Menu
Busca sexta, 29 de maio de 2020
(67) 99647-9098
Saúde

Gripe já matou 99 pessoas no Brasil; vacinação segue até 31 de maio

O novo boletim epidemiológico revela que o vírus H1N1 é predominante no país

10 maio 2019 - 13h30Graziella Almeida com informações da Agência Brasil

Até 27 de abril, pelo menos 535 pessoas foram hospitalizadas este ano no Brasil por síndrome respiratória aguda grave causada por influenza e 99 morreram em decorrência do quadro.

De acordo com o Ministério da Saúde, do total de óbitos, 90% ocorreram em pessoas que já apresentavam fatores de risco para a gripe, como idosos, pacientes com doença crônica, crianças, gestantes, indígenas e puérperas.

O novo boletim epidemiológico revela que o vírus H1N1 é predominante no país, até o momento, e responsável pela maior parte das mortes por influenza – sozinho, ele responde por 254 casos e 89 óbitos. Foram identificados ainda 54 casos de influenza A (H3N2); 38 de influenza A não subtipado; e 62 casos de influenza B. Outros 127 casos, segundo a pasta, ainda não tiveram o subtipo identificado.

Ainda de acordo com o levantamento, nos primeiros meses de 2019, a circulação de vírus do tipo influenza se deu com maior intensidade e de forma localizada no Amazonas, que registrou 139 casos e 35 óbitos. O estado de São Paulo também se destaca, com 107 casos e 7 óbitos.

Outros estados registraram mortes são: Paraná (11); Pará (7); Espírito Santo (6); Tocantins (5); Rio Grande do Norte (4); Ceará (3); Rondônia (3); Acre (2); Alagoas (2); Sergipe (2); Rio de Janeiro (2); Santa Catarina (2); Mato Grosso do Sul (2); Amapá (1); Bahia (1); Minas Gerais (1); Rio Grande do Sul (1); Mato Grosso do Sul (1), além do Distrito Federal (1).

Campanha

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza começou no dia 10 de abril e segue até 31 de maio em todo o país. Devem receber a dose trabalhadores da saúde; indígenas; idosos; professores; pessoas com doenças crônicas e outras categorias de risco clínico; população privada de liberdade, incluindo jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas; funcionários do sistema prisional; e profissionais das forças de segurança e salvamento.

O último balanço da vacinação mostra que, até a última terça-feira (7), 45,3% da população prioritária havia sido imunizada. Entre os grupos, as puérperas registraram maior cobertura vacinal (64,3%), seguido por idosos (52,5%), gestantes (51,2%), crianças (48%) e indígenas (45,1%).

Os grupos que menos se vacinaram foram profissionais das forças de segurança e salvamento (10,9%), população privada de liberdade (11,9%), pessoas com comorbidades (34,3%), funcionários do sistema prisional (35,8%), trabalhadores de saúde (40,3%) e professores (41,2%).

Deixe seu Comentário

Leia Também

Saúde
Com sanção do presidente, “MS receberá 1,1 bilhão de ajuda federal”, diz Riedel
Saúde
“Prefeitura fará barreiras sanitárias surpresa”, afirma Marquinhos
Saúde
Coronavírus - MS registra 76 novos casos; sobe o número de internados
Saúde
Nelsinho marca reunião com chanceler para debater sobre vacina do coronavírus
Saúde
Sem casos confirmados, Aquidauana tem um novo suspeito de coronavirus
Saúde
José Mauro defende prevenção enquanto não houver vacina contra coronavírus
Saúde
Com morte e 86 novas confirmações, MS registra 1.186 casos de coronavírus
Saúde
Barreiras sanitárias abordaram mais de 8 mil pessoas na capital
Saúde
Três UPA's atendem com pediatras nesta manhã de quarta-feira
Saúde
Idosa de 78 anos é a 18ª vítima fatal de coronavírus no MS

Mais Lidas

Polícia
Jovem é executado durante partida de futebol
Economia
Compras com auxílio emergencial poderão ser pagas via celular
Cidade
Prefeitura da capital realiza sorteio de apartamentos nesta sexta
Política
Paulo Corrêa tem melhor avaliação na Assembleia, diz pesquisa