Menu
Busca sábado, 24 de setembro de 2022
(67) 99647-9098
SESI - FAZ PELA INDÚSTRIA E POR VOCÊ
Saúde

'Estamos caminhando para o fim da pandemia', diz Júlio Croda

Pesquisador afirma que a vacinação fez imunidade coletiva avançar

23 fevereiro 2022 - 14h11Taynara Menezes

O infectologista Julio Croda, pesquisador da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), aponta que "estamos caminhando para o fim da pandemia" e que acredita que a doença vai entrar numa fase endêmica, "com períodos sazonais epidêmicos, como já acontece com a gripe e a dengue, por exemplo" afirmou o especialista em uma entrevista ao jornal O Globo.

Croda atribui a mudança de patamar ao avanço da imunidade coletiva da população mundial, ressaltando que isso ocorreu em razão da vacinação e não da infecção. "Ela [vacinação] foi a grande mudança de paradigma, que reduziu a letalidade da covid-19 de um número 20 vezes maior que o da influenza para duas vezes maior, nesse momento." afirma.

O infectologista ainda destacaou que o vírus só vai matar menos se tiver alta cobertura vacinal. "As pessoas que morrem, atualmente, fazem parte de três grupos: idosos muito extremos mesmo vacinados, pessoas com muita comorbidade e pessoas não vacinadas. À medida que avançamos na vacinação, a tendência é reduzir essa letalidade. Foi assim com a influenza H1N1, quando surgiu a pandemia em 2009. Partimos de uma letalidade de 6% e isso foi reduzido para 0" pontua.

Em relação a nova variante ômicron, Júlio cita os países europeus que já promoveram flexibilizações e muitos deixaram de exigir o uso da máscara."A Europa já está caminhando nesse sentido porque tem mais de 50% da população com três doses e mais de 70%,80% com duas doses. No esquema da ômicron, três doses é o esquema básico de vacinação."

No Brasil, ele acredita que ainda no primeiro semestre haja uma situação mais favorável, "O número de hospitalizações e óbitos é que vai determinar o impacto sobre o serviço de saúde".

Ainda segundo O Globo, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse que pretende "acabar com o caráter pandêmico" da covid-19. "O Brasil já estuda esse tipo de iniciativa", afirmou ele, durante evento de lançamento da vacina da AstraZeneca de produção totalmente nacional pela Fiocruz.

O governo avalia o cenário epidemiológico e o impacto da mudança de status da doença no Brasil. "Passar da pandemia para a endemia não significa que a gente não vai ter o impacto da covid-19 em termos de hospitalização e óbito. Significa que esse impacto vai ser menor a ponto de não ser necessário medidas restritivas tão radicais e eventualmente até a liberação do uso de máscaras, que é uma medida protetiva individual", explicou Croda.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Saúde
Confira a escala médica deste sábado na Capital
Saúde
MS tem 87 casos confirmados de varíola dos macacos
Saúde
Semana encerra com escala completa de clínico geral nas unidades de saúde
Saúde
Mortes por Covid continuam diminuindo em todo o mundo, aponta OMS
Saúde
Brasil registra menor média móvel de mortes de Covid em 2022
Saúde
Bolsonaro sanciona lei que acaba com rol taxativo da ANS
Saúde
Em 21 dias, setembro registra o mesmo número de casos de Monkeypox que agosto
Saúde
Capital cai no ranking da dengue do Estado
Saúde
Brasil corre risco de retorno da poliomielite, alerta Opas
Saúde
Dia Mundial do Alzeheimer: Casos têm aumentado no mundo todo

Mais Lidas

Geral
Saiba quem vai disputar lista sêxtupla da OAB
Polícia
Autor de feminicídio no Jardim Corcovado provocou grave acidente na BR-163
Polícia
JD1TV: Ex-marido esfaqueia mulher até a morte no Jardim Corcovado
Polícia
Mulher quase teve pescoço decepado por ex-marido no Corcovado