Menu
Busca quinta, 20 de junho de 2019
(67) 99647-9098
Economia

Câmara pode aprovar reforma da Previdência até maio, diz Maia

O presidente da Câmara se reuniu hoje com o ministro da Economia, Paulo Guedes

05 fevereiro 2019 - 17h34Da redação com informações da Agência Brasil

O governo federal pretende conseguir de 320 a 330 votos para aprovar a reforma da Previdência na Câmara dos Deputados em dois meses, disse há pouco o presidente reeleito da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Depois de se reunir com o ministro da Economia, Paulo Guedes, Maia disse ser possível a Câmara aprovar a reforma até maio, e o Senado aprová-la em junho ou julho, caso a base aliada esteja articulada. “O nosso problema é garantir, em dois meses, que a reforma da Previdência tenha 320, 330 deputados a favor. Este é o desafio, que a gente começa a trabalhar hoje”, afirmou Maia. Segundo ele, é possível garantir uma tramitação rápida para a reforma da Previdência sem violar o regimento da Câmara dos Deputados.

De acordo com Maia, o início da legislatura poderá apressar a tramitação da reforma da Previdência. Isso porque, com mais deputados em início de mandato em Brasília, são maiores as chances de haver quórum às segundas e às sextas-feiras.

Segundo o presidente da Câmara, se tudo for bem organizado, a proposta poderá ficar três semanas na Comissão de Constituição e Justiça, com cinco sessões para a apresentação de emendas e mais duas para a apresentação de pedidos de vista. Em seguida, o texto poderá ir para o plenário, onde deverá passar no máximo 45 dias se houver um esforço concentrado que gere quórum em 11 sessões seguidas.

Maia não detalhou se o governo pretende aproveitar o texto da proposta de reforma da Previdência do governo anterior, ainda em tramitação na Câmara. Ele disse que isso ainda dependerá de como o governo encaminhará a questão.

O presidente da Câmara informou que, até o fim da próxima semana, se reunirá com os governadores de seis estados – Ceará, São Paulo, Piauí, Pernambuco, Goiás e Mato Grosso – para pedir apoio à reforma. “Pretendo construir um amplo debate sobre a Previdência. Sem paixões, sem discussões ideológicas.” Ele ressaltou que pretende conseguir apoio dos governadores de oposição de estados com dificuldades financeiras e assegurou que a minoria na Câmara terá o direito ao debate respeitado.

Prefeitura prestação de contas

Deixe seu Comentário

Leia Também

Economia
Banco Central mantém juros básicos no menor nível
Economia
Sobe número de setores com trabalho permanente aos domingos e feriados
Economia
Mega-Sena acumulada pode pagar R$ 125 mi nesta quarta-feira
Economia
Com alta de 6% exportações de MS batem arrecadação de 2018
Economia
Desemprego de longo prazo tem alta de 42,4% entre 2015 e 2019
Economia
'Covardia sem precedentes', diz Maia sobre demissão de Joaquim Levy
Economia
Exportações brasileiras cresceram 10% em maio
Economia
Produtividade do trabalho recua 1,1% no primeiro trimestre
Economia
Receita paga nesta segunda as restituições do 1º lote do IR
Economia
Após Bolsonaro falar em demissão do presidente do BNDES, diretor renuncia

Mais Lidas

Cidade
Confira a lista de habilitados para sorteio de unidades habitacionais na capital
Cidade
Campo-grandenses se unem e ajudam família que caiu em golpe da falsa encomenda
Polícia
Pai mata filho de 7 anos após convencê-lo de que brincariam juntos
Polícia
Vídeo: Homem é executado por pistoleiros em oficina