Menu
Busca domingo, 20 de setembro de 2020
(67) 99647-9098
Aguas - super banner
Economia

Inflação oficial avança para 0,35% em setembro, mostra IBGE

09 outubro 2013 - 11h33Via G1
O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação oficial do país, por ser usado como base para as metas do governo, avançou, passando de 0,24% em agosto para 0,35% em setembro, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em pesquisa divulgada nesta quarta-feira (09).

Com o resultado de agosto, segundo o IBGE, o IPCA acumulado em 12 meses ficou em 5,86% - seguindo dentro da meta de inflação do governo federal, que permite o IPCA oscilar entre 2,5% e 6,5%. É a primeira vez no ano que o IPCA fica abaixo de 6%. A última vez foi em dezembro de 2012, quando ficou em 5,84%.

Em setembro de 2012 a taxa havia ficado em 0,57%.

De acordo com o IBGE, a variação de preços do grupo transporte registrou a maior aceleração, passando de uma queda  de 0,06% para um aumento de 0,44%. Entre os principais impactos para o avanço da taxa estão as passagens aéreas, que subiram 16,09% e das tarifas dos ônibus urbanos, que pararam de cair.

Dentro desse grupo, outros itens registraram avanço das taxas, como a gasolina, cujo litro, em setembro, caiu mais do que em agosto (de -0,15% para -0,42%) e como o etanol, cujo recuo passou de -1,16% em agosto para -0,72% em setembro.

Também seguiu o mesmo comportamento de alta os preços relativos a alimentação e bebidas - passando de uma quase estabilidade (0,01%) em agosto para um avanço de 0,14% em setembro. O resultado foi puxado pela variação de preços de alimentos de consumo no domicílio, que reduziram a queda, de -0,34% para -0,03%.

Entre os alimentos pesquisados, o destaque de alta ficou com pão francês, cujo preço subiu 3,37%, e o de baixa, com o feijão carioca, que ficou 13,95% mais barato.

Os preços relativos à habitação também subiram - de 0,57% em agosto para 0,62% em setembro - com a maior influência partindo do gás de botijão (de 0,28% para 2,01%), aluguel residencial (de 0,74% para 0,80%) e artigos de limpeza (de 0,35% para 0,71%).

Os artigos de vestuário também ficaram mais caros - passando de 0,08% para 0,63% no mês seguinte, com destaque para as roupas femininas (de -0,37% para 1,43%) e calçados (de -0,11% para 0,58%).

Já o grupo saúde e cuidados pessoais manteve o mesmo nível do mês anterior, de 0,45% em agosto para 0,46% em setembro.

Redução
Na contramão dos outros grupos, os artigos de residência mostraram desaceleração da alta de preços (de 0,89% para 0,65%), com destaque para itens mobiliário (de 1,22% em agosto para -0,19% em setembro) e conserto de equipamentos domésticos (de 1,16% para 0,84%).

No grupo de despesas pessoais, cuja alta perdeu força (de 0,39% para 0,20%), as maiores influências partiram dos itens recreação (de 0,80% para -0,24%) e empregados domésticos (de 0,53% para 0,46%).

Na análise regional, o maior partiu de Brasília (0,70%) e o menor, em Salvador (0,03%).

INPC
Nesta quarta-feira, também foi divulgado o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que também acelerou, de 0,16% em agosto para 0,27% em setembro. No ano, acumula alta de 3,61% e, em 12 meses, de 5,69%. Em setembro de 2012 o INPC havia ficado em 0,63%.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Economia
Nascidos em julho recebem auxílio hoje e poderão sacar em outubro
Economia
Brasil e Paraguai assinam acordo para reabrir a fronteira
Economia
Pagamentos do Ciclo 1 do auxílio emergencial estão concluídos
Economia
Sidrolândia ganha unidade produtora de leitões que vai gerar 100 empregos
Economia
Caixa paga auxílio para 3,9 mi de beneficiários hoje; veja quem recebe
Economia
Comércio na fronteira terá liberação "meia boca"
Economia
Caixa paga abono salarial nesta segunda; veja quem recebe
Economia
FGTS: Caixa deposita hoje para trabalhadores nascidos em novembro
Economia
Economista aponta três fatores para aumento no preço dos alimentos
Economia
Veja quem recebe o auxílio emergencial nesta sexta

Mais Lidas

Geral
MS aumenta rigor e autuações contra queimadas já superam ano de 2019
Polícia
Queda de árvore queimada em rodovia causa acidente que deixa 12 mortos
Clima
Chuva foi pequena, mas ocorreu em 21 municípios de MS
Vídeos
AO VIVO: Acompanhe a 1ª Parada online da Cidadania e do Orgulho LGBTQIA+/MS