Menu
Busca sábado, 24 de outubro de 2020
(67) 99647-9098
TJMS outubro20
Política

Laerte Tetila tem direitos políticos suspensos

09 novembro 2010 - 15h38
Deputado estadual eleito, Laerte Tetila teve seus direitos políticos suspensos ontem pelo juiz José Carlos de Souza, da segunda vara civil de Dourados. De acordo com o site Dourados News, a ação que culminou na decisão judicial foi iniciada pelo Ministério Público Estadual em 2009 referindo-se a decisões administrativas tomadas em 2001, durante o mandato de Tetila como prefeito de Dourados, relacionadas à contratação de mão-de-obra através de cooperativas. A Justiça determinou que, além de perder a função pública ele também terá a suspensão dos direitos políticos de cinco a oito anos. Tetila foi eleito deputado estadual na eleição deste ano. O ex-prefeito deverá pagar ainda, conforme decisão do juiz, multa de 100 vezes o último salário de quando era prefeito e ressarcir integralmente eventual dano causado aos cofres públicos. A ação cabe recurso no Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul. Fonte: Capital News
CertFica

Deixe seu Comentário

Leia Também

Política
Presidente da Câmara dos Deputados afirma que PEC da Guerra não será prorrogada
Política
FETEMS fará debate
Política
Confira a agenda dos candidatos nos bairros da capital nesta sexta
Política
AO VIVO: O que Cris Duarte quer fazer por Campo Grande?
Política
Vídeo: Bolsonaro visita Pazuello, um dia após diagnóstico de covid
Política
Pesquisa mostra terceira via em Corumbá
Política
VÍDEO: Candidato a vereador em MS é assaltado durante live
Política
Eleições 2020: Marquinhos fará entrevista ao vivo no JD1 às 17h
Política
Senador flagrado com dinheiro nas nádegas pede licença por 90 dias
Política
AO VIVO: O que Guto Scarpanti quer fazer por Campo Grande?

Mais Lidas

Justiça
Fachin julgará recurso de Reinaldo no STF
Cidade
Prefeitura entrega prêmios do 5º sorteio da Nota Premiada
Justiça
Candidato do PSL terá que pagar multa e retirar vídeo do ar
Política
Presidente da Câmara dos Deputados afirma que PEC da Guerra não será prorrogada