Menu
Busca terça, 19 de março de 2019
(67) 99647-9098
Turismo

Ministros defendem parcerias contra crimes ambientais na fronteira

24 maio 2011 - 08h58Assessoria

Os ministros Ideli Salvatti (Pesca e Aquicultura) e Pedro Novais (Turismo), que estão na Capital para o lançamento das obras do Aquário do Pantanal, conheceram o trabalho da Polícia Militar Ambiental (PMA) e defenderam parceria na fiscalização contra crimes ambientais. Acompanhados do governador André Puccinelli, os ministros visitaram a sede da PMA, instituição para a qual foi adquirida, em conjunto entre o governo estadual e o Ministério da Pesca, uma lancha destinada à fiscalização fluvial na região fronteiriça.

No encontro, o governador ainda apresentou aos titulares dos dois ministérios e ao coordenador do Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia - do Ministério da Ciência e Tecnologia - Olival Freire Junior, informações sobre o projeto do aquário e sua abrangência nas áreas de turismo, pesquisa e conservação do Pantanal. “A finalidade é que seja um centro de estudos e de pesquisa. Queremos três coisas: passar a mensagem de que o Pantanal é nosso; promover o intercâmbio com as universidades; e fortalecer a questão turística. Queremos dividir isso com o Brasil e com o mundo”, afirmou o governador, durante almoço na sede da PMA, com a participação do comandante da unidade, Carlos Sebastião Matoso Braga.

Também presente no encontro, o senador Delcídio do Amaral defendeu o projeto, afirmando que ele não deve ser visto somente como um aquário, para contemplação, porque “tem toda uma gama de atividades associadas”. “Por trás, tem um investimento muito forte em tecnologia de pesquisa”, ressaltou.

Fiscalização ambiental

A ministra da Pesca destacou a importância da parceria com o governo de Mato Grosso do Sul. Uma das mais expressivas resultou na aquisição de uma lancha patrulha, que está baseada em Corumbá e começou a ser utilizada em março em operações de fiscalização no Pantanal, especialmente nos rios de fronteira. Ideli Salvatti disse que atuações conjuntas como essa são essenciais, porque o Ministério não dispõe de estrutura e pessoal para operar diretamente as fiscalizações.

O equipamento, que envolve investimento de aproximadamente R$ 1,2 milhão, foi conquistado por meio de um projeto elaborado pelo Comando da PMA de Mato Grosso do Sul e apresentado em 2010. Com a lancha, a Polícia Ambiental passou a ter um posto móvel, que percorrerá toda a fronteira com o Paraguai e Bolívia, coibindo as ações predatórias nos rios do Estado. O veículo – econômico, ágil e moderno – chega a uma velocidade de 40 km/h e se assemelha a um mini-iate, com dois motores de 370 hp, cozinha adaptada e dormitórios climatizados, com capacidade para abrigar dez pessoas.

Ideli Salvati disse que levou aos ministros Nelson Jobim (Defesa) e José Eduardo Cardozo (Justiça) a discussão sobre a situação específica de fiscalização fronteiriça, não só na área pantaneira, como mais ao Norte, até a Amazônia. “É uma situação que envolve a questão da pesca, mas não somente isso. Na Amazônia, por exemplo, temos informação de que a pesca é utilizada para o tráfico”, citou. “Vamos desencadear ações de fiscalizações conjuntas. Então, trabalhos como os que são feitos com uso das lanchas são muito importantes”.

Conforme o tenente-coronel Matoso, a atividade da pesca é muito ligada ao trabalho da PMA, por isso a aproximação com o Ministério tem grande importância.

Sesc Novo

Deixe seu Comentário

Leia Também

Turismo
Conheça os melhores lugares para se aventurar em trilhas no MS
Turismo
Praias doces na costa leste de MS são opção de férias
Turismo
Turismo de MS fecha ano com saldo positivo
Turismo
Turismo de MS fecha ano com saldo positivo

Mais Lidas

Polícia
Mistério: adolescentes desaparecem a caminho da escola
Polícia
Menina de dez anos se mata com arma do pai, em São Paulo
Polícia
Sul-mato-grossense e namorado morrem em acidente em Porto Alegre
Geral
Fazendeiro morre após bater moto contra placa de sinalização