Menu
Busca sábado, 19 de setembro de 2020
(67) 99647-9098
TJMS setembro20
Economia

Economia mundial vai crescer 3% em 2014, assim como a do Brasil, diz ONU

19 dezembro 2013 - 11h08Via Uol
O PIB mundial crescerá 3% em 2014 e 3,3% em 2015, de acordo com a antecipação de um novo relatório das Nações Unidas divulgado nessa quarta-feira. O documento também alerta que uma das "ameaças" para a economia mundial seria o fim "abrupto" dos estímulos monetários nos Estados Unidos.

"O Produto Interno Bruto mundial teve um crescimento baixo em 2013, mas certas melhoras no último trimestre nos levaram a elevar nossa previsão para os próximos dois anos", garantiram os especialistas das Nações Unidas ao antecipar seu relatório Situação e perspectivas da economia mundial em 2014.

A versão definitiva do relatório será publicada em janeiro pela ONU (Organização das Nações Unidas).

Segundo os analistas do Departamento de Assuntos Econômicos e Sociais da ONU (Desa, na sigla em inglês), o fim da "prolongada recessão" na zona do euro e a melhoria do crescimento nos Estados Unidos, assim como a capacidade de Índia e China de "conter" a desaceleração dos últimos dois anos justificaram a elevação de suas estimativas para 2014.

No caso dos Estados Unidos, a ONU espera um crescimento de 2,5% em 2014, enquanto para a Europa Ocidental os índices continuam "baixos", em torno de 1,5%.

Brasil deve crescer 3% em 2014, estima ONU; China avança 7,5%
Quanto às economias dos países em desenvolvimento e em transição, os especialistas esperam um índice de crescimento de 3% para o Brasil, de 5% para a Índia e de 2,9% para a Rússia, enquanto a China deverá manter os 7,5% "nos próximos anos".

O estudo considera os principais "riscos" e "incertezas" que ameaçam a economia mundial, entre os quais se destacam a política monetária dos Estados Unidos e as batalhas políticas nesse país em torno do teto da dívida, assim como a "fragilidade" do sistema bancário na zona do euro.

Os especialistas asseguram que um final "abrupto" dos estímulos monetários do Banco Central americano (Fed) seria uma "ameaça" para a economia mundial, já que poderiam levar a um aumento das taxas de juros em longo prazo nos países desenvolvidos e em desenvolvimento.

As Nações Unidas advertiram, inclusive, sobre o impacto de uma redução desses programas de expansão quantitativa, e mencionaram "vendas maciças" nos mercados mundiais, uma "queda pronunciada" dos fluxos de capital para as economias emergentes e uma disparada nas premiações de risco.

BC dos EUA corta US$ 10 bi por mês do pacote de estímulo
As previsões da ONU foram divulgadas no mesmo dia em que o Fed deu uma resposta para as especulações sobre o início da retirada dos estímulos monetários, com o anúncio de uma redução de US$ 10 bilhões no volume de seu programa mensal de compra de bônus a partir de janeiro.

O Banco Central americano justificou sua decisão na melhora das perspectivas da maior economia mundial que o levou a optar por reduzir o agressivo programa de estímulos monetários no valor de US$ 85 bilhões por mês, iniciado no ano passado, para promover a recuperação.

Por outro lado, o estudo apresentado prevê também que para o próximo ano a inflação em nível mundial se manterá "controlada", mas advertiu que a situação no mercado de trabalho vai continuar representando um "desafio" para muitas economias, como Espanha e Grécia.

Por último, os especialistas alertam que os preços das matérias-primas se manterão "estáveis" em 2014, sem descartar que possam subir levemente em alguns casos devido a possíveis "tensões geopolíticas", enquanto os fluxos de capital para as economias emergentes serão "mais voláteis".

Deixe seu Comentário

Leia Também

Economia
Nascidos em julho recebem auxílio hoje e poderão sacar em outubro
Economia
Brasil e Paraguai assinam acordo para reabrir a fronteira
Economia
Pagamentos do Ciclo 1 do auxílio emergencial estão concluídos
Economia
Sidrolândia ganha unidade produtora de leitões que vai gerar 100 empregos
Economia
Caixa paga auxílio para 3,9 mi de beneficiários hoje; veja quem recebe
Economia
Comércio na fronteira terá liberação "meia boca"
Economia
Caixa paga abono salarial nesta segunda; veja quem recebe
Economia
FGTS: Caixa deposita hoje para trabalhadores nascidos em novembro
Economia
Economista aponta três fatores para aumento no preço dos alimentos
Economia
Veja quem recebe o auxílio emergencial nesta sexta

Mais Lidas

Polícia
PRF apreende 46,9 Kg de pasta-base de cocaína em Anastácio
Polícia
PMA de Bataguassu autua mulher de 52 anos que provocou incêndio em vegetação
Geral
Sam's Club cobra até o saquinho de embalagem
Polícia
Mulher agride funcionária do Carrefour e alega que só fez por "vontade"