Menu
Busca quinta, 02 de dezembro de 2021
(67) 99647-9098
TJMS nov21
Economia

Salário mínimo para 2019 será de R$ 998

Bolsonaro assinou o decreto em seu primeiro dia de mandato

02 janeiro 2019 - 07h21Da Redação com Assessoria

Decreto assinado pelo presidente Jair Bolsonaro e publicado nesta terça-feira (1º) em edição extra do "Diário Oficial da União" fixou o salário mínimo em R$ 998 neste ano. O valor atual é de R$ 954.

Com isso, o valor ficou abaixo da estimativa que constava do orçamento da União, de R$ 1.006. O orçamento foi enviado em agosto do ano passado pelo governo Michel Temer ao Congresso.

O que a equipe econômica do governo Michel Temer dizia é que a inflação de 2018 (um dos fatores que determinam o valor) vai ser menor que o projetado anteriormente - quando foi proposto salário mínimo de R$ 1.006 em 2019.

 

De acordo com informações do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Sócioeconômicos (Dieese), o salário mínimo serve de referência para o rendimento de cerca de 48 milhões de trabalhadores no Brasil.

Fórmula do salário mínimo

O reajuste do salário mínimo obedece a uma fórmula que leva em consideração o resultado do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos antes e a variação da inflação, medida pelo INPC, do ano anterior.

Para o salário mínimo de 2019, portanto, a fórmula determina a soma do resultado do PIB de 2017 (alta de 1%) e o INPC de 2018. Como só será possível saber no início do ano que vem a variação do INPC de 2018, o governo usa uma previsão para propor o aumento.

Além da inflação e do resultado do PIB, no reajuste do mínimo de 2019 está embutido uma compensação pelo reajuste autorizado em 2018, de 1,81%, que ficou abaixo da inflação medida pelo INPC. Esse foi o menor aumento em 24 anos.

O ano de 2019 é o último de validade da atual fórmula de correção do mínimo, que começou a valer em 2012. O próximo presidente da República, Jair Bolsonaro, ainda não detalhou qual será sua proposta para o salário mínimo de 2020 em diante.

Impacto nas contas

O reajuste do salário mínimo tem impacto nos gastos do governo. Isso porque os benefícios pagos pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) aos aposentados não podem ser menores do que um salário mínimo.

A Constituição 1988 estabeleceu o salário mínimo como piso de referência dos benefícios da Seguridade Social - que incluem Previdência, assistência social e o seguro-desemprego.

O governo projeta que cada R$ 1 de aumento no salário mínimo gera um incremento de cerca de R$ 300 milhões ao ano nas despesas do governo.

Segundo cálculos do Dieese, porém, o salário mínimo "necessário" para despesas de uma família de quatro pessoas com alimentação, moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte, lazer e previdência, seria de R$ 3.959,98 ao mês em novembro deste ano.

Asa - anestesistas

Deixe seu Comentário

Leia Também

Economia
Fim de ano: Famílias gastarão menos com festas e mais com presentes, diz pesquisa
Economia
Trabalhadores têm até o dia 31 de dezembro para aderir ao saque-aniversário
Tecnologia
Aplicativo do Bradesco cai no dia do pagamento do 13º
Economia
Novo recuo faz a renda média do trabalhador ser a menor desde de 2012
Economia
Auxílio Brasil é pago hoje para a cadastrados com NIS final 0
Economia
Pix Saque e Pix Troco começam a valer a partir de hoje
Economia
Cadastrados com NIS final 9 recebem hoje o Auxílio Brasil
Economia
"Estamos Quites" oferece descontos e parcelamento de débitos de energia elétrica
Economia
Caixa paga Auxílio Brasil a cadastrados com NIS final 8
Economia
Sancionada lei que isenta mais de 204 mil veículos do IPVA

Mais Lidas

Brasil
Carteiro é baleado ao fazer entrega em condomínio; assista
Vídeos
Homem se masturba na frente de crianças em condomínio; assista
Polícia
Mulher encontra corpo de bebê escondido em sacola ao descongelar geladeira
Internacional
Perereca suicida? Modelo atira na própria vagina ao gravar vídeo erótico