Menu
Busca quinta, 22 de agosto de 2019
(67) 99647-9098
Política

Transtornos mentais atingiram mais de mil servidores em 4 anos

Projeto de Lei visa a expandir Programa de Saúde Mental para policiais e bombeiros

02 julho 2019 - 17h31Rauster Campitelli

Mais de mil servidores estaduais relataram sofrer de transtornos mentais - tais como problemas psicológicos, ansiedade, entre outros que podem desencadear em suicídio - nos últimos quatro anos. Esta semana, o tenente-coronel da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul, Oeliton Santana de Figueiredo, de 44 anos, tirou a própria vida, em Campo Grande. Evitar casos como este é um dos objetivos de um projeto de Lei do deputado estadual Felipe Orro.

Apresentado na Assembleia Legislativa nesta terça-feira (25), o projeto estende o Programa Estadual de Saúde Mental oferecido aos servidores penitenciários e aos policiais (civis e militares) e bombeiros. “Essas pessoas trabalham sob uma pressão danada, uma pressão da sociedade, uma pressão da família. Eles saem de casa armados para cumprir uma missão ou prender alguém e não sabem se voltam. É uma série de fatores que levam esses profissionais a terem um trabalho diferenciado”, comenta Orro.

Uma vez que grande parte dos policiais disse a psicólogos, por meio de pesquisa, que já pensaram em tirar a própria vida, o objetivo é oferecer um atendimento com foco na prevenção.  “Dar atendimento antes que a pessoa tenha uma depressão profunda e [o quadro] se torne irreversível. Isso vai ser bom para o policial, vai ser bom para o bombeiro e vai ser melhor ainda para toda a sociedade”, explica o deputado.

A proposta de Orro pretende alterar a atual Lei 2.805/2004, que estabelece o Programa de prevenção e assistência à saúde mental apenas aos servidores penitenciários das áreas de Segurança e Custódia, de Assistência e Perícia, e do Apoio Operacional do Sistema Penitenciário do Estado.

Está garantida aos acometidos de transtornos mentais, conforme o Programa, a atenção mediante assistência ambulatorial, domiciliar e internação em tempo parcial, de modo a evitar ou reduzir a internação hospitalar duradoura ou em tempo integral, entre outras ações.

Após o diagnóstico, o servidor deverá ser informado quanto aos procedimentos terapêuticos e terá direito ao tratamento em ambiente menos restritivo possível, administrado somente com seu consentimento ou por meio de acompanhamento familiar.

A proposta segue em tramitação na CCJR (Comissão de Constituição, Justiça e Redação) para análise e segue para votação em plenário somente após aprovação.

Prefeitura - Niver CG

Deixe seu Comentário

Leia Também

Política
Títulos de cidadão campo-grandense serão entregues em evento nesta quarta
Política
Reunião sobre Biomecânica reúne autoridades internacionais na capital
Política
Caixa anuncia financiamento habitacional corrigido
Política
Simone defende reformas com justiça social
Política
Haddad e “Caravana Lula Livre”, cancelam visita à Campo Grande
Política
Para Rogério Marinho, reforma pode recuperar confiança na economia
Política
Reforma “em construção há 25 anos” é necessária, diz ex-ministro
Política
Locadoras que utilizam veículos de outros estados podem ser penalizadas
Política
Simone prevê mudanças no texto da Reforma até o final de agosto
Política
Frente de combate à depressão e ao suicídio será lançada na Assembleia

Mais Lidas

Brasil
Policial passa mal e morre no dia que soube que seria pai
Polícia
Vídeo - Helicóptero da PRF cai e piloto fica ferido
Geral
Com salário de até R$ 2,6 mil prefeitura abre seleção para assistência social
Polícia
Após invadir escola, adolescente ataca alunos com golpes de machado