Menu
Busca sábado, 24 de julho de 2021
(67) 99647-9098
Senai - EAD_senai_graduação
Economia

Receita dos serviços cresce 6,8% em março, diz IBGE

20 maio 2014 - 10h59Via G1
O setor de serviços registrou crescimento nominal de 6,8% em março na comparação com igual mês do ano anterior. O aumento ficou abaixo do registrado nos meses de fevereiro (10,1% - dado revisado) e janeiro (9,2%), de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O avanço de março foi o terceiro menor desde o início da série, em janeiro de 2012. No ano e em 12 meses, o crescimento ficou em 8,7%.

Os serviços prestados às famílias registraram crescimento de 10%; os serviços de informação e comunicação, de 4,4%; os serviços profissionais, administrativos e complementares, de 8,8%; transportes, serviços auxiliares dos transportes, serviços auxiliares dos transportes e correio, de 8,0%; e outros serviços, de 3,3%.

No segmento que teve a maior alta, do serviço prestado às famílias, os destaques ficaram com serviços de alojamento e alimentação (10,2%) e outros serviços prestados às famílias (8,8%).

“Apesar da queda [taxa menor em relação ao mês anterior], os serviços prestados às famílias estão no patamar que pode ser considerado bom. O acumulado está dando patamar entre 12%”, afirmou Roberto Saldanha, do IBGE.

“Na telecomunicação, tivemos crescimento bem baixo. Cresceu muito pouco e nos serviços audiovisuais e agências de notícias, o crescimento foi bem menor. Isso porque muitas empresas de edição de livros e material didático tiveram essa redução no faturamento em função da própria sazonalidade. Elas trabalham com encomendas de governos e elas começam a serem feitas desde novembro do ano anterior”, disse Saldanha.

Como os segmentos de serviços de informação e comunicação e de transportes, serviços auxiliares dos transportes e correio representam os maiores pesos no cálculo do indicador, acabaram exercendo pressão para que o crescimento do setor, em março, se situasse em um patamar inferior aos dos meses anteriores.

Na análise regional, todos os estados apresentaram variação nominal positiva, com as maiores taxas partindo do Mato Grosso (20,4%), do Distrito Federal (20,3%), do Acre (15,1%) e da Paraíba (11,5%). As menores taxas foram registradas em Rondônia e Piauí, ambas com 0,7%, Roraima (1,2%), Sergipe (1,3%) e Tocantins (2,0%).

Como é a pesquisa
Segundo o IBGE, a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) abrange as atividades do segmento empresarial não financeiro, exceto os setores da saúde, educação, administração pública e aluguel imputado (valor que os proprietários teriam direito de receber se alugassem os imóveis onde moram).
Cruzeiro do Sul - 44 anos

Deixe seu Comentário

Leia Também

Economia
Preços de itens de cesta básica tem diferença de até 80,20%
Economia
Caixa paga hoje auxílio emergencial a nascidos em junho
Economia
Caixa paga hoje auxílio emergencial a nascidos em maio
Economia
Caminhoneiros avaliam paralisação nacional a partir de domingo
Economia
Auxílio Emergencial: Nascidos em abril recebem hoje
Economia
Dia dos Pais: mais pessoas pretendem presentear este ano
Economia
Caixa paga quarta parcela do auxílio emergencial para nascidos em março
Economia
Nascidos em dezembro podem sacar auxílio emergencial
Economia
Caixa paga hoje auxílio emergencial a nascidos em fevereiro
Economia
Quarta parcela do auxílio emergencial começa a ser paga neste sábado

Mais Lidas

Polícia
Corpo encontrado em Maracaju é de homem desaparecido em Campo Grande
Polícia
Mulher vai visitar o namorado e morre atacada por seis pitbulls
Polícia
Ladrão causa curto-circuito ao furtar fios de um poste de energia no centro de Campo Grande
Polícia
Vídeo: Entregador filma dados do cartão de cliente para cometer fraudes