Menu
Busca segunda, 14 de outubro de 2019
(67) 99647-9098
Brasil

Temer diz que privatização defendida por Guedes é positiva

O presidente considera que apenas a segurança, educação e saúde não podem ser privatizadas

06 dezembro 2018 - 14h37Da redação com informações da Agência Brasil

O presidente Michel Temer avaliou como positiva a política de privatizações defendida pelo futuro ministro da Economia do governo Bolsonaro, Paulo Guedes. Temer disse que fez isso em sua gestão ao lançar editais para concessão, por exemplo, de aeroportos, portos e rodovias. Para Temer, as únicas áreas que devem continuar sob a tutela do Estado brasileiro são segurança, educação e saúde.

“Privatização é algo que deu certo no Brasil, portanto, quanto mais privatizar eu acho melhor, sem mexer muito nesses setores fundamentais”, disse em entrevista nesta quinta-feira (6) a correspondentes internacionais, no Palácio da Alvorada, em Brasília.

O presidente acrescentou que o Poder Público não tem condições de acolher todas as atividades do país.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Brasil
Acidentes de trânsito com menores geram 9,8 mil indenizações este ano
Brasil
Vídeo mostra policial dando tiro de fuzil durante enterro de adolescente
Brasil
Bolsonaro elogia programa social de Campo Grande
Brasil
TSE requer linhas que enviaram mensagens em massa nas eleições de 2018
Brasil
Secretário reafirma que Petrobras, Caixa e BB não serão privatizadas
Brasil
Damares diz que violência sexual é principal preocupação do ministério
Brasil
Bolsonaro vai ampliar de US$ 300 para US$ 500 limite de compras no Paraguai
Brasil
Manchas de óleo nas praias do Nordeste chegaram em Salvador
Brasil
Médicos retiram larvas que estavam comendo cabeça de criança
Brasil
Guedes espera arrecadação para desonerar folha

Mais Lidas

Polícia
Adolescentes são apreendidos por necrofilia com cadáver de idosa
Geral
Irmã Dulce passa a ser Santa Dulce dos Pobres após canonização
Oportunidade
Prefeitura seleciona jovens para curso de voluntariado
Polícia
PMA apreende arma usada em caça ilegal