tratado com sucesso.

Campanha

A campanha tem duas fases. A primeira para mostrar a importância de o homem ir ao médico em todas as idades, inclusive na adolescência. A segunda etapa prevê que a formação dos urologistas dêem mais espaço na saúde do adolescente. “A meta é inserir essa ideia nos planos de residência médica”, disse o especialista.

Daniel Zylbersztejn a preocupação é a mesma em países desenvolvidos, como os Estados Unidos. “A parte da população masculina menos privilegiada medicamente falando é a parte masculina da adolescência. Os outros países têm também essa dificuldade”.

O urologista recomendou ainda que os pais acompanhem os filhos nas consultas médicas, dando-lhes espaço em algum momento para tirarem dúvidas com o especialista.

A SBU desenvolveu um site com esclarecimentos sobre doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), drogas, prevenção à gravidez, ejaculação precoce, puberdade e outros temas.

Sesc Novo

Deixe seu Comentário

Leia Também

Saúde
Nesta quinta, duas UPAs tem atendimento completo durante o dia
Saúde
Confira a escala médica desta quarta-feira para as UPAS e CRS
Saúde
Vídeo: Marquinhos faz um "raio X" da saúde na capital
Saúde
Prefeitura convoca 130 médicos na capital
Saúde
Nesta terça-feira, três UPAs têm plantão pediátrico na cidade
Saúde
Jardim recebe a "Carreta da Saúde" nesta quarta-feira
Política
Audiência debate atendimento em horário estendido em UBS's
Saúde
Nesta segunda, duas UPAs têm atendimento completo na capital
Saúde
Ministério da Saúde alerta para vacinação contra HPV em adolescentes
Saúde
Câncer de ovário tem sintomas discretos e pode evoluir rapidamente

Mais Lidas

Polícia
Depois de sair de festa, jovem morre ao capotar veículo no centro
Cidade
Evite ser multado, saiba onde estão os radares nas ruas da capital
Polícia
Dupla em motocicleta atira e acerta rosto de policial, na fronteira
Cidade
Prefeitura convoca aprovados em processo seletivo para merendeiro