Menu
Busca domingo, 29 de março de 2020
(67) 99647-9098
TJMS topo
Economia

Reinaldo assina decreto para diminuir ICMS no comércio atacadista

Cerca de 50 atacadistas de todo o Estado podem ser atendidos pelo Decreto, que irá inflar o comércio

14 fevereiro 2020 - 12h36Sarah Chaves, com informações da assessoria

O governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja assinou o decreto que reduz o ICMS de produtos alimentícios, materiais de limpeza, cosméticos e outros itens comercializados pelas empresas atacadistas. Decreto foi publicado na edição desta sexta-feira (14), no Diário Oficial do Estado (DOE).

Conforme o decreto, os atacadistas passarão a recolher 12,5% de  imposto dos produtos que tinham Imposto Sobre  (ICMS) de 17% , e aqueles que tinham alíquota de 20% passarão a pagar 14,7%.

A empresa deve cumprir alguns requisitos para ser contemplada pelo benefício fiscal, de acordo com o decreto, é necessário que elas estejam inscritas no Cadastro de Contribuintes do Estado e estar em dia com o fisco estadual, estar filiada à Associação Sul-mato-grossense de Atacadistas e Distribuidores (Asmad) e possuir uma estrutura logística de armazenamento e distribuição dos produtos compatíveis com a sua movimentação comercial. O benefício não se aplica a empresas que tenham apenas escritório no MS, com toda a logística funcionando em outro Estado.

O decreto ainda prevê que as empresas qualificadas como contribuintes substitutos antes tinham que recolher o ICMS das mercadorias antecipadamente, na entrada, agora passarão a recolher o imposto somente quando o produto for vendido. 

Segundo o presidente da Asmad, Akito Ikeda, há mais de 10 anos os “atacarejos” do Estado buscavam negociar alguns benefícios fiscais que lhes dessem maior condições de enfrentar a concorrência de atacadistas de outros estados, principalmente Goiás. “Agora que a gente conseguiu ser ouvido, mas ainda não estamos em condições de concorrer de igual para igual com as empresas de Goiás, que tem preço em média 25% menor que os nossos por conta dos benefícios fiscais que recebem”, pontuou.

Ikeda destaca que ao editar esse Decreto o Governo do Estado valoriza as empresas que movimentam a economia regional e gera emprego. “Essas empresas de fora não geram emprego, não movimentam a nossa economia e o que ganham levam para os seus estados”, assinala do dirigente da Asmad. Segundo ele, cerca de 50 atacadistas de todo o Estado podem ser atendidos pelo Decreto.

Não poderão ser enquadrados neste Decreto as operações realizadas entre empresas do mesmo grupo econômico, mesmo que a distribuição seja feita por uma empresa atacadista. A medida evita a concorrência desleal, já que grupos de maior poder econômico e com maior número de unidades varejistas tenderiam a ter vantagem sobre os concorrentes.

 

Assembleia - Mais ALEMS

Deixe seu Comentário

Leia Também

Economia
Senado define data de votação do auxílio de R$ 600 para trabalhadores
Economia
Saiba quem pode obter auxílio de R$ 600 do Governo Federal
Economia
Governo anuncia R$ 40 bi para socorrer micro e pequenas empresas
Economia
Prazo do Refis Estadual é ampliado
Economia
Previsão do Banco Central aponta crescimento zero no PIB brasileiro
Economia
Coronavírus: Desemprego na construção preocupa sindicato de trabalhadores
Economia
Reinaldo prorroga prazos da Escrituração Fiscal Digital e certidão negativa de débitos
Economia
Governo do Estado libera R$ 2,4 milhões de recursos para os municípios
Economia
Confira as alterações nas Loterias da Caixa devido ao coronavírus
Economia
Gol e Azul fazem corte de 90% em voos diários

Mais Lidas

Agronegócio
Calendário de vacinação e plano de ação contra aftosa serão mantidos em MS
Polícia
Adolescente se irrita e esfaqueia o tio após buzinada no portão
Geral
Confira a lista de ganhadores do Nota MS Premiada
Polícia
Pai e filho morrem na estrada após colisão frontal com caminhão