Menu
Busca domingo, 16 de fevereiro de 2020
(67) 99647-9098
tj ms topo
Economia

Aumento na conta de luz pressiona inflação para os mais pobres

Indicador do Ipea apontou alta de 0,22% para famílias com renda mais baixa

21 agosto 2019 - 17h56Rauster Campitelli, com informações da Agência Estado

A conta de luz mais cara elevou a inflação percebida pelos brasileiros mais pobres em julho, segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). O Indicador de Inflação por Faixa de Renda mostra que as famílias com renda mais baixa sentiram uma inflação de 0,22% em julho, enquanto as famílias de renda mais elevada sentiram o custo de vida subir 0,17%.

Apurado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) ficou em 0,19% no último mês.

"No caso da energia, nota-se que, apesar de ter contribuído fortemente para a alta de preços de todas as faixas, o reajuste de 4,5% nas contas de luz impactou muito o orçamento dos mais pobres relativamente aos mais ricos. Por certo, enquanto o grupo habitação contribuiu com 0,27 ponto porcentual para a inflação do segmento de renda mais baixa, na camada mais alta, o impacto foi de 0,13 ponto", disse a técnica do Ipea Maria Andréia Parente Lameiras.

"Em relação aos alimentos no domicílio, deve-se pontuar que, a despeito de ainda apresentarem deflação em julho (-0,06%), esta veio em magnitude inferior a observada em junho (-0,39%), o que gerou um alívio inflacionário menor que o verificado no mês anterior", acrescentou Lameiras na Carta de Conjuntura que trata do indicador.

O indicador do Ipea separa por seis faixas de renda familiar as variações de preços medidas pelo IPCA. Os grupos vão desde uma renda familiar de até R$ 1.615,64 por mês, no caso da faixa com renda muito baixa, até uma renda mensal familiar acima de R$ 16.156,35, no caso da renda mais alta.

A taxa de inflação das famílias de renda mais baixa acumulada em 12 meses até julho de 2019 ficou em 3,38%, mais elevada que a da faixa de consumidores mais ricos, de 3,21% no período. O IPCA acumulado em 12 meses até julho de 2019 foi de 3,22%.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Economia
Longen apresenta potencial de MS para embaixadores da Ásia
Economia
Reinaldo assina decreto para diminuir ICMS no comércio atacadista
Economia
Dólar apresenta queda nesta quinta-feira
Economia
Refis arrecadou R$ 76 mi e ajudou a “segurar contas municipais”, diz secretário
Economia
A gasolina aumentou para incentivar venda de etanol, diz Lazaroto
Economia
Dólar encerra semana com novo recorde de alta
Economia
“Fruto da força da nossa gente”, diz Reinaldo sobre MS ser destaque em investimento
Economia
Receita abre consulta ao lote residual de IR na segunda-feira
Economia
Centauro compra a Nike por R$ 900 milhões
Economia
Bolsonaro promete zerar impostos se governadores acabarem com ICMS

Mais Lidas

Geral
Sem acertos, Mega-sena acumula para R$ 170 mi
Polícia
Homem com ciúmes corta pescoço da namorada com machete
Educação
Último dia para fazer a carteirinha de estudante digital
Polícia
Família procura por adolescente desaparecida há cinco dias