Menu
Busca domingo, 20 de setembro de 2020
(67) 99647-9098
TJMS setembro20
Política

Moderado Hassan Rohani é eleito presidente do Irã em primeiro turno

15 junho 2013 - 21h01Via G1
O clérigo moderado Hassan Rohani foi eleito presidente do Irã em primeiro turno, anunciou neste sábado (15) o Ministério do Interior.

A vitória foi anunciada pelo ministro do Interior, Mostafa Mohammad-Najjar, na TV estatal.

Segundo o ministro, 72% dos mais de 50 milhões de eleitores credenciaram votaram, e Rohani obteve 18,6 milhões de votos (50,68%), mais que os 50% necessários para evitar um segundo turno.

Rohani, de 64 anos, derrotou com facilidade três oponentes conservadores "linha dura" com ampla vantagem: o prefeito de Teerã, Mohammad Bagher Ghalibaf; o ex-chefe dos Guardiões da Revolução, Mohsen Rezai; e o atual chefe dos negociadores nucleares, Said Jalili.

Os outros dois candidatos, o ex-chefe da diplomacia Ali Akbar Velayati e Mohammad Gharazi, receberam uma votação inexpressiva.

Em sua primeira declaração após a vitória, ele afirmou que sua eleição foi "a vitória da moderação sobre o extremismo" e pediu que o Irã seja reconhecido pela comunidade internacional.

"Esta vitória é a da inteligência, da moderação, do progresso sobre o extremismo", disse, na TV estatal.

Para analistas, a vitória do candidato apoiado pelos campos moderado e reformista não deve marcar uma guinada na política da República Islâmica em temas estratégicos como o nuclear ou as relações internacionais, que estão sob a autoridade direta do guia supremo, o aiatolá Ali Khamenei.

O aiatolá Khamenei saudou o resultado, segundo seu site oficial.

"Felicito ao povo e ao presidente eleito", disse, acrescentando que "todo o mundo deve ajudar o novo presidente e seu governo".

A eleição foi realizada em meio a uma grave crise econômica provocada pelas sanções internacionais impostas ao Irã em razão de seu polêmico programa nuclear e quatro anos após a vitória, contestada nas ruas, do conservador Mahmud Ahmadinejad.

Apesar de alta, a taxa de participação nesta eleição ficou bem abaixo da de 2009, quando 85% dos iranianos aptos a votar compareceram às urnas, de acordo com as autoridades.

A campanha foi morna, e nenhuma irregularidade foi constatada, segundo o Conselho dos Guardiões da Constituição, mas o relator especial da ONU para os direitos humanos no Irã, Ahmed Shaheed, havia considerado antes da votação que o ambiente político no país não permitia classificar o processo de "livre e igualitário".

Ligado ao ex-presidente moderado Akbar Hachemi Rafsandjani, Rohani foi beneficiado pela desistência do candidato reformista Mohammad Reza Aref e recebeu o apoio do líder dos reformadores, Mohammad Khatami.

Como representante do aiatolá Khamenei no Conselho Supremo de Segurança Nacional, ele defende mais flexibilidade no diálogo com o Ocidente. Ele mesmo dirigiu esse diálogo para os iranianos entre 2003 e 2005 sob a presidência de Khatami. Durante a campanha, Rohani mencionou possíveis discussões diretas com os Estados Unidos, inimigo histórico do Irã.

A maioria dos eleitores compartilha as mesmas preocupações: a crise econômica provocada pelas sanções internacionais e que causou um aumento do desemprego, uma inflação superior a 30% e uma desvalorização do rial de cerca de 70%.

As sanções foram impostas para obrigar o Irã a interromper suas atividades de enriquecimento de urânio, apesar da rejeição do país de que esteja querendo produzir a arma atômica.

Segundo a Constituição, o presidente é a segunda maior autoridade do Estado, atrás do aiatolá, e suas capacidades de ação são limitadas em questões estratégicas, como a nuclear.

Israel, o outro grande inimigo do Irã, e os Estados Unidos ressaltaram que a eleição não deve trazer mudanças para a política iraniana.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Política
OAB de MS não assinou apoio a presidente nacional
Política
Por unanimidade relatório de prosseguimento de impeachment de Wilson Witzel é aprovado
Política
Coronel David critica vídeo onde grupo joga futebol com "cabeça de Bolsonaro"
Política
Carlos e Eduardo Bolsonaro são intimados pela PF a depor sobre atos antidemocráticos
Política
Conheça os pré-candidatos à prefeitura, definidos em convenções
Política
Partidos têm até hoje para definir candidatos
Política
Adriane segue vice de Marquinhos para reeleição
Política
Soraya diz que não apoiará Trutis; deputado “agradece”
Política
Para enfrentar queimadas, Estado recebe 3,8 milhões
Política
Ex-prefeito diz que “nem podia roubar” por vergonha de assessor honesto

Mais Lidas

Vídeos
AO VIVO: Acompanhe a 1ª Parada online da Cidadania e do Orgulho LGBTQIA+/MS
Saúde
Covid-19: Taxa de contágio cai pela primeira vez no Estado
Geral
Pré-candidato na capital, Renato Branco morre em decorrência da Covid-19
Polícia
Imagens fortes: Assaltantes de banco morrem em troca de tiros com a polícia