Menu
Busca domingo, 24 de maio de 2020
(67) 99647-9098
TJ MS maio20
Saúde

Ibuprofeno e cetoprofeno podem agravar infecções

Alerta foi feito por agência de medicamentos da França

21 abril 2019 - 09h47Joilson Francelino, com informações da Agência Brasil

A Agência Nacional de Segurança do Medicamento e dos Produtos de Saúde (ANSM) da França fez uma advertência sobre os riscos do uso das substâncias ibuprofeno e cetoprofeno – medicamentos com função analgésica, antitérmica e anti-inflamatória muito usados no Brasil, indicados para casos de dores musculares, de cabeça, de garganta e de dente e até mesmo cólica menstrual.

De acordo com a advertência da agência, esses medicamentos podem agravar infecções durante o tratamento. As recomendações feitas pela entidade serão analisadas por agências similares de outros países integrantes da União Europeia.

Por meio de um porta-voz, a ANSM explicou que as autorizações dos medicamentos são feitas para toda a Europa, e não apenas para França. Em junho do ano passado, a entidade abriu uma investigação farmacológica encomendada aos seus centros de Tours e Marselha.

Na quinta-feira (18), a agência emitiu uma série de recomendações, entre as quais a de dar preferência ao uso do paracetamol, em vez do ibuprofeno e do cetoprofeno, em caso de dor ou febre, sobretudo em casos de infecção como anginas, rinofaringites, otites, tosse, infeção pulmonar, assim como lesões cutâneas ou varicela.

A Agência Nacional de Segurança do Medicamento e dos Produtos de Saúde sugere dosagens mínimas e eficazes desses medicamentos, durante o menor tempo possível – interrompendo o tratamento assim que o sintoma desaparecer. Sugere, ainda, que o tratamento não dure mais de três dias, em caso de febre, nem mais de cinco dias, em caso de dor.

As recomendações decorrem de um estudo encomendado em junho de 2018 aos centros regionais da ANSM de Tours e Marselha, segundo qual existem infecções que podem ser agravadas com o uso do medicamento.

Foram analisados 337 casos de complicações infecciosas graves com ibuprofeno e 49 com cetoprofeno e que estiveram na origem de hospitalizações, sequelas e até mesmo morte.

Os casos foram estudados ao longo de um período prolongado, que começou no ano 2000.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Saúde
Secretário de vigilância pede demissão do Ministério da Saúde
Saúde
Ministro do STF, Toffoli, tem sinais de infecção do coronavírus
Saúde
Com 66 novos casos, MS totaliza 924 confirmados com coronavírus
Saúde
Confira onde 23 pediatras atenderão nesta manhã de sábado
Saúde
Vacina chinesa para a Covid-19 tem resultados iniciais seguros e induz a resposta imunológica em humanos
Saúde
Governo divulga lista dos 42 hospitais de MS que receberão R$ 3 milhões para combate ao coronavírus
Saúde
Coronavírus: saiba quais os estados mais e menos afetados
Saúde
Naviraí irá implantar mais 5 cinco leitos de UTIs exclusivos para o coronavírus
Saúde
MS registra 53 novos casos de coronavírus, quase metade em Guia Lopes da Laguna
Saúde
Aos 100 anos, veterano da 2ª Guerra Mundial vence coronavírus

Mais Lidas

Polícia
Passageira trans diz ter sido puxada pelos cabelos e chama motorista de covarde
Polícia
Homem é preso com quase 400 kg de maconha que iriam para São Paulo
Polícia
Assessor de Trump diz que EUA devem barrar voos do Brasil
Saúde
Secretário de vigilância pede demissão do Ministério da Saúde