Menu
Busca domingo, 22 de setembro de 2019
(67) 99647-9098
Aguas setembro-19
Economia

Aumento na conta de luz pressiona inflação para os mais pobres

Indicador do Ipea apontou alta de 0,22% para famílias com renda mais baixa

21 agosto 2019 - 17h56Rauster Campitelli, com informações da Agência Estado

A conta de luz mais cara elevou a inflação percebida pelos brasileiros mais pobres em julho, segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). O Indicador de Inflação por Faixa de Renda mostra que as famílias com renda mais baixa sentiram uma inflação de 0,22% em julho, enquanto as famílias de renda mais elevada sentiram o custo de vida subir 0,17%.

Apurado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) ficou em 0,19% no último mês.

"No caso da energia, nota-se que, apesar de ter contribuído fortemente para a alta de preços de todas as faixas, o reajuste de 4,5% nas contas de luz impactou muito o orçamento dos mais pobres relativamente aos mais ricos. Por certo, enquanto o grupo habitação contribuiu com 0,27 ponto porcentual para a inflação do segmento de renda mais baixa, na camada mais alta, o impacto foi de 0,13 ponto", disse a técnica do Ipea Maria Andréia Parente Lameiras.

"Em relação aos alimentos no domicílio, deve-se pontuar que, a despeito de ainda apresentarem deflação em julho (-0,06%), esta veio em magnitude inferior a observada em junho (-0,39%), o que gerou um alívio inflacionário menor que o verificado no mês anterior", acrescentou Lameiras na Carta de Conjuntura que trata do indicador.

O indicador do Ipea separa por seis faixas de renda familiar as variações de preços medidas pelo IPCA. Os grupos vão desde uma renda familiar de até R$ 1.615,64 por mês, no caso da faixa com renda muito baixa, até uma renda mensal familiar acima de R$ 16.156,35, no caso da renda mais alta.

A taxa de inflação das famílias de renda mais baixa acumulada em 12 meses até julho de 2019 ficou em 3,38%, mais elevada que a da faixa de consumidores mais ricos, de 3,21% no período. O IPCA acumulado em 12 meses até julho de 2019 foi de 3,22%.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Economia
Veja os principais pontos da MP da liberdade econônica sancionada por Bolsonaro
Economia
Devido a elevação do PIB, governo desbloqueia R$ 8,3 mi orçamentário
Economia
MS tem cinco municípios entre os 10 maiores produtores de eucalipto do Brasil
Economia
Mega-Sena: Bolão de funcionários do PT ganha R$ 120 milhões
Economia
Começa pagamento do Pis/Pasep dos nascidos em setembro
Economia
Mega-Sena deve sortear prêmio de R$ 120 mi nesta quarta-feira
Economia
Governo estuda congelar salário mínimo temporariamente
Economia
Mega-Sena pode sortear 120 milhões nesta quarta-feira
Economia
Brasil poderá exportar produtos lácteos para o Egito
Economia
Termômetro do Varejo: expectativa positiva com o uso do FGTS anima comércio

Mais Lidas

Polícia
Para fazer ex-mulher sofrer, pai mata filho de 2 anos afogado em bacia
Política
"Devem investigar" diz Reinaldo sobre filho
Polícia
Motorista de aplicativo é encontrado morto 15 dias após desaparecer
Clima
Vídeo - Chuva surpreende campo-grandenses na tarde desta sexta