Menu
Busca sexta, 25 de setembro de 2020
(67) 99647-9098
TJMS setembro20
Economia

Comércio lucra 60% a mais até a tarde desta sexta na 'Black Friday'

30 novembro 2013 - 12h33Via G1
Até às 17h desta sexta-feira (29) as lojas do comércio eletrônico alcançaram a marca de R$ 390 milhões em vendas da edição 2013 da "Black Friday", superando em 60% as vendas totais da edição 2012 do dia de descontos do varejo, de acordo com dados do E-bit, empresa que reúne informações do comércio eletrônico.

Até o meio-dia desta sexta, a liquidação registrou um faturamento de R$ 243,8 milhões, duas vezes o que as lojas participantes haviam registrado até esse horário na liquidação do ano passado. A "Black Friday" de 2012 foi encerrada com faturamento total de R$ 217 milhões.

O E-bit afirma que até a meia-noite desta sexta o valor deveria aumentar. O valor de R$ 390 milhões era o esperado para toda a Black Friday.

As reclamações por conta de problemas nas compras e nos preços quebraram recorde no site "Reclame Aqui".  As lojas on-line mais reclamadas eram Extra.com.br, Ponto frio - Casas Bahia, Americanas.com, Submarino, Centauro, Walmart, Saraiva, Magazine Luiza e Brastemp/Consul.

Segundo o diretor geral da E-Bit, Pedro Guasti, algumas varejistas já venderam dez vezes mais do que o movimentado na última sexta-feira e o gasto médio das pessoas nas compras também está bem acima do normal.

Problemas
Em outra edição, o evento ganhou o apelido de “Black Fraude” e o slogan-piada "a metade do dobro" depois de suspeitas de que alguns varejistas teriam inflado os preços para forjar descontos maiores. Também houve relatos de vitrines virtuais fora do ar e dificuldades para finalizar compras. O episódio resultou na notificação de grandes companhias pela Fundação Procon-SP.

As ofertas das lojas que aderiram ao código de ética devem ser identificadas com o "Selo Black Friday Legal", que indica a credibilidade das promoções.

O Procon-SP e o Instituto para Desenvolvimento do Varejo (IDV) também se reuniram para traçar estratégias que evitem que os transtornos ocorridos na edição de 2012 se repitam, afetando a credibilidade do setor e prejudicando os consumidores.

Outra iniciativa para proteger o consumidor partiu da Serasa Experian, que vai permitir que os consumidores consultem gratuitamente o CNPJ de uma empresa com a qual pretendem fechar negócio. A pesquisa gratuita estará disponível entre os dias 29 de novembro e 1º de dezembro.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Economia
Abertura da fronteira depende de Bolsonaro
Economia
Sebrae lança cartilha para estimular debate do empreendedorismo na campanha
Economia
Caixa deposita auxílio para 4 milhões de brasileiros hoje
Economia
Beneficiários do Bolsa Família recebem hoje parcela de R$ 300 do auxílio
Economia
Vídeo mostra protesto em Pedro Juan
Economia
FGTS está na conta dos trabalhadores nascidos em dezembro
Economia
Nascidos em julho recebem auxílio hoje e poderão sacar em outubro
Economia
Brasil e Paraguai assinam acordo para reabrir a fronteira
Economia
Pagamentos do Ciclo 1 do auxílio emergencial estão concluídos
Economia
Sidrolândia ganha unidade produtora de leitões que vai gerar 100 empregos

Mais Lidas

Cidade
Prefeitura libera apresentação de artistas de outros estados, na capital
Geral
Sexta-feira terá live de Gusttavo Lima e Daniel, Duda Beat e Nando Reis
Cidade
Mais de 5 mil aulas para 1º CNH foram realizadas de forma online em MS
Política
Chapa do PSDB quer “dar voz” a sociedade