Menu
Busca segunda, 25 de janeiro de 2021
(67) 99647-9098
TJMS Janeiro/21 juizado de transito
Vídeos

Vídeo: Crivella xinga Doria em reunião com apoiadores

Após o episódio, ele pediu desculpas pelo excesso

19 novembro 2020 - 14h15Matheus Rondon, com informações do G1

Durante uma reunião entre partidos políticos, o prefeito do Rio e candidato à reeleição , Marcelo Crivella (Republicanos), xingou o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), de “vagabundo” e "veado". O desentendimento aconteceu noite de quarta-feira (18), com filiados que disputaram a eleição para vereador. O encontro aconteceu na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio. Alguns dos presentes na reunião estavam aglomerados e sem máscara.

Em um vídeo publicado em rede social, o atual prefeito da cidade diz: “Sabe de quem é essa OS [organização social]? Essa é de São Paulo, é do Doria, veado, vagabundo”. A gravação foi divulgada em uma conta pertencente a Sandro Avelar, presidente da escola de samba Império Serrano e apoiador do candidato Eduardo Paes (DEM), que disputa o segundo turno com Crivella.

O prefeito se referia às organizações sociais do Rio que atuam na área da Saúde, dizendo que o dinheiro recebido para pagar funcionários foi usado para quitar compromissos com os fornecedores. Algumas OSs que atuam no Rio têm sede em São Paulo.

Em nota enviada ao G1 na manhã desta quinta (19), o candidato à reeleição pediu desculpas ao governador.

"A fala foi um momento de revolta pela OS reter o salário de médicos e enfermeiros mesmo tendo recebido da prefeitura. Em tempos de pandemia isso pode custar vidas. Marcelo Crivella pede desculpas pelos excessos, e ao governador João Doria", diz a nota.

Veja o vídeo:

As Organizações Sociais de Saúde (OSs) são instituições do setor privado, sem fins lucrativos, que atuam em parceria com o estado ou município e colaboram de forma complementar para a consolidação do Sistema Único de Saúde.

Normalmente, os contratos são firmados por meio de licitação. Mas há também os contratos emergenciais, sem licitação, como os assinados durante a pandemia. A gestão é feita pelo contratante, no caso, a prefeitura ou o governo do estado.

Falta de pagamento

Na quarta-feira (18), funcionários do Hospital Municipal Evandro Freire, na Ilha do Governador, reclamaram que não receberam nem 30% do salário este mês. A unidade é administrada pela OS Cejam, que tem sede em São Paulo.

Vários contratos firmados com organizações sociais durante a pandemia de Covid-19 são investigados e motivaram operações policiais no Rio.

Uma delas – Operação Tris in Idem – levou ao afastamento de Wilson Witzel e à prisão de vários envolvidos, entre eles, o ex-secretário de Saúde Edmar Santos.

Santos virou réu em ação sobre fraude na compra de respiradores de Covid e é apontado como um dos chefes da quadrilha que atuava dentro da Secretaria de Estado de Saúde.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Vídeos
Vídeo: Mc Fioti faz clipe para a vacina e Instituto Butantan
Vídeos
No guincho, policia encontra droga dentro de geladeiras
Vídeos
Vídeo: Chuva forte causa erosão no Nova Lima
Vídeos
Vídeo: Jiboia de 2 metros é capturada dentro de armazém
Vídeos
Vídeo: Corpo é encontrado dentro de tambor
Vídeos
Vídeo: Detentos recebem 'encomendas' arremessadas por cima de muro da máxima
Vídeos
Vídeo: Assaltantes surpreendem jovem e roubam moto no Tijuca
Vídeos
Vídeo: Festa com 180 pessoas é encerrada pela polícia na Capital
Vídeos
Mãe agride filho de 10 meses para chamar atenção do marido
Vídeos
Vídeo: Arara azul ferida é resgatada em Bonito

Mais Lidas

Polícia
Jacaré é capturado dando 'rolê' em cidade de MS
Internacional
Estados Unidos inicia vacinação contra a Covid-19 em Nova York
Polícia
Morador de rua tenta matar desafeto a pauladas no interior do Estado
Polícia
Briga por capacete acaba em tentativa de homicídio