Menu
Busca domingo, 17 de janeiro de 2021
(67) 99647-9098
Governo Futebol
Economia

Alimentação e vestuário puxam inflação em outubro em CG

04 novembro 2011 - 10h21Divulgação

Apresentando aumento em relação ao mês de setembro (0,37%), a inflação registrada na cidade de Campo Grande no mês de outubro foi de 0,41%. "Pode-se perceber que a inflação acumulada em 12 meses, que está em 7,71%, persiste a níveis que extrapola o teto superior da meta da inflação acumulada no país estabelecida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), que é de 6,5%", analisa o coordenador do Núcleo de Estudos e Pesquisas Econômicas e Sociais (Nepes) da Universidade Anhanguera-Uniderp, Celso Correa de Souza.

Os grupos com variações positivas foram: Alimentação 1,32%, Vestuário 1,08%, Transportes 0,38%, Saúde 0,15%, Despesas Pessoais 0,09% e Educação 0,01%, e o único grupo a apresentar variação negativa foi Habitação (-0,13%).

Com deflação da ordem de (-0,13%) em relação ao mês de setembro, o grupo Habitação registrou as maiores elevações de preços em produtos como cera para assoalho 5,45%, detergente 4,94% e máquina de lavar roupa 3,67%. Queda de preço ocorreu com os produtos como freezer (-7,46%), condicionador de ar (-6,78%) e televisor (-5,35%).

Já no grupo Alimentação foi constatada forte inflação de 1,32%. Os produtos que mais pressionaram a inflação para cima foram uva 9,17%, queijo muçarela/prato 7,81%, limão 7,79% e pescado fresco 7,43%. Por outro lado, alguns produtos desse grupo tiveram queda de preço significativa como chuchu (-13,97%), pepino (-13,26%), abacaxi (-12,16%), cenoura (-10,37%), entre outros com menor queda de preço.

Ainda no grupo alimentação, no item carnes foi constatado forte aumento de preço em alguns cortes de carne bovina como picanha 5,46%, cupim 5,42% e alcatra 4,76%. "Apenas a costela bovina apresentou queda (-0,13%). Os cortes da carne suína apresentaram altas expressivas no pernil 4,04% e bisteca 2,24%, e baixa de preço da costeleta (-3,93%). O frango congelado teve alta de 0,31%, e miúdos, baixa média de (-0,21%)", informa Souza.

O aumento no preço de itens como a gasolina 1,91% e o etanol 0,26% refletiu na moderada inflação de 0,38% do grupo Transportes. Queda de preço ocorreu com os seguintes produtos/serviços: diesel (-0,23%), ônibus interestadual (-0,22%) e automóvel novo (-0,20%).

Os grupos Educação e Despesas Pessoais apresentaram relativa estabilidade em seus índices. O primeiro, com pequena inflação da ordem de 0,01%, devido ao aumento em artigos de papelaria de 0,07%, e o segundo, com pequena alta de 0,09%. Neste grupo foi verificado aumento de preço de produtos/serviços como absorvente higiênico 3,38%, protetor solar 1,96% e produto para limpeza de pele 1,02. Queda de preço foi observada em itens como creme dental (-1,89%), hidratante (-1,65%) e fio dental (-0,69%).

Pequena inflação de 0,15% foi constatada no grupo Saúde, destacando com aumento no preço produtos e/ou serviços como antiinflamatório e antireumático 2,61%, antigripal e antitussígeno 0,68%, antimicótico e parasiticida 0,47%. Queda de preço ocorreu com material para curativo (-1,19%), psicotrópico e anorexígeno (-0,33%) e vitamina e fortificante (-0,22%).

O grupo Vestuário é o segundo com maior contribuição para inflação de outubro: "Constatamos no grupo Vestuário uma forte inflação de 1,08%. Alta de preço ocorreu principalmente com produtos como calça comprida masculina 5,78%, camisa masculina 6,32% e sapato masculino 2,51%. Queda de preço foi verificada nos itens saia (-5,76%), short e bermuda masculina (-3,26%), bermuda e short feminino (-2,23%), entre outros com menores quedas", finaliza o coordenador do Nepes, Celso Correa Souza

Inflação acumulada – "A inflação acumulada neste ano de 2011, na cidade de Campo Grande, é de 5,56% e a inflação acumulada nos últimos 12 meses é de 7,17%, esta última bem acima do limite superior da meta inflacionária estabelecida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) que, para o ano de 2011 é de 6,5%, sendo o centro da meta de 4,5% com uma tolerância de (± 2%). Apesar do aumento dos cortes de carnes, a expectativa é que a inflação até o final do ano permaneça em patamares baixos, fazendo com que o topo da meta para o ano de 2011 possa ser ainda atingido", explicou o pesquisador do Nepes, José Francisco dos Reis Neto.

O grupo Educação foi o grupo que apresentou a maior taxa acumulada no ano de 2011, ficando em 9,55%, seguido dos grupos Vestuário 7,98%, Habitação 7,59% e Saúde 6,30%, com índices acima da inflação acumulada deste ano, que foi de 5,56%. Em relação à inflação acumulada nos últimos doze meses, destacam-se os grupos Educação 9,76%, Vestuário 9,54%, e Habitação 8,32%, com índices acima da inflação acumulada nos últimos 12 meses em Campo Grande, que é de 7,17%", finalizou dos Reis Neto.

Os dez mais e os dez menos do IPC/CG - Na composição do Índice de Preços ao Consumidor alguns produtos se destacam influenciando para mais ou para menos o índice do mês de agosto. Os dez produtos que mais contribuíram para a elevação da inflação no mês passado foram: Alcatra, Pescado fresco, Gasolina, Calça comprida masculina, Arroz, Contra-filé, Leite pasteurizado, Óleo de soja, Bebidas alcoólicas e Queijo muçarela/prato. Em contraponto, os produtos que contribuíram para frear a inflação foram: Impressora, Pão francês, Televisor, Cenoura, Short e bermuda masculina, Refrigerador, Doces em calda, Azeitona, Abacaxi e Azeitona.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Economia
Depois de 17 anos, Paulo Ponzini volta à Presidência do Corecon-MS
Economia
Número de pessoas inadimplentes cai no fim de 2020
Economia
A partir desta quinta, gás de cozinha vai ficar 6% mais caro
Economia
Nascidos em março podem sacar auxílio nesta segunda
Economia
Após movimentar bilhões, especialistas apontam Pix como "principal revolução financeira"
Economia
Prazo para pedir saque do FGTS emergencial acaba hoje
Economia
Em 2021, idade para se aposentar vai aumentar; confira as novas regras
Economia
Bolsonaro anuncia aumento do salário mínimo para R$ 1.100
Economia
Empresas devem encerrar os acordos feitos com os funcionários até quinta
Economia
Caixa libera parcela do auxílio emergencial para nascidos em novembro

Mais Lidas

Polícia
Jacaré é capturado dando 'rolê' em cidade de MS
Internacional
Estados Unidos inicia vacinação contra a Covid-19 em Nova York
Polícia
Morador de rua tenta matar desafeto a pauladas no interior do Estado
Polícia
Briga por capacete acaba em tentativa de homicídio