Menu
Busca quarta, 22 de maio de 2019
(67) 99647-9098
Tecnologia

Leilões virtuais possibilitam economia de até 90%

05 setembro 2011 - 08h30Divulgação

Em vez de levantar a mão, basta dar um clique no mouse. A nova mania em modalidade de compras virtuais são os leilões. Além de adquirir produtos de maneira fácil e cômoda, é possível encontrar artigos raros (semi-novos ou usados) ou que não estão à venda na região onde você mora e arrematá-los por preços inimagináveis.

O fotógrafo Otávio Augusto achou, por meio do site de leilão on-line e-Bay, uma câmera fotográfica que, na época, ainda não estava disponível no Brasil. Comprou "a preço de banana", por apenas US$ 150,00. "Havia tempos que já estava procurando e ia até pedir para um amigo que iria viajar ao exterior para trazê-la para mim, mas ainda estava muito cara – cerca de US$ 500,00 – e então achei no site de leilão. Dei meu lance e o vendedor, um fotógrafo que não tinha se acostumado com a máquina, aceitou".

Em casos como esse de compras internacionais, o site é apenas uma plataforma de suporte para a venda. Depois de selecionado o produto e aprovada a compra, a comunicação é feita diretamente entre o vendedor e o comprador. Com isso, é preciso lembrar que a comunicação muitas vezes será feita em outro idioma, provavelmente em inglês. "Tive sorte de achar um vendedor americano, porque eu falo inglês. Fico imaginando como seria se o vendedor fosse russo", conta Augusto, aliviado.

Fechado o lance, é preciso acertar os detalhes como data de pagamento, data e forma de envio do produto, além da forma de pagamento que pode ser feito on-line ou por meio de depósitos, de acordo com as regras do site ou preferência do vendedor. "O pagamento da câmera foi feito em dólar, com o meu cartão de crédito. Foi simples, mas porque eu tinha um cartão válido internacionalmente. Tive também que pagar uma taxa extra pela entrega, mas ainda assim valeu muito a pena, principalmente porque o dólar estava em baixa. Em 20 dias, o produto chegou em minha casa".

Para comprar em sites de leilão internacionais é preciso estar ciente de que o prazo de entrega é maior do que compras em sites nacionais. Vale também considerar custos extras como a taxa de importação – 60% sobre o valor do produto – cobrada pela Receita Federal para produtos acima de US$ 50,00.

Opção nacional

Influenciados pela tendência de mercado que surgiu na Alemanha, sites brasileiros também entraram na onda do leilão virtual. A mecânica é simples: basta entrar no site, procurar pelo produto desejado, checar quando acontecerá o leilão do produto – a data e tempo de duração são definidos pelo vendedor em comunhão com o site – e arrematar o item que podem ultrapassar 90% de desconto.

No caso do site de leilões virtuais Sold, é necessário que se faça um cadastro solicitando o direito de participar do leilão. "Esse processo deve ser feito em nome de uma pessoa física ou jurídica e a autorização é dada ou não de acordo com o perfil do cliente. São exigidos dados como CPF, identidade e endereço do comprador", explica Henri Zylberstajn, um dos sócios do Sold. E o filtro não pára por aí. "A cada novo produto leiloado, analisamos o histórico de pagamentos do comprados no site para garantir a segurança do vendedor e do comprador", completa.

Feito o cadastro, é só dar o lance dentro do tempo determinado e contar com a sorte. Assim que é declarado vencedor do leilão, o comprador recebe um e-mail ou uma ligação da área de cobrança. "O pagamento deve ser feito 100% à vista, por meio de depósito em conta corrente", diz Zylberstajn. Além do custo proposto no lance vencedor será cobrada uma comissão de 5% sobre o valor total do arremate.

No caso do site Sold, segundo Zylberstajn, a responsabilidade de retirada é sempre de quem compra e os lances são irrevogáveis e irretratáveis. Ou seja, o comprador não poderá desistir ou reclamar da compra.

Seus direitos

De acordo com Victor Haikal, advogado especialista em direito digital do PPP Advogados, em casos como esse, em que o site de leilões funciona apenas como intermediador da compra, as reclamações não devem ser feitas aos responsáveis pelo leilão, mas ainda assim os direitos do consumidor estão garantidos. "Caso haja algum problema com o produto, a reclamação deve ser feita diretamente com o vendedor. O consumidor tem direito à indenização caso o produto entregue não seja condizente com o que foi oferecido", explica.

Para evitar problemas, é preciso estar ciente de seus direitos e tomar certos cuidados, como escolher sites de confiança para dar seus lances e efetuar suas compras. "É bom prestar atenção, ver as qualificações, o que se fala sobre o site. E, antes de tomar a decisão da compra, leia com atenção os regulamentos do leilão", orienta Haikal.

É importante também lembrar que, em casos de compra em sites de leilão internacional, o consumidor deve estar atento às leis do país de origem do vendedor do produto, que são diferentes das leis no Brasil. "As leis de direito do consumidor nacionais não são válidas no exterior, principalmente em compra e venda feita por pessoa física", conta Haikal.

Fac Feijoada 2019

Deixe seu Comentário

Leia Também

Tecnologia
Google suspende parte de acesso da Huawei ao Android
Tecnologia
Google anuncia realidade aumentada nas buscas
Tecnologia
Acadêmico da UFMS realiza campanha para levar projeto de engenharia para o Japão
Tecnologia
WhatsApp cria nova regra de privacidade para entrada em grupos
Tecnologia
Investimento de R$ 200 mil garante digitalização da Educativa 104.7 FM
Tecnologia
WhatsApp, Instagram e Menssenger podem ser unificados
Tecnologia
TV fechada registra queda de 0,8% no número de assinantes em 2019

Mais Lidas

Internacional
Peão de MS vence rodeio nos EUA
Economia
No “Dia Livre de Impostos”, capital terá cerveja com metade do preço
Polícia
Com quatro tiros na cabeça, adolescente morre em escola
Polícia
Operação no camelódromo termina com um preso e motos apreendidas