Menu
Busca sexta, 07 de agosto de 2020
(67) 99647-9098
Tecnologia

Sistema criado em MS permite usar iPad em viaturas policiais

20 abril 2011 - 10h05Divulgação
O iPad, o tablet da Apple que virou a sensação dos entusiastas de tecnologia e tornou-se um equipamento prático para acessar a internet, ver fotos e até mesmo rodar jogos, agora começará a ser utilizado como ferramenta de gestão publica para fins muito mais sérios e essenciais, atendendo ao cidadão e combatendo a criminalidade.

A CompNet, empresa de Campo Grande especializada em soluções sistêmicas para a área criminal e defesa civil, dona do Sgo – Sistema Integrado de Gestão Operacional, lançou durante a LAAD (Latin America Aerospace and Defence), maior e mais importante feira de defesa e segurança, que aconteceu no Rio de Janeiro, semana passada, um módulo que permite embarcar o iPad em viaturas da Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiro, Guarda Municipal, SAMU e Defesa Civil e conectá-los em tempo real aos Centros Integrados de Operações (CIOPs) ou salas de situação e controle.

Suas dimensões maximizadas e a forma de fixação constituída por um conjunto de ventosas com várias regulagens, especialmente construída para esse fim, evita danos estruturais e modificações nas especificações técnicas das viaturas e o torna ideal para todos os modelos de veículos usados por esses órgãos. A mobilidade foi cuidadosamente planejada. O policial ou o agente ao chegar ao local do fato pode destacar o iPad de seu suporte e usá-lo como uma prancheta de entrada de dados.

Com a conexão 3G, todo o trabalho exigido a campo pode ser feito no local da ocorrência sem perda de tempo ou retrabalho. Desde o preenchimento do boletim de ocorrência até as consultas a dados individuais, como foto, mandados de prisões e a veículos roubados ou furtados, tudo pode ser feito com muita agilidade, chegando a reduzir, em alguns casos, até 60% do tempo de atendimento.

Isso se da pela tecnologia desenvolvida pela CompNet e embarcada no iPad, todo o processo desde o atendimento ao 190/192/193 até a entrega da melhor rota com todas as informações referente a ocorrência são disponibilizada de forma automática na tela do iPad na viatura, sem qualquer intervenção dos operadores.

Levando em consideração que um dos principais gargalos dos centros de operações é o uso intensivo de comunicações via rádios com informações complementares com indicações de endereçamento, referências e outras trocas de informações, o SIGO/iPad vem resolver o problema.

O Sigo, que já é utilizado em Mato Grosso do Sul, Acre, Maranhão, e está em processo de implantação em outros dois estados brasileiros e em fase de negociação em mais dois países na África e América Central, é o único sistema do gênero no país e cria uma grande rede de informações criminais integrando todas as corporações de segurança em tempo real e em um único banco de dados.

Trata-se de um sistema de coleta, tratamento e convergência das operações e informações das Polícias Militar, Civil, Técnica e Científica, Bombeiro Militar, Guarda Municipal, Defesa Civil, Samu, Poder Judiciário, Penitenciarias e Centros de Atendimentos Emergenciais. Ele adota normas e práticas operacionais que mudam a maneira como são conduzidos os procedimentos, interligando-os e unificando-os de ponta a ponta.

Na prática, o novo módulo criado para o Sigo permite que a viatura tenha acesso a todos esses dados, em tempo real, diretamente no iPad onde o policial ou agente estiver.

Mas a grande vantagem da adoção do iPad embarcado nas viaturas é que a central que envia as ocorrências para os policiais sequer precisa utilizar o rádio ou telefone. O atendente do 190/192/193 tem, em uma tela de computador, a geolocalização exata de cada viatura e todo procedimento de empenho acontece de forma automática.

Na central, assim que o atendente recebe um chamado (190, 192 ou 193) identifica o fato, evolvidos e sua localidade, o Sigo já mostra para o despachante as viaturas ou agentes mais próximos e com um simples click ele empenha e acompanha visualmente o desenrolar do atendimento como, por exemplo, o acompanhamento georreferenciado em tempo real da viatura, quanto tempo ela vai demorar a chegar ao local, quantas viaturas e quais as forças estão empenhadas naquela ocorrência e muito mais.

Na viatura empenhada, o agente recebe o local exato, orientado por GPS e mapa, e todos os detalhes da ocorrência, inclusive inserir informações para fechamento do boletim de ocorrência. Somente esse procedimento pode trazer no geral uma economia de até 60%, calculo baseado no empenho eficaz de toda infra-estrutura como efetivo, viaturas, combustível e o mais importante reduzindo o tempo de atendimento ao cidadão.

Segundo Adriano Chiarapa, criador do Sigo, dezenas de opções de equipamentos foram testadas para equipar as viaturas e a melhor opção, do ponto de vista técnico e econômico, foi o iPad. A versão escolhida é a que traz conexão 3G e GPS, o que permite ao policial acessar os dados em qualquer lugar da cidade que tenha sinal de celular.

O equipamento é acoplado a um suporte especial que dá não só melhor sustentabilidade, mas que também o protege dos manuseios bruscos. Uma película feita em plástico especial torna a tela ainda mais resistente, sem perder a facilidade do touch screen. “Existem equipamentos para esse segmento dez vezes mais caros, cinco vezes mais pesados e que têm o triplo do tamanho do iPad. Outro atrativo é sua configuração, que conta com GPS, conectividade 3G e tela de 9,6” colorida e de alta definição num único e elaborado monobloco de alumínio”, explica Chiarapa.

Vacinne

Deixe seu Comentário

Mais Lidas

Cidade
Após demissões e terceirização, sindicato protesta contra Energisa
Geral
Colisão entre moto e caminhonete mata casal na Lúdio Martins Coelho
Polícia
PRF apreende 105,25 Kg de maconha e skunk em Ponta Porã
Justiça
Juiz barra presença de vereador em reunião de conciliação