Menu
Busca terça, 26 de maio de 2020
(67) 99647-9098
TJ MS maio20
Justiça

Torturador de policiais é preso depois de dois anos foragido

Crime ocorreu durante ataque a comunidade indígena em Caarapó, em junho de 2016

13 dezembro 2018 - 15h35Da redação com assessoria

O indígena Leonardo de Souza, da etnia Guarani-Kaiowá, foi preso na manhã ddesta quinta-feira (13) e encaminhado para a Delegacia da Polícia Federal em Dourados. Ele foi denunciado pelo Ministério Público Federal (MPF) pelos crimes de tortura, cárcere privado qualificado, roubo qualificado, sequestro, dano qualificado e corrupção de menores.

A prisão preventiva foi solicitada pelo MPF em agosto de 2016, por meio da Força Tarefa Avá Guarani, e determinada pela Justiça Federal no mesmo mês. Desde então, Leonardo é considerado foragido da Justiça.

Os crimes ocorreram durante confronto entre índios e fazendeiros em 12 de junho de 2016 na Fazenda Yvu, em Caarapó. O conflito iniciou após ataque empreendido por mais de 200 fazendeiros em 40 camionetes contra o acampamento indígena Tey Kue. De um grupo de 50 índios, nove ficaram feridos e um morreu. Três policiais militares que foram prestar apoio aos feridos foram mantidos reféns por algumas horas e tiveram armas e veículo apreendidos. A prisão de Leonardo refere-se a este último fato.

Ameaças a testemunhas

O Ministério Público Federal em Dourados recebeu diversas denúncias de ameaças realizadas por Leonardo de Souza a outros indígenas e testemunhas do caso. Segundo consta, Leonardo disse que seus familiares cumpririam as ameaças caso ele fosse preso.

Conflito em Caarapó

As investigações da força-tarefa Avá Guarani iniciaram logo após a morte do indígena Clodioude Aquileu Rodrigues de Souza, alvejado por dois disparos de arma de fogo, um no abdômen e outro no peito. Em 5 de julho de 2016, a Justiça Federal de Dourados deferiu requerimento do MPF e expediu mandados de prisão contra cinco proprietários rurais envolvidos na retirada forçada de indígenas da Fazenda Yvu, em Caarapó (MS), e ainda o indígena preso hoje. Os fazendeiros respondem por formação de milícia armada, homicídio qualificado, tentativa de homicídio qualificado, lesão corporal, dano qualificado e constrangimento ilegal.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Justiça
CPI acusa Energisa de alterar resolução da Aneel para barrar perícia
Justiça
Assembleia fechará semestre em home office
Justiça
Reinaldo interpela o deputado Contar
Justiça
Veja a lista de escolas que terão desconto de até 25% nas mensalidades
Justiça
Justiça afasta adolescente de casa por abusar da irmã de 7 anos
Justiça
Farmácia terá que pagar R$ 20 mil à mulher que foi aliciada em atendimento
Justiça
Justiça: Uniderp demora a entregar diploma e pagará R$ 8 mil a estudante
Justiça
TCU determina devolução de auxílio recebido por militares
Justiça
Vídeo - Com filho nos braços, Karinne chora ao relembrar de assassinato do marido
Justiça
Justiça - Empresa de formatura terá que indenizar acadêmica coagida

Mais Lidas

Geral
Procon-MS pede explicação ao Consórcio Guaicurus sobre "precariedade" em linhas de ônibus
Saúde
Empresa arrisca e faz vacina contra coronavírus em larga escala
Economia
Câmara aprova Refis com 100% de desconto em juros e multas
Polícia
GAECO prende 17 durante “Operação Fim da Rota”