Menu
Busca domingo, 16 de junho de 2019
(67) 99647-9098
Política

Supremo censura “Crusoé” e MPF desmente denúncia da revista

Sob decisão do STF site foi obrigado a derrubar matéria que citava Dias Tóffoli

15 abril 2019 - 18h37Mauro Silva, com G1

Os sites "Crusoé" e o "O Antagonista" retiraram do ar matéria que cita o nome do presidente do Superior Tribunal Federal (STF) Antônio Dias Tóffoli veiculadas na última sexta-feira (12) intitulada “O amigo do amigo do meu pai”. A decisão desta segunda-feira (15) é do ministro Alexandre de Moraes.

Segundo nota da "Crusoé", a reportagem que cita o presidente da STF foi veiculada com base em um documento retirado dos autos da Lava Jato. O documento descreve que o empreiteiro Marcelo Odebrecht responde a Polícia Federal sobre um documento que ele cita um personagem como “amigo do amigo de meu pai”.  Conforme os autos, Odebrecht respondeu que o tal personagem é Dias Tóffoli, na época advogado-geral da União.

Na época Odebrecht tratava com o advogado da empresa Adriano Maia e outros executivos como Irineu Meireles sobre se havia fechado um negócio com o “amigo do amigo”. O empresário justificou a Força Tarefa da Lava Jato, que a fala em questão era sobre tratativa que Adriano Maia tinha com a Advocacia-Geral da União (AGU) dos temas que envolvia as hidrelétricas do Rio Madeira.

Após a publicação de "O Antagonista" e "Crusoé", Alexandre determinou que ambos os meios de comunicação retirassem as matérias dos ambientes virtuais sob pena de multa diária de R$ 100 mil. A Polícia Federal deve intimar os responsáveis pelos veículos de comunicação para prestarem depoimentos sobre o caso no prazo máximo de 72 horas.

MPF desmente O Antagonista

Em nota o Ministério Público Federal esclareceu que, “ao contrário do que afirma o site "O Antagonista", a Procuradoria-Geral da República (PGR) não recebeu nem da Força-Tarefa Lava Jato no Paraná e nem do delegado que preside o inquérito 1365/2015 qualquer informação que teria sido entregue pelo colaborador Marcelo Odebrecht em que ele afirma que a descrição “amigo do amigo de meu pai” refere-se ao presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli.

 

Nota


 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Política
Parecer da reforma da Previdência é bem recebido pelo mercado financeiro
Política
Nelsinho Trad é eleito presidente do PSD-MS
Política
“Governo é uma usina de crises", diz Rodrigo Maia
Política
Cabo Almi acredita em soltura de Lula e cancelamento da sentença
Política
Bolsonaro demitirá presidente dos Correios
Política
PSD discute planos para 2020 neste sábado
Política
Bolsonaro critica decisão do Senado de parar decreto de armas
Política
STF criminalizará homofobia como forma de racismo
Política
Santos Cruz cai e será substituído por outro general
Política
STF retoma julgamento sobre criminalização da homofobia e transfobia

Mais Lidas

Polícia
Durante encontro amoroso, homem é morto por ex-marido de mulher
Polícia
Ex-secretário morre em acidente na MS-157
Polícia
Tio e sobrinho são mortos a golpes de facão
Educação
Extrato de pagamento do Bolsa Família terá alerta sobre trabalho infantil