Menu
Busca sexta, 29 de maio de 2020
(67) 99647-9098
Economia

Venda de gasolina cai em outubro, diz ANP

O mercado fraco tem se refletido nas importações da Petrobras, que reduziu o ritmo de compras externas do combustível

03 dezembro 2018 - 11h59Eveline Marques

 As vendas de gasolina no Brasil em outubro caíram 13,75% ante o mesmo mês do ano passado, para cerca de 3,05 milhões de metros cúbicos, o menor nível dos últimos cinco anos pelo sétimo mês consecutivo, em meio a uma perda de competitividade nas bombas para o etanol hidratado desde abril.

O volume, entretanto, apresentou alta de 5,52 por cento ante setembro, conforme boletim mensal da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). O mercado fraco de gasolina tem se refletido nas importações da Petrobras, que reduziu o ritmo de compras externas do combustível.

Em outubro, segundo a ANP, o volume total de importações de gasolina A pelo país apresentou variação negativa de 72,81% em relação ao mesmo período do ano passado. Já em relação ao mês anterior, o volume de importações caiu 8,64% em outubro. No mês passado, disse a ANP, houve queda da participação da gasolina no consumo total do Ciclo Otto pelo sétimo mês consecutivo, para 53,73%, enquanto a parcela do etanol hidratado representou 46,27%.

Nesse cenário, as vendas de etanol hidratado, concorrente da gasolina nas bombas, em outubro, cresceram 47,71% ante o mesmo mês do ano passado e avançaram 12,94 por cento em relação a setembro, para 2 milhões de metros cúbicos.

“O contínuo aumento na demanda do biocombustível está relacionado ao efeito substituição do etanol hidratado em relação à gasolina C, em razão dos preços mais competitivos do biocombustível vis-à-vis ao combustível fóssil”, disse a ANP em seu boletim. 

As usinas, por sua vez, foram estimuladas a produzir mais etanol nesta safra, uma vez que os preços dos açúcar no mercado internacional estavam relativamente baixos. Já as vendas de diesel, por sua vez, em outubro, cresceram 2,99% ante o mesmo mês de 2017 e avançaram 5,95%em comparação a setembro, para 5,06 milhões de metros cúbicos.

Gasolina em MS

Apesar da queda na venda da gasolina, em Mato Grosso do Sul o preço médio da gasolina teve queda pela terceira semana consecutiva e fechou em R$ 4,263 na semana encerrada neste sábado (1º), de acordo com ANP. No comparativo com a semana imediatamente anterior, quando a média comercializada estava em R$ 4,277 no estado, o litro do combustível recuou -0,33%; já nas últimas quatro semanas, a redução de preços chega a -2,19%. Entre os dias 4 e 11 de novembro, a gasolina custava, em média, R$ 4,359 no Estado.

A mesma trajetória de queda de preços da gasolina foi seguida pelo mercado da capital, segundo os dados da ANP. Em quatro semanas, o preço médio da gasolina ficou 2,15% mais barato em Campo Grande e saiu de R$ 4,284 para R$ 4,210. No comparativo com a semana imediatamente anterior (quando custava R$ 4,210), o recuo foi de -0,43%. 

Quando considerados os preços médios praticados pelas demais unidades da federação, Mato Grosso do Sul apresentou a terceira gasolina mais barata do país nesta semana, apontou o levantamento da ANP. O preço do combustível comercializado no mercado sul-mato-grossense ficou atrás apenas da média de Santa Catarina (R$ 4,207) e do Amapá, que apresentou o menor preço dentre os Estados nesta última semana (R$ 3,925). 

Outros Combustíveis

Para o diesel, a ANP apurou preço médio de R$ 3,646 em Mato Grosso do Sul frente a R$ 3,778 comercializados na semana anterior (de 18 a 24 de novembro), o que representa queda de -2,81% no período. Já quando considerado o intervalo de quatro semanas, o litro do combustível acumula leve alta no Estado (0,36%). De 4 a 10 de novembro, o valor do diesel estava em R$ 3,659.

Quanto ao etanol, o litro do derivado de cana ficou em R$ 3,362 nesta última semana, ficando praticamente estável em relação à semana anterior (R$ 3,364). Já em quatro semanas, houve recuo de 0,30% no preço do etanol no Estado. Na primeira semana de novembro, o biocombustível era comercializado por R$ 3,372.

Em Campo Grande, o preço médio do diesel ficou em R$ 3,646 e o do etanol em R$ 3,218, representando quedas, respectivamente, de -1,22% e -0,30% no intervalo de quatro semanas. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Economia
Caixa conclui pagamento da 1ª parcela do auxílio a novos aprovados
Economia
PIB brasileiro diminui e alcança 1,5% no 1º trimestre de 2020
Economia
Contas públicas têm resultado negativo em abril
Economia
Receita paga primeiro lote do Imposto de Renda nesta sexta-feira
É a primeira vez na história que o pagamento da restituição é feito no mês de maio
Economia
Compras com auxílio emergencial poderão ser pagas via celular
Economia
FCO libera $ 146,1 milhões para empreendimentos em MS
Economia
Conta de luz ficará "mais barata" até dezembro
Economia
Com vetos, Bolsonaro aprova projeto de socorro financeiro a estados e municípios
Economia
Governo quer emprestar US$ 4,01 bilhões de bancos internacionais
Economia
Refis: contribuinte poderá negociar dívidas à distância

Mais Lidas

Brasil
Weintraub fica calado em depoimento a PF
Cultura
“Tamojunto” fará ação solidária recebendo alimentos por chopp
Educação
Defensoria diz que 269 escolas já aderiram plano de redução de mensalidades
Oportunidade
UFMS abre inscrições para especialização Gestão em Segurança Pública