Menu
Busca quarta, 27 de maio de 2020
(67) 99647-9098
Política

Santos Cruz cai e será substituído por outro general

Essa é a primeira baixa da ala militar do governo; decisão partiu do próprio presidente da república

13 junho 2019 - 18h01Da redação, com informações das agências

O general Carlos Alberto dos Santos Cruz vai deixar a Secretaria de Governo de Jair Bolsonaro, segundo fontes do Palácio do Planalto. Essa é a primeira baixa da ala militar do governo e a decisão partiu do próprio presidente da República, que já escolheu o sucessor. Quem assume o cargo é o general Luiz Eduardo Ramos Baptista Pereira, comandante militar do Sudeste.

Embora o motivo da exoneração de Santos Cruz ainda não esteja claro, o militar tem sido alvo de críticas de Carlos Bolsonaro e Olavo de Carvalho (guru de Bolsonaro), desde que chegou ao Palácio do Planalto. A situação teria se agravado com a chegada do secretário de Comunicação Fabio Wajngarten, que não quis se subordinar às diretrizes e normas estabelecidas pelo general para ter maior controle sobre atividades e ações.

Há um mês, Santos Cruz chegou a ser acusado de trocar mensagens ofensivas a Bolsonaro via WhatsApp, mas negou a autoria das mesmas. Apesar da polêmica envolvendo seu nome, Santos Cruz era bem visto nos bastidores, considerado como um bom interlocutor, tendo sido recentemente elogiado pelo presidente devido à articulação política para a aprovação do PLN 4 no Congresso, referente aos créditos extras.

Durante entrevista, há cerca de um mês, o general disse que estava confortável no governo, apesar da crise com a ala ideológica. Nesta quinta-feira (13), antes de ser informado da saída, Santos Cruz participou de audiência na Comissão de Transparência do Senado, onde defendeu a permanência de Sérgio Moro no Ministério da Justiça.

Santos Cruz é o terceiro ministro a deixar o governo Bolsonaro, após as demissões do secretário-geral, Gustavo Bebianno, e do ex-ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Política
“Não entendo o porquê a Energisa questiona a CPI se não existem irregularidades”, diz Orro
Política
Assembleia reconhece mais três municípios em estado de calamidade pública
Política
Reinaldo entrega cestas básicas que beneficiarão 1,6 mil idosos
Política
“Pessoas do interior vem a capital para fugir do surto da pandemia”, diz Marquinhos
Política
Prefeitos querem adiar eleições municipais para 2022
Política
"Fui gado, comi capim", diz deputado ex-bolsonarista
Política
Coronel David pede para PM intensificar ronda no Guanandi
Política
Fabio Trad sai em defesa de Bonner; “ataques contra a democracia são no varejo mais”
Política
Roberto Jefferson promete parar José Dirceu "na bala"
Política
Ajuda: MS envia 4,3 mil medicamentos ao Amapá

Mais Lidas

Geral
Há um ano, tragédia que matou o campo-grandense Gabriel Diniz comovia o Brasil
Economia
Governo quer emprestar US$ 4,01 bilhões de bancos internacionais
Justiça
Ary Raghiant Neto será empossado Vice-Presidente do Conselho de Colégios da OAB do Mercosul
Política
“Não entendo o porquê a Energisa questiona a CPI se não existem irregularidades”, diz Orro