Menu
Busca terça, 30 de novembro de 2021
(67) 99647-9098
TJMS nov21
Brasil

Caso Henry: novo vídeo mostra mãe e padrasto com a criança no elevador

A polícia afirma que o garoto já estava morto; Defesa de Jairinho alega 'socorro' ao menino

26 outubro 2021 - 11h35Gabrielly Gonzalez, com G1 e UOL

Imagens do dia da morte do menino Henry Borel mostram o momento em que ele, a mãe, Monique Medeiros, e padrasto, Dr. Jairinho, descem de elevador a caminho do hospital, na madrugada de 8 de março. Jairinho e Monique estão presos desde 8 de abril e ambos são réus pelo assassinato de Henry. O casal está respondendo no Tribunal do Júri.

Na gravação do circuito de segurança, apresentada à imprensa nesta terça-feira (26) pela defesa de Jairinho, o padrasto aparece assoprando uma vez na boca no menino. Monique segura o filho nos braços e não demonstra qualquer reação.

“Esta filmagem revela que Henry foi levado com vida ao hospital, outras circunstâncias que constam dos laudos conduzem a esta conclusão, contrariando a versão acusatória”, afirmou o advogado de Jairinho, Braz Sant’anna ao G1.

Pelo registro da câmera, Jairinho e Monique desceram para a garagem por volta das 4h10. Laudos da polícia afirmam que Henry tinha morrido pelo menos duas horas antes.

Esse trecho, que consta do processo, foi discutido na primeira audiência de instrução do Tribunal do Júri, no último dia 6. Em depoimento na sessão, o delegado Henrique Damasceno afirmou que “Henry já chegou morto ao hospital”.

Ele destacou que a tentativa de socorro ao menino, antes da chegada à unidade da saúde, não foi adequada.

Defesa de Jairinho 

"A mãe aparece absolutamente angustiada nas imagens. Nesse meio tempo, o Jairinho tenta fazer a respiração boca a boca. É a evidência que [Jairinho] não estava inerte", afirma o legista e perito criminal Sami El Jundi, contratado pela defesa do ex-vereador para elaborar um relatório paralelo do caso.

"O vídeo comprova que não houve omissão de socorro. O Henry não foi assassinado e dois inocentes estão presos. Estamos diante do maior erro judiciário da atualidade", contesta a advogada Flávia Fróes, responsável por um trabalho de investigação defensiva que alega inocência de Jairinho.

Necropsia 

A necropsia no corpo do garoto e a reconstituição no apartamento da família já tinham apontado que a criança sofreu 23 lesões, como uma laceração no fígado, e que Henry morreu vítima de ação violenta — descartando a hipótese de acidente, como alegam os advogados do ex-casal.

Ainda segundo o laudo, Henry não apresentava sinais vitais no elevador. Em depoimento, três pediatras informaram que a criança chegou sem vida ao hospital.

Veja o vídeo: 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Brasil
Réus por tragédia da boate Kiss começam a ser julgados nesta quarta-feira
Brasil
Brasileiro chega da África com resultado positivo para Covid-19
Brasil
Anvisa inclui mais quatro países africanos na lista de restrições de voo
Brasil
Bolsonaro participa de formatura na Academia Militar das Agulhas Negras
Brasil
A partir de segunda, Brasil não aceitará viajantes de seis países da África
Brasil
Lei que garante bolsas para docentes da educação básica é sancionada
Brasil
Laudo do IML revela causa da morte de Marília Mendonça e outros ocupantes do avião
Brasil
Banco Central regulamenta Pix Saque e Pix Troco
Brasil
João de Deus é condenado pela 5° vez e pega mais de 100 anos de prisão
Brasil
Sobe para 76,8 anos expectativa de vida do brasileiro

Mais Lidas

Opinião
O "mistério" dos ônibus de Campo Grande
Geral
Vizinhos lamentam morte de motociclista que foi assassinado na Mata do Jacinto
Polícia
Mulher fura sinal vermelho, colide em Celta e capota na Elias Zahran
Polícia
Homem é morto com golpes de capacete após atropelar criança