Menu
Busca segunda, 14 de outubro de 2019
(67) 99647-9098
Política

Supremo censura “Crusoé” e MPF desmente denúncia da revista

Sob decisão do STF site foi obrigado a derrubar matéria que citava Dias Tóffoli

15 abril 2019 - 18h37Mauro Silva, com G1

Os sites "Crusoé" e o "O Antagonista" retiraram do ar matéria que cita o nome do presidente do Superior Tribunal Federal (STF) Antônio Dias Tóffoli veiculadas na última sexta-feira (12) intitulada “O amigo do amigo do meu pai”. A decisão desta segunda-feira (15) é do ministro Alexandre de Moraes.

Segundo nota da "Crusoé", a reportagem que cita o presidente da STF foi veiculada com base em um documento retirado dos autos da Lava Jato. O documento descreve que o empreiteiro Marcelo Odebrecht responde a Polícia Federal sobre um documento que ele cita um personagem como “amigo do amigo de meu pai”.  Conforme os autos, Odebrecht respondeu que o tal personagem é Dias Tóffoli, na época advogado-geral da União.

Na época Odebrecht tratava com o advogado da empresa Adriano Maia e outros executivos como Irineu Meireles sobre se havia fechado um negócio com o “amigo do amigo”. O empresário justificou a Força Tarefa da Lava Jato, que a fala em questão era sobre tratativa que Adriano Maia tinha com a Advocacia-Geral da União (AGU) dos temas que envolvia as hidrelétricas do Rio Madeira.

Após a publicação de "O Antagonista" e "Crusoé", Alexandre determinou que ambos os meios de comunicação retirassem as matérias dos ambientes virtuais sob pena de multa diária de R$ 100 mil. A Polícia Federal deve intimar os responsáveis pelos veículos de comunicação para prestarem depoimentos sobre o caso no prazo máximo de 72 horas.

MPF desmente O Antagonista

Em nota o Ministério Público Federal esclareceu que, “ao contrário do que afirma o site "O Antagonista", a Procuradoria-Geral da República (PGR) não recebeu nem da Força-Tarefa Lava Jato no Paraná e nem do delegado que preside o inquérito 1365/2015 qualquer informação que teria sido entregue pelo colaborador Marcelo Odebrecht em que ele afirma que a descrição “amigo do amigo de meu pai” refere-se ao presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli.

 

Nota


 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Política
Vereador apresenta projeto voltado às crianças vegetarianas
Política
Bolsonaro destaca lançamento do Programa Novos Caminhos em outubro
Política
Bolsonaro quer retomar obras iniciadas em outros governos
Política
Assessor de Collor foi laranja em imóveis de R$ 6 mi
Informação consta em representação da PGR pela deflagração da Operação Arremate, que pôs a PF nas ruas em endereços ligados ao senador
Política
PF investiga se houve participação de Collor em lavagem de dinheiro
Política
União libera R$ 2,6 mi para Angélica viabilizados por Nelsinho Trad
Política
Reforma da Previdência vai para segundo turno no senado
Política
Carla deixa MDB e vai para o PSD
Política
Otávio Trad apresenta demandas da saúde pública em Brasília
Política
PLS exige laudo psicológico para soltura de agressores domésticos

Mais Lidas

Polícia
Jaime Valler estava na lista da milícia para morrer
Geral
Pai encontra filho morto, enforcado com fio de nylon
Polícia
Adolescentes são apreendidos por necrofilia com cadáver de idosa
Polícia
Bêbado, motorista atropela e mata garoto de 15 anos na capital